Simões Filho: Revoltadas, mulheres fazem protesto e tomam chave de motorista após ônibus escolar atolar no Oiteiro; veja vídeos


Um episódio bastante inusitado marcou o início da tarde desta terça-feira (10) em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Após um ônibus escolar atolar no meio da lama, no Oiteiro, um grupo de mulheres resolveu render o motorista do transporte de maneira pacífica e tomar a chave do veículo em sinal de protesto.

Sem uso da violência e apenas utilizando o direito de reivindicar por melhorias na sua comunidade, cerca de 20 mulheres permanecem no local em companhia do motorista, alegando que só irá liberar a chave do veículo após a chegada do prefeito Diógenes Tolentino.

As cidadãs reclamam da situação de abandono que o bairro se encontra e dizem que não vão sossegar enquanto o atual gestor municipal não cumprir com as promessas de campanha, que garantiam toda a requalificação do bairro.

“Nós estamos aqui para fazer a diferença. A nossa reivindicação aqui é a melhoria da estrada, porque hoje o escolar virou. Quer dizer, se tivesse uma criança morta neste momento aqui, não é filho do prefeito, não é do vereador, é meu e quem ia sentir? Eu e as outras mães e a gente quer uma solução”, disse dona Branca, uma das líderes da manifestação.

De acordo com a moradora, há algum tempo a comunidade procura o prefeito Dinha para pedir as melhorias, mas desde que assumiu a administração da cidade ele não tem ido no bairro, nem atendido o clamor dos moradores.

“Vocês precisam ver a precariedade do local, é tudo esburacado, é lama. Sempre vamos para prefeitura reivindicar, chega lá o prefeito só quer colocar 3 pessoas dentro do gabinete e a comunidade do Oiteiro não é feita só de 3, tem vários, então, quando a gente se reúne ele não quer deixar todo mundo falar, não quer atender todo mundo e ele não vem mostrar a cara dele no Oiteiro. Quem errou de colocar ele lá foi a gente, mas a gente hoje vai reivindicar nossos direitos e só vai sair daqui quando tiver resolvido”, completou Branca.

Ainda segundo ela, no período da campanha política o grupo do prefeito Dinha sempre ia no local para pedir votos, no entanto, agora nada tem sido feito para proporcionar o mínimo de dignidade à comunidade.

“O Oiteiro está esquecido. Ele só lembra da gente na política, para querer voto e a gente já está cansado. A chave do ônibus está na minha mão e eu não quero que o motorista venha a ser prejudicado por isso, que fique bem claro para o prefeito”, revelou ela.

Já o motorista, que aparentava desespero, fez um apelo para que o prefeito fosse pessoalmente ao local tentar intermediar a situação para que ele então pudesse ser liberado.

“Infelizmente essas mulheres aqui do Oiteiro tomaram a chave do meu ônibus agora e só sai daqui eu e o ônibus depois que fizerem o serviço. Eu peço encarecidamente ao prefeito que venha resolver esse problema aqui, porque só a misericórdia. Tem mais de 20 mulheres aqui”, disse ele.

Até o fechamento desta matéria o prefeito ainda não havia chegado no local da manifestação. Apenas uma equipe da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e o vereador Vel estavam lá tentando negociar com as manifestantes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *