Hospital de Simões Filho gera nova reclamação de morador; “aparelho de ECG está quebrado”


As condições do atendimento no Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), na Região Metropolitana de Salvador (RMS) continuam gerando descontentamento entre os moradores da cidade.

Em contato com a reportagem do Mapele News, na manhã desta quarta-feira (16) um paciente fez novas reclamações e apontou dificuldades que enfrentou para realizar um Eletrocardiograma (ECG) enquanto passava mal na noite de ontem.

“Eu cheguei no hospital com muita dor no peito. Na entrada, não tinham maqueiros e eu tive que me locomover por conta própria. Depois de passar pelo médico e pegar o encaminhamento para fazer o eletro, eles chegaram a me colocar na maca e ligar o aparelho para realizar o exame, mas o equipamento não funcionou”, contou o paciente.

Ainda segundo o paciente, ele só conseguiu fazer o exame horas depois, quando também por conta própria se dirigiu a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do CIA, na tentativa de tentar conter as fortes dores que ainda sentia.

“Fiquei muito frustrado com o atendimento, principalmente por que Simões Filho não é uma cidade pequena do interior e sim uma das dez maiores economias do estado. Então, é um absurdo um hospital daquele porte não ter um aparelho de ECG, nós como moradores merecemos um tratamento melhor”, comentou.

O HMSF é administrado pela empresa terceirizada APMI, (Associação de Proteção a Maternidade e a Infância de Castro Alves), que atua na unidade de saúde há quase quatro anos.

Durante uma coletiva de imprensa realizada na última terça-feira (15), o prefeito Diógenes Tolentino salientou que tem pago os honorários referentes a prestação de serviço da APMI em dias e que não há justificativa para a falta de equipamentos.

O prefeito ainda salientou que exigiu a renovação de toda a equipe administrativa da APMI na unidade, que já está sobre nova direção desde o início desta semana e que caso a empresa não se enquadre nas exigências de contrato, possivelmente terá a parceria com a prefeitura suspensa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *