Estudante de direito entra com ação na justiça para reduzir salário de prefeito, secretários e vereadores em Simões Filho


Em entrevista concedida à rádio Simões Filho FM 87.9, sob o comando do radialista Jairo Mascarenhas, o estudante de direito e cidadão simõesfilhense Paulo Sérgio Pessoa, falou sobre uma representação que ele protocolou junto ao Ministério Público, mostrando as ilegalidades do ato, no qual foi criado na Câmara de vereadores o aumento dos salários dos vereadores, do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários municipais.

De acordo com Paulo, embora o legislativo tenha autonomia para aprovar os aumentos de salários, o erro aconteceu no período em que se deu o ato, tendo em vista que a aprovação deveria ser feita no início de 2016 e não no final do mandato, tornando a ação uma irregularidade constitucional.

“A Lei de Responsabilidade Fiscal fala que faltando 180 dias para se terminar aquela legislatura não se pode alterar as contas para o próximo mandato, ou seja, faltando 6 meses não se pode onerar os cofres públicos para a próxima gestão”, explicou ele que ainda considera a ação “um ato insano e inconstitucional”.

Ainda de acordo com Paulo alguns vereadores teriam feito um acordo com os gestores atuais para aprovar os aumentos de salário, tendo em vista o retorno para a casa legislativa, ainda que não tivessem conquistado a vitória nas eleições. Par que isso ocorresse, um dos parlamentares de mandato deveria ser nomeado secretário para que outro suplente voltasse ao pleito.

“Aconteceu uma articulação nos bastidores no período da transição de governo, inclusive a aprovação não foi registrada no livro de ata nem a Simões Filho FM foi convocada para transmitir a sessão, no sentido de não chamar a atenção da população”, disse Paulo.

O estudante de direito conta que diversas escolas do município estão liberando os estudantes mais cedo por falta de merenda escolar. Então a “prioridade seria beneficiar as crianças, que na maioria das vezes saem de casa sem o café da manhã e não aumentar o salário do prefeito” que hoje ganha aproximadamente R$ 27 mil.

Perguntado sobre sua posição política, Paulo disse que não é oposição ao prefeito Dinha, mas que como cidadão e estudante de direito ele presa pelo cumprimento da Lei e o respeito à sociedade.

“Os políticos tem que acordar e entender que não se deve utilizar a máquina pública em benefício próprio. A máquina pública é para atender os anseios da população, porque a sociedade é o patrão do funcionário público, é o patrão do prefeito e dos vereadores”, afirmou.

O futuro advogado revelou ainda que pelo fato do prefeito Dinha ter sensibilizado a população durante toda a campanha política, pregando os princípios da moral e da ética, ele esperava que o prefeito assim que assumisse a gestão administrativa da cidade anulasse a aprovação dos aumentos de salário, no entanto, estão se completando os 100 primeiros dias de governo e até agora nada foi feito.

Após o recebimento da representação o Ministério Público deverá se pronunciar em ate 15 dias, transformando o documento em uma denuncia. Se acatada pela justiça a denuncia deverá anular os salários, reduzindo-os aos valores antigos, como aconteceu nas cidades de Camaçari e Remanso, no interior da Bahia.


Prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino apresenta dados alarmantes em seus primeiros 100 dias de governo


O prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino realizou na tarde desta segunda-feira (10), na Câmara de vereadores, uma audiência pública para prestação de contas dos seus 100 primeiros dias de governo.

Na oportunidade, Dinha afirmou que a avaliação do seu inicio de governo não foi tão positiva quanto ele gostaria, mas que com o apoio dos vereadores, bem como de todo o seu secretariado e especialmente da população, o quadro de decadência em que ainda se encontra o município será revertido tão logo.

Na concepção de Dinha, muita gente tem torcido para que a sua administração não dê certo, porém segundo o alcaide, não falta vontade do seu grupo em fazer de Simões Filho uma cidade com mais oportunidades e melhor de se viver.

“Aqueles que estão achando ou torcendo que não vamos fazer um bom governo, podem ter certeza, que a vontade do prefeito e de todos os secretários é que a cidade seja cada vez mais promissora. Nós vamos trabalhar firmes pra isso”.

Durante sua apresentação Dinha voltou a dizer que encontrou a prefeitura em completa desordem, e fez o comparativo de quanto a dívida externa do município cresceu descontroladamente nos últimos 8 anos.

De acordo com os dados apresentados, em 2008 o município devia um valor bruto de 30 milhões, em 2010 o valor quadriplicou chegando ao total de 129 milhões, em 2012 passou para 157 milhões, em 2014 220 milhões e em 2016 300 milhões.

Além da divida externa, Diógenes fez questão de relatar a situação em que se encontra o prédio da prefeitura, com equipamentos sucateados e péssima aparência física. O prefeito contou que se sente “envergonhado quando recebe visitantes de outros municípios”.

Dinha disse ainda que não fez questão de realizar nenhum contrato emergencial como a constituição permite, porque essa é uma prática adotada por vários gestores mal intencionados, que se utilizam da situação para desviar verbas dos cofres públicos. Por esse motivo resolveu manter alguns contratos da gestão anterior por um período de seis meses, mesmo sabendo que muitos deles não atendem as verdadeiras demandas da população.

“O Ministério Público Federal entende que este é um procedimento que dá margem para que os mal intencionados desviem dinheiro público, então o que nós preferimos? Não fazer emergencial”, explicou o cacique.

Além do já exposto, o chefe do executivo também pontuou outras questão que segundo ele representam um verdadeiro descaso com a população, como o desordenamento do trânsito.“Nós encontramos um trânsito extremamente caótico, com diversos semáforos no chão, mas estamos fazendo um levantamento pra começar a estruturar”, revelou.

Também foram citadas as quadras poliesportivas, que de acordo com o prefeito estão todas infrequentáveis e a situação da limpeza urbana, que segundo Dinha terá o seu contrato reestruturado para melhor atender a população.

Por fim, Diógenes enfatizou que diversas secretarias estão com processos de licitação abertos, e que muito em breve a população começará a deslumbrar os serviços que foram propostos em seu plano de governo, onde também será possibilitada a compra de matérias escolares, remédios e outros itens de extrema importância para o bem estar do simõesfilhense.


Idosos reclamam de dificuldades para pegar tickets de peixe em Simões Filho


Uma aglomeração de idosos pode ser vista na manhã desta segunda-feira (10), em frente ao Centro Social de Simões Filho. A situação ocorre por conta da entrega dos tickets da tradicional doação de peixes para a celebração da Semana Santa.

De acordo com informações as filas que podem ser vista de longe, comportam cerca de 150 idosos que precisam primeiro pegar uma senha de atendimento, para depois aguardar o recebimento do ticket.

Em depoimento, uma idosa de 74 anos, disse que não agüentava mais aguardar debaixo do Sol quente e que a situação é considerada absurda por todos que precisam passar por este transtorno, já que pela Constituição Federal os idosos deveriam ter prioridade.

“Essa situação é muito desagradável, já estou com muita dor de cabeça. Estou aqui desde as 09h da manhã, me deram uma ficha e até agora estou aqui”, contou a idosa.

“Pra você vê que pra agente conseguir alguma coisa aqui em Simões Filho tem que passar por esta humilhação”, afirmou outra idosa moradora do bairro Jardim Eldourado.

Conforme previsto na Lei Municipal Nº 1013/2017, que dispõe sobre a doação de peixes às famílias carentes de Simões Filho na semana santa, sancionada pelo Prefeito Diógenes Tolentino os peixes serão entregues à famílias carentes – aquelas cuja renda familiar mensal por pessoa seja maior ou igual a metade do salário mínimo mensal.

As pessoas inscritas no Cadastro Único do Município, bem como os idosos e as pessoas com necessidades especiais, qualquer que seja a renda familiar delas, também deverão receber os pescados.

No último sábado (08) os vales foram distribuídos entre os beneficiários do Programa Bolsa Família, em escolas e postos comunitários em diversas localidades espalhadas pelo município.


Terceiro macaco é encontrado morto em Simões Filho


Mais um macaco foi encontrado morto em Simões Filho neste domingo (9/4). Segundo informações de moradores da Rua Jota Simões, 7° Travessa localizada no Bairro Pitanga de Palmares, esse é o terceiro animal que aparece morto na região. Com casos confirmados na Bahia a população está bastante preocupada.

“Ele estava no pé de Jamelão e de repente já caiu morto onde nos estávamos”, disse Cristiana, em uma publicação feita por “Pitanga no Ar” – um perfil da comunidade no Facebook, que chamou atenção da Secretaria de Saúde de Simões Filho alertando sobre o caso. 

O Simões Filho Online entrou em contato com a Vigilância Sanitária e Proteção a Saúde de Simões Filho que informou que uma equipe de zoonoses foi enviada ao local.

O órgão municipal recomenda que caso a população encontre algum animal doente ou morto, entre em contato com a equipe de zoonoses da Vigilância e Proteção à Saúde o mais breve possível  pelo número 71 3296-1704.

No último dia 31 de março, dois macacos, da espécie ‘Mico’, primata não humano, foram encontrados mortos em bairros diferentes de Simões Filho – um no Bairro Ilha de São João e outro no quintal de uma residencia no Bairro Cia 2. Em ambos os casos, os macacos não tinham sangue ou vísceras, por isso, não foi possível a realização de exames para verificar as causas da morte desses animais.

Vacinas

A Secretaria Municipal de Saúde informou que recebeu 1.150 doses de vacinas contra a Febre Amarela. O novo lote de vacinas deverá ser distribuído em 14 postos de saúde do município a partir desta segunda-feira (10/4). Entre as unidades onde a vacina deve ser disponibilizada estão os postos de: Simões Filho I, Coroa da Lagoa, Ponto Parada, Santo Antônio Rio das Pedras, KM 30, Ilha de São João, Mapele, Pitanguinha, Aratu, Palmares, Góes Calmon e Cristo Rey.

Já em Camaçari recebeu reforço de 30 mil doses de vacina contra febre amarela, enviadas pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab). A medida é uma ação preventiva, adotada por conta da confirmação da doença como causa-morte de quatro macacos encontrados nas localidades de Monte Gordo e Sucupira, ambas situadas na zona rural de Camaçari.

Em Alagoinhas, a 107 quilômetros de Salvador, o Governo disponibilizou mais 100 mil doses de vacinas, após um caso confirmado no povoado de Calu, zona rural da cidade.

Na capital baiana, quatro animais já tiveram a confirmação da presença do vírus da febre amarela. Eles foram localizados nos bairros de Ilha Amarela, Vila Laura, Paripe e Itaigara. Depois da confirmação dos casos, as Secretarias Estadual de Saúde (Sesab), anunciaram a liberação de 400 mil doses extras da vacina contra a doença no dia (29/3). Outros dois macacos com indícios de contaminação pelo vírus foram resgatados na Avenida Vasco da Gama e no Parque da Cidade, no Itaigara, na manhã desta quinta-feira (30), em Salvador. Os animais foram resgatados pelo Grupo Especial de Proteção Ambiental (Gepa) da Guarda Civil Municipal de Salvador (GCM).

Macaco não transmite doença

Vale salientar que os macacos são vítimas da febre amarela assim como os seres humanos. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de uma pessoa infectada para outra pessoa.

Os sinais e sintomas mais comuns da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer icterícia (olhos e pele amarelados), insuficiências hepática e renal, manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

Autor: Simões Filho Online


Tiros em diversos bairros marcam final de semana em Simões Filho


Neste final de semana, algumas localidades como Tiro Seguro, Coroa da Lagoa, Km 30 e Palmares tiveram ocorrências de violência entre a noite de sexta-feira (07) e a madrugada do domingo (09). Nas ruas, medo e silêncio marcam a mudança na rotina dos moradores.

Na noite da sexta-feira (07) o corpo de um homem, identificado como Douglas David de Jesus, de 20 anos, foi encontrado em um matagal localizado no distrito de Palmares. De acordo com a Polícia Militar o rapaz foi assassinado por volta das 22h, com vários tiros pelo corpo, inclusive na região da cabeça, sem chance de defesa

No Km 30 foi registrada a morte do borracheiro identificado como Jonas Costa da Silva, de 25 anos, baleado durante a madrugada do sábado (08), dentro de sua própria residência.

Na mesma localidade a Polícia Militar informou que realizava rondas após uma intensa troca de tiros no bairro São Mguel, quando avistaram dois elementos em atitude suspeita e ao realizarem a abordagem, encontraram com um deles um revólver calibre 38 e uma pistola 9mm com 11 munições.

Segundo a Polícia, Samuel Ramiro de Jesus, 26 anos, Fernando Lima Oliveira, 23 anos e Sergio de Jesus Lima, 33 anos foram apresentados na 22ª Delegacia Territorial de Simões Filho.

Já nas comunidades de Tiro Seguro e Coroa da Lagoa embora a troca de tiros tenha sido intensa, conforme relato dos moradores, até o momento a informação é de que uma pessoa ficou ferida e não teve sua morte confirmada.