Vereador relata momento de pânico após ser ameaçado por homem com o dedo; “Ele passou por mim e fez pá, pá”


O pastor evangélico e vereador de Simões Filho, José Arnoldo utilizou a tribuna da Câmara, durante a sessão desta terça-feira (05) para se colocar contra a autorização do código de trânsito brasileiro que permite a circulação de motocicletas do modelo 50 cilindradas (cinquentinha) sem placa.


Durante seu pronunciamento, o vereador chegou a relatar um fato inusitado vivido por ele, na última semana envolvendo uma cinquentinha, que causou uma certa descontração na plenária e levou o publico presente aos risos.

Segundo Arnoldo, um homem a bordo de uma motocicleta apontou o dedo para ele como sendo uma arma de fogo e simulou dois disparos, após ter sido supostamente fechado pelo vereador, em uma via curva.

“Esses dias eu vinha aqui na Ruy Barbosa, peguei a rotatória ali e na rotatória eu entrei fechando e um cidadão vinha com uma motinha dessas aí e não gostou. Passou por mim e fez assim: pá, pá, quer dizer, se ele estivesse com arma teria atirado, porque fez sinal como se estivesse atirando em mim”, contou o edil.

O vereador comentou que se sentiu vulnerável e não teve nem como anotar os dados da moto, porque ela não tem placa. Neste sentido, Arnoldo citou o Código de Posturas do Município, aprovado também na sessão de ontem e disse que tem que se encontrar alguma maneira de coibir esses motociclistas.

Resultado de imagem para vereador arnoldo simoes

“Essas motos não têm placa, mas elas têm sido usadas para roubos, para outros fazerem baderna no meio das ruas e se acontecer um acidente, se ela bater em alguém, não tem como você identificar ou pegar a placa. É preciso que a gente venha a punir eles de alguma maneira”, ressaltou o vereador.

O vereador também apresentou dados relacionados aos inúmeros acidentes de trânsito causados por imprudência de motociclistas, incluindo vítimas fatais e pessoas que acabam inválidas.

“Olha só o que acontece no nosso Brasil, em 2017 teve 3.006 mortes por acidentes de trânsito na Bahia, 12.365 casos causaram invalides, quer dizer, deixou o cidadão que estava pilotando a moto inválido por acidente. Na mídia nacional, o número do último ano foi de uma morte a cada 3 minutos, a cada 3 minutos morre alguém que dirige moto”, salientou o vereador.

Arnoldo concluiu dizendo que dentro do Código de Postura precisa se aplicar um artigo que também penalize as pessoas que utilizam moto de maneira inadequada e que isso faz parte do processo de reorganização da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *