Solitário na oposição, vereador Sandro Moreira recebe duras críticas da base governista


Durante a 28ª sessão ordinária realizada na tarde desta terça-feira (10) em Simões Filho, os vereadores em sua maioria iniciaram seus discursos justificando a ausência na sessão anterior, que não pode acontecer por falta de quórum.

Na semana passada, o vereador Sandro Moreira, um dos 10 edis que compareceram a plenária em tempo hábil, chegou a afirmar que a falta dos colegas poderia estar relacionada a uma retaliação voltada para uma indicação de sua autoria e que os edis estavam sendo desrespeitosos com a população.

Em discordância, os parlamentares se voltaram contra a colocação de Sandro e além de se justificarem também chamaram a atenção do colega pela afirmativa, que eles consideraram infeliz e equivocada.

“O trabalho do vereador não começa aqui nem termina aqui na sessão, é todos os dias 24horas. Se eu não vim foi por motivos pessoas, não foi por questão contra com ninguém, então é importante esclarecer pra que não fique nenhum equívoco”, disse Jailson Soares (Jajai).

“Eu quero deixar claro para o vereador Sandro Moreira que criou a polêmica, que vossa excelência tem que entender que não pode dizer que os vereadores não vieram à sessão por causa de sua indicação. Vossa excelência sabe que não foi por conta disso. Pelo amor de Deus, não faça este tipo de comportamento não, que o senhor coloca os outros vereadores contra a população”, defendeu Orlando de Amadeu.

“Eu acho vereador Sandro que essas coisas acontecem, de chegar atrasado. Então, não havia nenhum sentido o vereador em nenhum momento faltar com respeito. Essa casa nunca faltou com respeito com a população. O vereador respeita a população porque ele tem consciência que é ela quem o elege”, ressaltou Eri.

“O fato de estarmos em lados opostos não dá ao vereador o direito de tentar denegrir a imagem do colega, nem levantar inverdades contra o colega, porque todo mundo sabe da sua responsabilidade. Eu acredito que o vereador Sandro foi muito infeliz quando disse que não houve quórum por causa de um projeto importante que ele tinha. Por respeito, o senhor deveria se retratar, porque foi no mínimo irresponsável por falar uma declaração dessas. A gente tem que ter muito cuidado com o que a gente fala”, declarou Kátia.

Kátia disse ainda que Sandro teria sido imaturo, talvez por ser vereador de primeiro mandato. Em seguida, o vereador pediu o uso da palavra pra se defender das acusações e revelou que não se considera inferior a ninguém pelo fato de estar exercendo o primeiro mandato, mas que sempre zelou pelo respeito, moral e ética na casa legislativa.

“O tocante problema das pessoas é subestimar a inteligência das outras. O fato de eu estar vereador de primeiro mandato não significa que eu seja melhor nem pior do que ninguém.” Declarou ele que continuou sua defesa em relação as demais acusações.

“O que deve ser entendido nesta casa é o que eu disse e continuo dizendo: que a população merece respeito. Eu entendo que, no momento que o vereador não possa comparecer por motivo de doença, assim como já aconteceu comigo e eu justifiquei antes da sessão. Se por ventura os vereadores tiverem feito isso eu peço desculpas a todos, agora se não houve, é falta de respeito mesmo”, completou.

Com relação ao suposto boicote, Sandro disse que “fala com propriedade, através de fatos que estão acontecendo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *