“O estigma de cidade número 01 em violência tem que mudar” diz Major Fábio Dias sobre população simõesfilhense


Uma das autoridades que se fizeram presentes na prefeitura de Simões Filho, na manhã desta segunda-feira (09) durante pronunciamento da empresa Bomix foi o comandante da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), Major Fábio Dias.

Na oportunidade, o Major fez uso da palavra para dizer o quão grandioso tem sido o desafio da Polícia Militar em contribuir com o desenvolvimento do município através da prestação de um serviço de qualidade, no que se refere à segurança pública.

“Eu só tenho a me preocupar porque o que nos move são os desafios, como homem público e como gestor também. Diante da magnitude da parceria da prefeitura com essa empresa renomada, nós como policiais pensamos que aumenta ainda mais a nossa responsabilidade”, revelou Dias.

Embora confesse certa preocupação com relação à expansão do Centro Industrial de Aratu (CIA), Dias ressaltou que o local representa uma peça fundamental na economia baiana e deveria ser olhada pelo governo do estado com um pouco mais de atenção.

“Por um lado isso é bom porque atrai investimentos para o município e faz com que o governo do estado, no que diz respeito à segurança pública tenha também um olhar diferenciado com relação ao Centro Industrial de Aratu, que faz com que o município seja hoje o sexto PIB em todo o estado. Isso não é pouca coisa”, disse ele.

Fábio disse ainda que acredita em uma gestão participativa, quando há descentralização do poder. Para ele, a união entre os poderes públicos e privados tendem a diminuir os prejuízos que a população vive cotidianamente.

“A cada dia que passa a gente percebe que as demandas da população aumentam e a polícia tem que olhar o povo com um olhar de prestação de serviço. Os desafios são enormes e eu sou o tipo de comandante que não me furto em discutir melhores condições dentro das dificuldades que nós temos, mas eu acho que o primeiro passo está se concretizando aqui, que é a união de forças entre Executivo, legislativo, representantes da indústria e o povo”, afirmou.

Para a área do CIA, o major contou que está sendo estudada a instalação de um sistema de vídeo monitoramento, no entanto, declarou que não bastam intervenções matérias se o cidadão não tiver a sua alta estima resgatada, e abandonar o estigma de cidade mais violenta do Brasil.

“O cidadão simõesfilhense tem que sentir orgulho e acabar com aquela história de que a cidade é violenta. Este estigma de cidade número 01 em violência tem que mudar; e já está mudando”, explicou ele.

Para Dias, se for observada a questão dos homicídios, ainda não se vive em plena paz, até porque a segurança não se faz apenas com a polícia militar e sim com o conjunto de ações entre as Polícias Civil e Militar, Ministério Público e Poder Judiciário, mas garantiu que cada um está fazendo a sua parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *