“Eles vão se curvar diante dos avanços que nós vamos fazer”, declara prefeito Dinha sobre opositores em Simões Filho


A Prefeitura de Simões Filho irá inaugurar no fim da tarde desta sexta-feira (10) a Praça da Quadra 04 do Cia I, que de acordo com a administração municipal é uma antiga reivindicação da comunidade local.

Em entrevista ao radialista Roque Santos, na manhã desta sexta, o prefeito Diógenes Tolentino disse que isso é apenas o começo de tudo que ele pretende fazer nos próximos três anos. De acordo com ele, a obras de infraestutura irão chegar em todos os bairros da cidade.

“O que fizemos aqui é pouco diante do que nós vamos fazer. E podem ter certeza que você vai ver um bairro muito melhor. Seu bairro vai estar muito melhor, porque nós vamos chegar aí onde você está”, garantiu.

Em sua fala, o gestor revelou que considera a população a maior riqueza do município e pede que todos reflitam sobre a realidade que a cidade vive hoje no comparativo de dez meses atrás, quando ele assumiu.

“O maior valor, a maior riqueza que nós temos é a força de nosso povo. São as famílias, são as pessoas e é a essas pessoas que eu quero me dirigir neste momento. Para que vocês nos acompanhem, pra que vocês participem e procurem fazer uma reflexão do município que hoje aí está e do município que estava a dez meses atrás”, disse ele.

Dinha destacou a questão das dividas deixadas da gestão anterior e afirmou que o grupo de opositores questiona todas as suas atitudes, mas que contra os fatos não existem argumentos.

“A situação de dívida, de servidor atrasado, de credores em atraso e todo o caos que existia para hoje, depois de 10 meses. Porque contra fatos não existem argumentos. Não adianta ficar lá o tempo todo falando de Dinha. Se Dinha veste uma camisa azul, fala porque não vestiu a camisa vermelha, se veste a vermelha, pergunta por que não vestiu a amarela?”.

O prefeito declarou ainda que seus opositores irão se curvar ao final de seu mandato, quando constatarem todas as melhorias que ele pretende executar em Simões Filho. Disse que o impacto da mudança já pode ser percebido.

“Esse pessoal, sinceramente, no momento estão sendo impactados pela mudança, e eles vão se curvar diante dos avanços que nós vamos fazer. Nós vamos trabalhar, trabalhar e quando o benefício tiver chegando em todas as comunidades, certamente essas pessoas irão reconhecer”, disparou ele.

Para Dinha a oposição se resume ao grupo de ex-servidores que deixaram de fazer parte da folha de pagamentos e agora estão pensando somente em seus interesses pessoas, esquecendo do que representa o desenvolvimento da população em geral.

“São poucas. Até entendo que é saudade do passado, saudade do dia 25, dia 30, do dia 05, porque não tinha dia pra ter os vencimentos. Mas quero dizer que eles irão se curvar e irão entender que o benefício maior que o pessoal é o benefício coletivo. Temos que pensar no coletivo, no todo, na cidade de forma geral e é nisso que nós estamos pensando”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *