Prefeitura de Simões Filho deve decretar ‘lockdown’ para conter o avanço da Covid-19 na cidade


O prefeito de Simões Filho, Dinha Tolentino (MDB), deverá anunciar nos próximos dias o fechamento total da cidade, para conter a propagação do coronavírus. Até a última sexta-feira (22), o município havia diagnosticado 103 casos e, nesse sábado (23), foram registrados mais 18 casos oficiais da doença no município. “É melhor fazer agora do que fazer mais para frente às pressas”, argumentou o gestor.

Nas últimas semanas, com o aumento do número de casos da Covid-19 em diversas regiões brasileiras, um número expressivo da população do país passou a vivenciar a medida mais dura de contenção em uma pandemia, o chamado “lockdown”, cuja tradução significa ‘confinamento ou  fechamento  total’. Essa medida deverá acontecer também em Simões Filho, caso a curva do número de pessoas infectadas continue a crescer.

Em apenas um dia, os casos diários, dobraram quase 100%. O número de casos da doença na quinta-feira (21) subiu de 88 para 94 casos. Ontem (22), foram de 94 para 103 e hoje (23) de 103 para 121 pessoas contaminadas, ou seja, 33 casos contabilizado em apenas 72h, sendo que, somente hoje (23), 18 novos casos foram registrados, entre eles,  2 óbitos oriundos à doença.

Por causa desse aumento dos números de casos do coronavírus, a prefeitura deverá decidir, por meio de um decreto municipal, a adoção do lockdown, como um protocolo de emergência que resultará no bloqueio total. Esse bloqueio possui o objetivo de limitar a movimentação interna das pessoas pelo município, impedindo que haja contato entre elas e, consequentemente, haja uma redução nas transmissões do novo coronavírus.

Durante o encontro, o Comitê Intersetorial debateu as últimas atividades, reivindicações populares e as atividades que fortalecem as atividades de promoção e prevenção à saúde.

Entre as principais atividades debatidas estão as barreiras sanitárias e de acesso, iniciativas que visam conter a propagação do novo coronavírus na cidade, além das blitz de fiscalização, com o apoio da Polícia Militar, e as novas medidas que poderão ser adotadas.

O Comitê é formado por representantes de diversos conselhos municipais, entre eles o de Saúde, Educação, Assistência Social, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), da Merenda Escolar, dos Idosos, dos Direitos da Criança e do Adolescente e outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *