Guerra declarada: Vereadores de Mapele Manoel Carteiro e Elimário Lima entram em confronto verbal: “Saia de cima do muro”


A questão da insuficiência dos serviços prestados pela Central de Regulação do Estado ao município de Simões Filho, trouxe de volta a Câmara de Vereadores uma antiga discussão em sessão ordinária, realizada na noite desta terça-feira (14).

Alguns dos vereadores foram pegos de surpresa quando Cleiton Boly Boly resolveu estabelecer uma relação entre, o que ele classifica como perseguição política por parte do governador Rui Costa, com os parlamentares que votaram a favor da aprovação das contas do ex-prefeito Eduardo Alencar.

Sobre esse aspecto, o vereador Manoel Carteiro, que representa as comunidades de Mapele, Cotegipe e adjacências, disse que embora os edis tenham criticado o governador, nunca tomaram a iniciativa de ir diretamente a ele cobrar as intervenções necessárias para o município.

“Eu já vi muitos comentários sobre essa regulação aqui, mas eu nunca vi nenhum colega vereador me convidar para tomar alguma providência. De chegar assim e chamar vamos lá na Secretaria de Saúde, vamos procurar o governador. Nunca vi, nunca ouvi esse tipo de manifestação”, disse Carteiro.

O vereador declarou que alguns edis ficam de cara feia com certas situações e que todos os vereadores, mesmo aqueles que votaram a favor das contas da antiga gestão, são úteis para o governo atual.

“Eu estou aqui para defender o povo e quero que fique bem claro. Eu não tenho medo de cara feia, quando eu venho aqui pra Câmara eu não tenho calundu, não fui criado com vó e não vim pra Câmara pra ficar permanente não. Eu já percebi que aqui tem vereador que fica procurando negócio de calundu, porque o prefeito é isso, o prefeito é aquilo e eu acho que nós estamos aqui para ajudar a administração. Esses nomes que foram citados aqui são úteis para a administração da cidade. Eu não sou de ficar aqui só falando, criticando e de calundu não”, revelou Manoel.

Em resposta, o vereador Elimário, que também é residente em Mapele, faz parte da bancada do prefeito Diógenes Tolentino e votou contra as contas de Eduardo, disse que Manoel Carteiro deveria dar nome aos bois.

“A colocação do vereador Manoel Carteiro aqui eu acho que tem que dar nome aos bois. Quando disse que os vereadores ficam aqui de calundu, dá nome vereador. Tem que dizer quem são os vereadores que você não está gostando da atitude”, provocou Elimário.

O edil ainda continuou afirmando que Carteiro ficou em cima do muro, pelo fato de ter faltado à sessão justo no dia da votação. “Se você fez acordo com o ex-prefeito ou não eu não sei, mas você ficou em cima do muro, você não veio, você deu várias justificativas, você justificou de várias formas, você ficou em cima do muro. Você quis agradar a Dinha e a Eduardo. Eu acho que a pessoa tem que ter uma atitude, tem que ter uma posição”, disparou.

Manoel replicou dizendo que tem tomado posição a partir do momento que garanti melhorias para a comunidade. “Eu quero dizer meu nobre colega Elimário que a resposta eu já tenho dado a minha comunidade, quando trago aqui para Casa as indicações e eu tenho certeza que nosso prefeito irá realizá-las”.

Carteiro citou diversas indicações feitas por ele, inclusive subscritas por Elimário. “Agora todos que passam ali na região de Cotegipe de cima estão vendo a Coelba lá instalando uma rede elétrica. Aquela rede ali eu dei várias viagens na Coelba em Camaçari, como outras e graças a Deus hoje a obra está lá andando”.

Manoel completou dizendo que não está preocupado com renovação de mandato, mas apenas trabalhando para honrar a oportunidade que lhe foi dada. O edil ainda destacou o orgulho por sua profissão de origem.

“Eu tenho procurado usar o mandato que Deus e o povo me deu para buscar benefício para nossa comunidade. Eu quero dizer para todos e que fique bem claro que eu tenho 49 anos de idade, meu filho mais novo tem 15 anos e eu chegar aqui na Câmara foi uma benção de Deus que usou o povo pra me colocar aqui pra continuar trabalhando pelo povo. Eu não estou preocupado com renovação de mandato em 2020. Eu estou trabalhando. Se o povo entender que eu devo continuar nesta casa eu continuarei, se não eu voltarei para minha função que com muita honra é o que eu tenho”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *