Dinha rebate críticas de Eduardo Alencar: “eu reconheço que a memória dele não está muito boa”


Após sofrer duras críticas feitas pelo deputado estadual Eduardo Alencar sobre os empréstimos, dívidas e caráter, o atual prefeito da cidade de Simões Filho, Dinha Tolentino, em entrevista na manhã desta terça-feira 11, na rádio Sociedade da Bahia, fez questão de rebater de forma diferente as críticas do ex-alcaide. Dinha disse que “respeita Eduardo, mas reconhece que a memória dele não está muito boa”. Além disso, apresentou documentos do TCM, relacionadas às dívidas de quase R$ 300 milhões, deixadas por antigas administrações.

“Eu tenho o maior respeito por ele (Alencar) e nunca vou usar o microfone para falar da pessoa do ex-prefeito, e nós temos colocado de forma clara a verdade”, iniciou Dinha. E continuou: “eu tenho aqui o parecer do TCM porque foi dito pelo ex-prefeito que ele estava preocupado com a dívida e com os salários dos servidores, só que eu até compreendo e reconheço que a memória dele não está muito boa”, disparou.

Ao avaliar que a memória do ex-prefeito José Eduardo Mendonça de Alencar, que completa em 19 de fevereiro, 67 anos, “não está em seu bom funcionamento”, Dinha relembrou ao ex-mandatário as dívidas deixadas no passado.

“Quando ele deixou o governo e Edson Almeida assumiu, ele deixou 2 meses de salários atrasados no ano de 2004, novembro e dezembro, e já em 2016, quando eu assumir em janeiro de 2017 estava o salário de dezembro e parte do décimo dos servidores em atraso e quem pagou o mês de dezembro foi o meu governo no dia 20 de janeiro”, enfatizou Tolentino.

Dinha rebateu ainda, a fala dita pelo ex-prefeito de que ele estava preocupado com a dívida do município. “Eu trouxe aqui o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios, porque não venho aqui só falar, eu trago documentos para provar. E quando Eduardo assumiu a cidade tinha uma dívida de R$ 38 milhões de reais de seu antecessor, já em 31 de janeiro de 2009 a cidade foi para uma dívida de R$ 84 milhões de reais e no dia 31 de dezembro de 2016, a dívida dobrou para 295 milhões”, revelou.

“Eu trouxe os documentos para mostrar a evolução da dívida porque quando o ex-prefeito vem aqui e diz que está preocupado com a dívida do município, ele teria que ficar preocupado quando era prefeito e não fazer o que ele fez, deixar o município endividado e sem crédito”, relembrou Dinha.

O atual prefeito disse também que a partir de 2017, iniciou uma política completamente diferente da convencional. “Nós estamos fazendo uma gestão completamente diferente, começamos a honrar os compromissos, a pagar os encargos sociais, a recolher e pagar todos os compromissos do município e há 3 anos antecipo as parcelas do 13º salário e pago os salários em dias”, finalizou prefeito Dinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *