Polêmica e muita discussão: Vereador Boly Boly detona Central de Regulação e colegas na Câmara


Durante a sessão ordinária desta terça-feira (14), realizada na Câmara de vereadores de Simões Filho, um dos principais assuntos a serem discutidos foi com relação à Central de Regulação do Estado da Bahia.

Para o vereador Cleiton Boly Boly, a questão da insuficiência do serviço prestado pela Central de Regulação ao município de Simões Filho em tudo tem a ver com perseguição política, o que segundo ele é inaceitável.

“É inadmissível uma cidade que é a sétima em arrecadação está passando por isso que está passando. Perseguição política, porque pra mim é uma perseguição. O estado não contribui nada pra Simões Filho, não tem uma emenda, não chega nada pra cidade”, disse ele.

Para Cleiton, seria necessário montar uma comissão de vereadores para ir diretamente ao governador cobrar as melhorias, especialmente os vereadores que para ele tem alguma relação de amizade com o governante.

“Na Rua Piatã um morador teve que amputar a perna e nós vamos ficar aqui calados só pra agradar A ou B? A gente tem que se manifestar. Nós fomos eleitos para isso. Vamos fazer uma comissão e temos que cobrar do governo do estado. Já que nós estamos aqui representando o povo, nós temos que sair daqui e cobrar o que é de direito dessa cidade”, completou Boly.

Cleiton ainda fez referência aos vereadores que votaram a favor da aprovação das contas do ex-prefeito Eduardo Alencar e que mantiveram vinculo com o governo do PT. Entre os citados estão os vereadores Neco Almeida, Jailson Jajai e Manoel Carteiro que se ausentou no dia da votação.

“Votaram no ex-prefeito. Eu tenho que pedir a eles que juntos vamos cobrar do governo do estado, porque eu não sou amigo do governador, eu não vou na casa do governador eu não cheguei em Simões Filho e prometi que ia fazer SAC, eu não prometi o Mercado Municipal, eu não prometi o viaduto. È um bando de mentirosos. Quem está dizendo é Boly Boly, a voz do Gueto”, disse o vereador durante a palavra franqueada.

Sobre as colocações de Boly Boly, alguns dos edis se posicionaram e pediram respeito com relação a sua liberdade de escolha. Em especial o vereador Neco, disse que o fato de fazer parte do mesmo grupo político não significa que mantém uma relação afetiva com o governador.

“Quero ser solidário ao vereador Cleiton com relação aos pacientes que efetivamente são regulados para Salvador e quero salientar vossa excelência, que nunca disse ao senhor nem a ninguém que sou amigo do governador, nem tão pouco amigo do ex-prefeito. Eu fui vice-prefeito numa chapa e isso não significa que nós temos uma relação de amizade. Agora, nós temos que respeitar as pessoas tanto na presença como na ausência delas. Eu quero dizer a vossa excelência que eu o respeito muito e nunca costumo jogar o público do contra a quem quer que seja”, salientou Neco.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e ternoO Vereador continuou dizendo que saúde pública é sim obrigação do estado, assim como do próprio município. “É obrigação sim do vereador, obrigação do prefeito, obrigação do estado cuidar da saúde das pessoas, nós estamos aqui pra isso, agora não é justo o senhor aqui declarar apontando A ou B, dizendo que nós somos coniventes com a situação que hora passa o estado, hora passa Simões Filho” , ressaltou Neco.

O vereador Manoel Carteiro também se colocou contra os comentários de Cleiton. “Eu também sou solidário a questão dos pacientes que realmente estão aguardando com muita dificuldade essa regulação. Estou aqui para defender o povo e para lutar para que isso venha a melhorar. Agora, eu não concordo quando o nobre colega citou meu nome em questão de me posicionar. Eu não vim aqui na Câmara para defender fulano, nome A ou nome B, eu vim aqui pra defender o povo”, revelou Carteiro.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, terno e área interna

Em resposta, Cleiton finalizou dizendo que não se importa em agradar nenhum dos edis e que se gostasse de plateia estaria realizando shows, fazendo menção a sua antiga carreira, quando ele cantava em um grupo de axé.

“Eu quero deixar bem claro que eu respeito todos os edis, mas não estou aqui pra agradar nenhum de vocês. Eu estou aqui porque fui eleito pelo povo. Não tive voto de nenhum de vocês, quem votou foi o povo, quem me colocou aqui foi o povo e Deus. Então, estou aqui e quero deixar bem claro que as minhas falas não são pra plateia. Se eu quisesse falar pra plateia eu estava fazendo show”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *