Edy Cacai manda Sid Serra “sair do armário” após decisão de unificar as Paradas Gays em Simões Filho


O presidente do Grupo Gay do Cia, Edy Cacai, em entrevista ao repórter  Valfredo Silva, da Rádio Sucesso FM, na tarde desta quarta-feira (10), afirmou estar bastante decepcionado com o secretário de Cultura e vice-prefeito da cidade de Simões Filho, Sid Serra, após a decisão do titular da pasta de unificar as Paradas LGBTs do município.

A sugestão do secretário de Cultura de unificar as Paradas LGBTs não foi muito bem recebida pelo líder do Grupo Gay. Para o presidente do Grupo Gay do Cia, a unificação das Paradas Gays em Simões Filho em uma única Parada proposta pela secretaria municipal de Cultura vai na contramão da estratégia adotada pelo movimento que organiza todos os anos o evento festivo na luta por direitos da classe incentivando a visibilidade e o respeito aos LGBTs. A Parada é o principal meio de expressão da Cultura LGBT e de lutas sociais por conquistas e direitos.

“Eu estou bastante triste com esse secretário de cultura e vice-prefeito que não está respeitando a adversidade, porque ele tirou meu grupo do calendário e disse para mim que pediram pra juntar. Agora, quero que ele me diga quem pediu para ele juntar. Não foi o presidente da pasta Edy Cacai, porque eu não assinei e não autorizei”, declarou.

De acordo com Cacai, o mandatário da pasta está querendo “sair do armário” após unificar as Paradas LGBTs na cidade. “Todos os meus associados estão revoltados, magoados e feridos com essa mudança”, declarou Cacai.

Bastante revoltado com a mudança, Cacai chegou a dizer que os associados decidiram manter a Parada Gay no mês de agosto “custe o que custar”.

“A Parada Gay do Cia tem história, Sid Serra. Nem você, nem o prefeito, só Deus vai tirar a Parada da Adversidade do Cia. Por isso, estamos entrando no Ministério Público mais uma vez. Eu fiz uma reunião com 1500 associados em assembleia. Decidimos manter a Parada no segundo domingo do mês de agosto, conforme consta no calendário cultural da cidade desde a gestão passada”, afirmou.

Ainda conforme o presidente do Grupo Gay, a Parada sempre aconteceu no mês de agosto, mas, segundo o próprio representante do movimento Gay, quando ele [Sid Serra] retirou isso, “ele manchou e feriu a adversidade”. “Isso nos causou um grande prejuízo. Nós deixamos de arrecadar mais de 25 mil reais, e hoje, eu estou com um prejuízo de 16 mil reais para a Parada da Adversidade 2019”, contou.

Para finalizar, o líder LGBT na cidade disse que a comemoração sempre teve um verdadeiro “tapete humano” e alfinetou o vice-prefeito ao dizer para ele “se decidir ou melhor sair do armário”.

“Nós estamos comemorando 21 anos de resistência e temos o maior tapete humano entre idosos e crianças. O povo fica esperando passar o trio da adversidade, pode ter certeza. “Me respeite, vice-prefeito, você quer sair do armário porque o presidente do Grupo Gay é Edy Cacai. Eu não assinei nem pedir que você fizesse essa junção. Só estou te pedindo respeito. Vou ao Ministério Público”, disse Cacai que ainda desafiou Sid Serra.

“A Parada da Adversidade, vice-prefeito, começou há 11 anos e estou comemorando 21 anos e não é você que vai apagar meu brilho, porque foi Deus que me deu. Agora, vice-prefeito, quero saber se você quer sair do armário porque o dono da pasta é Edy Cacai”, finalizou de maneira enfática.

Resultado de imagem para atras do armario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *