Homem é encontrado morto durante feriado da Independência em Simões Filho

O corpo de um homem foi encontrado por volta das 06:40h da manhã da última quinta-feira (07), no acostamento da Via Periférica, nas imediações das fábricas do Centro Industrial de Aratu, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS). De acordo com o boletim de ocorrências da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a … Leia Mais


Desfile cívico marca manhã desta quinta-feira (07) em Simões Filho

Tradicionalmente realizado em Simões Filho, o desfile cívico em celebração a Independência do Brasil mais uma vez marcou a manhã desta quinta-feira, 7 de setembro. Organizado pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Educação (Semed), o evento reuniu centenas de pessoas entre servidores, autoridades públicas e sociedade civil no Centro da cidade. Pela primeira vez … Leia Mais


Convocação de servidores de Simões Filho com possível duplicidade de função

A Prefeitura de Simões Filho convoca os servidores a comparecer até o próximo dia 15 de setembro para esclarecer possíveis duplicidades de função no serviço público. A convocação foi publicada no Diário Oficial do Município. Os servidores convocados devem comparecer na Coordenadoria de Gestão de Pessoas, na Sede desta Prefeitura, entre 8h e 17h, com a documentação constante do Anexo … Leia Mais



PM dá continuidade às ações do PROERD em escolas de Simões Filho

Dando continuidade as ações do Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência (PROERD) em Simões Filho, ocorreu nesta quarta-feira (06) a 5ª aula do programa para os alunos do 1º ano da escola Clarice Ferreira. Nessa aula, foram utilizadas diversas técnicas de assimilação do conteúdo. De acordo com um dos agentes da Polícia Militar … Leia Mais


BOMBA: “Alguns vereadores foram pressionados pela gestão a votar contra minhas contas”, declarou Eduardo Alencar


Em entrevista ao Programa Panorama de Notícias, na tarde desta quarta-feira (06) o ex-prefeito Eduardo Alencar, acompanhado dos vereadores Sandro Moreira e Alfredo Assis comentaram sobre a sessão que votou suas contas na última terça-feira (05).

Depois de sair vitorioso com 08 votos pela aprovação das suas contas, Eduardo revelou que não foi surpreendido com o resultado da votação, tendo em vista que os vereadores que votaram em seu favor são pessoas coerentes, participaram do seu governo, além de serem seus amigos.

Com relação aos vereadores que não votaram em seu favor, Eduardo declarou que alguns dos edis chegaram a procurá-lo para justificar que votariam contra, porque estavam sendo pressionados pela gestão atual, sob pena de perderem os cargos públicos de indicação na Prefeitura Municipal.

“Alguns vereadores foram pressionados pela gestão a votar contra minhas contas. Isso é ante democrático e ante republicano. Tenho certeza que muitos votaram contra sua vontade pessoal”, afirmou ele.

Especialmente no caso do vereador Arnoldo Simões, que ocupou cadeira legislativa na gestão anterior pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) e chegou a indicar o ex-secretário de Habitação do Município, Virgílio Daltro para participar de sua gestão, Eduardo disse não guardar rancor.

“As atitudes de Arnoldo ontem são superadas pelas ações positivas que Dr. Virgílio teve quando ocupou o cargo de secretário de Habitação na minha gestão. Eu nem preciso comentar a atitude que ele teve”, disse Eduardo.

Já no que se refere ao vereador Orlando de Amadeu, que tem proferido frequentes acusações ao seu respeito, Alencar disse que é indiferente. “Eu não me incomodo, sou indiferente. Orlando não existe pra mim como pessoa. Não tem nenhum conteúdo”.

O ex-prefeito explicou que a dívida efetiva que ele realmente deixou nos cofres públicos se resume aos quatro últimos meses de sua gestão, que em decorrência da queda na arrecadação ele foi obrigado a optar em não pagar o INSS.

“Se eu pagasse o INSS deixaria de funcionar as secretarias mais importantes por causa da queda na arrecadação. Então, foi uma opção minha deixar de pagar o INSS para manter o município funcionando”.

Sobre sua possível candidatura como deputado estadual nas próximas eleições em 2018, o doutor falou que não quer ser apenas candidato, mas que tem pretensão de vencer e voltar a fazer o melhor pela cidade. “Eu quero ser candidato pra ganhar as eleições e ajudar Simões Filho a crescer naquilo que tiver ao meu alcance”.

Ainda sobre a votação das contas, Eduardo resolveu mandar um recado direto para seu opositor e atual gestor municipal Diógenes Tolentino, referindo-se aos vereadores que por hora têm feito sua defesa na Câmara.

“Ele tem que está atento aos que não votaram em meu favor. Esses só estão ali por conveniência e fisiologismo. Corretos foram os que agiram com decência e não me traíram”, concluiu ele.


Vereador perde o controle, desrespeita colega e quase termina em briga na Câmara de Vereadores


Como cogitado pelo público, o clima de discórdia, embate e tensão tomou a Câmara de Vereadores de Simões Filho durante a sessão que aprovou as contas de Eduardo Alencar no exercício de 2015, realizada na última terça-feira (05), em Simões Filho.

Em defesa do ex-gestor, os vereadores da base aliada que exercem o segundo mandato consecutivo, assim como os opositores, tentaram convencer os nobres colegas de que suas posições eram as mais corretas a serem seguidas. Mas, como opinião cada um tem a sua, o cerco novamente se fechou e a confusão foi formada.

Considerado um dos veteranos entre os vereadores que compõem o parlamento municipal, Denílson das Neves (Deni da Metalúrgica) foi enfático em seu discurso, dizendo que espera ver em 2019 quando as contas do atual gestor forem analisadas, se os edis que hoje se colocam em seu favor, naquela oportunidade também assumirão a responsabilidade sobre sua administração.

“Eu tenho minha posição clara e respeito à opinião de cada um, mas quero ver em 2019 se nesta casa realmente existem dois pesos e duas medidas”, declarou Denilson que está em seu quarto mandato.

Em contrapartida, o vereador Cleiton Aparecido (Boly Boly), um dos mais jovens entre os edis, começou o seu discurso direcionando a palavra ao nobre colega Denilson e chegou a questionar a atuação do vereador como representante da comunidade do Cia 2, onde reside.

“Vereador, eu não teria coragem de chegar aqui nesta tribuna e dizer que na comunidade do Tanque do Coronel foi feita alguma coisa”, disse Boly Boly em tom de provocação, levando Deni a tentar interrompe-lo.

Daí por diante os ânimos se exaltaram e nada mais se ouvia além das vozes dos edis exigindo um do outro que tivesse respeito. O presidente da casa precisou intervir pedindo aos parlamentares que se calassem até que a ordem fosse restabelecida na plenária.

Por muito pouco os vereadores não partiram para a agressão física. Talvez a luta corporal tivesse sido travada caso os demais colegas não os tivessem amparado. Antes de sair da tribuna, Cleiton ainda se desentendeu com o vereador Everton Paim, só que neste momento, em uma proporção menor do que no embate anterior.

As contas de Alencar foram aprovadas com 08 votos a favor e 10 contra, seguindo o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que as julgou favoráveis com ressalvas.


Trânsito será alterado para realização do desfile cívico no Centro da cidade


Por causa do desfile cívico em comemoração a Independência do Brasil, o trânsito será alterado no Centro de Simões Filho, nesta quinta-feira (07), a partir das 6h. De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), a Avenida Ruy Barbosa será totalmente interditada durante a passagem do desfile. Não será permitido estacionamento ao longo de toda a via.

Os motoristas terão acesso pela Rua Orlando Moscoso, sentido Hospital Municipal, e pela Altamirando de Araújo Ramos, sentido BR-324.

A Prefeitura montou um terminal provisório, em frente ao Estádio Municipal Reitor Edgard Santos, para embarque e desembarque de passageiros dos ônibus coletivos, micro-ônibus e vans que circulam pelo Centro.

O trânsito volta a ser liberado logo após o término dos desfiles.


Alunos da Rede Municipal começam a receber o novo fardamento escolar


A Prefeitura de Simões Filho, através da Secretara Municipal de Educação (Semed) iniciou, nesta terça-feira (05), a entrega de uniformes escolares para os alunos da rede municipal de ensino, conforme anunciada anteriormente pelo prefeito Diógenes Tolentino.

De acordo com Dinha, a entrega do fardamento escolar garante mais segurança aos alunos. “Foi um dos compromissos de nossa campanha e estamos mais uma vez cumprindo com nossa palavra. Estamos trabalhando para que as nossas crianças possam crescer com sabedoria”, afirmou.

A primeira unidade a receber o fardamento foi a Escola Municipal Professora Maria de Souza Chaves, no Km 30. Antes da entrega, o gestor afirmou que, com o uniforme escolar, as crianças ficarão identificadas, levando mais segurança para os pequenos. “Estamos oferecemos aos alunos, além da economia do orçamento dos pais, mais segurança”, declarou ele.

O vice-diretor da unidade, Rafael Liberato, comemorou a entrega do uniforme para a educação dos alunos. “Ver o sorriso estampado no rosto dos alunos ao receber o fardamento é o melhor sentimento do mundo para qualquer professor”, celebrou o educador.

De acordo com o planejamento da Semed, até a próxima semana as 81 escolas municipais já terão recebido os fardamentos. No total, cerca de 15 mil alunos serão beneficiados.


Vereador Jailson silencia parlamentar após discurso contraditório na Câmara de Simões Filho


Depois de quase um mês de muita especulação, discussão e embate político, em sessão ordinária na tarde da última terça-feira (05), na Câmara de Vereadores de Simões Filho as contas do ex-prefeito Eduardo Alencar, no exercício de 2015 finalmente foram aprovadas.

Com 10 votos contra e 08 a favor, os opositores do ex-gestor não conseguiram derrubar o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que julgava as contas favoráveis com ressalvas, já que para prevalecer o parecer do TCM seriam necessários apenas 08 dos 19 votos válidos na casa.

Com a ausência do vereador Manoel Carteiro, foram considerados apenas 18 votos, e desse total a maioria já teria anunciado anteriormente qual seria sua posição. No entanto, o vereador Arnoldo Simões, candidato de segundo mandato consecutivo, eleito pelo coeficiente do Partido Republicano Brasileiro (PRB), acabou surpreendendo a bancada quando proferiu já em seu discurso a preferência pela reprovação das contas.

De acordo com Arnoldo, o parecer do TCM não deveria ser considerado, porque ele acredita que “o Tribunal queria fazer vista grossa”, atribuindo ressalvas àquilo que para ele seriam irregularidades.

Arnoldo ainda disse que o ex-prefeito não usou o dinheiro público com responsabilidade e por isso sua posição seria contrária a aprovação das contas. “Nós temos que ter responsabilidade nesse momento porque é dinheiro nosso, meu e seu. Se nós não tivermos responsabilidade com o dinheiro nosso, nós vamos deixar sair pelo ralo, como aconteceu”, pontuou Arnoldo.

Alguns minutos depois o vereador Jailson Soares (Jajai) subiu à tribuna, e estendendo sua fala diretamente ao nobre colega, relembrou que no ano anterior, Arnoldo estaria na bancada contribuindo com a aprovação das contas de Eduardo no exercício de 2014, ainda que o TCM as julgasse reprovadas.

“O vereador Arnoldo estava aqui em 2016 quando as contas de 2014 vieram do TCM reprovadas e ele votou a favor. Pra vocês avaliarem o tamanho da contradição da pessoa. É preciso chegar aqui na tribuna e saber do que está se falando”, salientou Jajai.

Jailson ainda fez questão de ressaltar que o voto a favor das contas não o coloca na condição de opositor ao prefeito Diógenes Tolentino, mas considerando que ele fez parte da gestão anterior como vereador da base aliada, toda a responsabilidade atribuída à má administração pública cabe também a ele e aos demais vereadores de segundo mandato consecutivo.

“Eu não estou aqui nem contra nem a favor do prefeito Diógenes Tolentino. Eu estou aqui para votar as contas de Eduardo Alencar em 2015 e é bom que isso fique claro. Eu fui líder do governo na gestão anterior e tenho minha consciência tranquila. Voto a favor porque fiz parte do governo, e se o governo erra, nós que fizemos parte também erramos junto”, concluiu Jajai.