Moradora de Simões Filho faz apelo para realizar ressonância magnética; ela sofre de problemas renais


Uma família que reside no município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) estendeu um apelo para a população em geral, empresários, políticos e autoridades municipais, a fim de salvar a vida de sua matriarca.

Dona Valdelice Alves Pereira, moradora do condomínio residencial Preto Velho, na localidade conhecida como Tiro Seguro, sofre de uma patologia que já acometeu um dos seus rins e ameaça comprometer o outro.

De acordo com a dona de casa, há mais 05 anos ela luta contra um câncer e há quase um ano vem tentando realizar uma ressonância magnética pelo Sistema Único de Saúde (SUS) sem obter êxito.

“Eu não tenho condições de fazer a ressonância. Meu marido está desempregado e os bicos que ele faz dão somente para pagar as passagens para eu ir para Salvador, que precisa ir eu e outra pessoa”, contou ela.

O marido de Valdelice explicou que a esposa não somente necessita realizar o exame como também de um especialista que possa acompanhar o caso, tendo em vista que nos últimos meses, nem uma consulta a dona de casa tem conseguido marcar.

“Ela precisa de ajuda para fazer a ressonância e também de um médico para acompanhar o caso, porque tem o resultado de um exame aí que ela fez há um ano e não conseguiu nenhum médico para olhar”, disse o homem.

Os familiares de Valdelice chamam em especial a atenção da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), pedindo que a pasta envie algum profissional de saúde para avaliar a situação da paciente ou pelo menos encaminhá-la para o atendimento mais adequado.

Emocionada, a filha do casal disse que tem medo de perder a sua mãe e que por isso, espera sensibilizar o máximo de pessoas possível para que esta situação seja resolvida em caráter de urgência.

“Quem puder ajudar minha mãe eu peço que faça, porque já tem 5 anos que ela está sofrendo e a gente correndo sem conseguir. Nós não temos mais a quem recorrer, por isso estamos pedindo, pelo amor de Deus, quem puder, ajude”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *