Simões Filho: Medicina preventiva é reforçada com projetos sociais e de humanização no Hospital Municipal

 [soundcloud soundcloudurl=”https://soundcloud.com/silvio-souza-mapelenews-598222033/simoes-filho-medicina-preventiva-e-reforcada-com-projetos-sociais-e-de-humanizacao-no” ][/soundcloud] A APMI (Associação de Proteção à Maternidade e a Infância de Castro Alves), empresa que administra o Hospital Municipal de Simões Filho; ao longo da gestão busca aprimorar o compromisso com a responsabilidade social. Sob a deliberação da diretoria, a Unidade de Saúde desenvolve a conscientização e sensibilização sobre o atendimento hospitalar … Leia Mais


Quilombolas do Rio dos Macacos denunciam agressão

O imbróglio entre os quilombolas e a Marinha vem da disputa judicial pela área Moradores da área remanescente de quilombo Rio dos Macacos,  em Simões Filho (Grande Salvador), denunciaram agressão que teria ocorrido na terça-feira, 24, de marinheiros que atuam na localidade. A Marinha contesta a denúncia. Segundo Rosimeire dos Santos, quilombola, a agressão foi … Leia Mais





Questão de Ordem: Presidente da Câmara avalia manifestação da Sociedade Civil como ‘movimento político’


 [soundcloud soundcloudurl=”https://soundcloud.com/silvio-souza-mapelenews-598222033/questao-de-ordem-presidente-da-camara-avalia-manifestacao-da-sociedade” ][/soundcloud] Após representantes da sociedade civil se manifestar contra a condução da revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), em tramitação na Câmara de Vereadores de Simões Filho e cobrar a ampliação da participação popular, o Chefe do Legislativo, Joel Cerqueira (PT), disse acreditar em ‘um momento de avaliação política’, onde os manifestantes querem fazer uso da oportunidade para ter um ‘certo prestígio’; com relação aos projetos discutidos na Casa.

O projeto de matéria urbanística com a expectativa de ser votado nesta terça-feira (24) foi novamente retirado de pauta, após a leitura do documento final do Projeto e Parecer Conjunto das Comissões Permanentes de Justiça, Finanças e Obras e ênfase nas emendas de supressão.

De acordo com Joel Cerqueira, o Projeto do Executivo enviado à Câmara em outubro do ano passado, algumas vezes foi tirado de pauta e no período ocorreram 7 audiências públicas, sendo que 3 foram realizadas pela Prefeitura; antecedendo o período de tramitação pela Casa.

Para a equipe de reportagem, Cerqueira afirmou que houve ‘democracia por parte da Câmara’ na condução do Projeto de Lei que envolve proposições que visam melhorar o crescimento da cidade.

“Uma comunidade não se sentia contemplada e os Vereadores, através, de uma emenda suprimiram o artigo que iria criar uma macrozona estratégica em uma área rural”, esclareceu o Presidente referindo-se às comunidades do Vale do Rio Itamboatá.

Considerando que os parlamentares representam uma parcela significativa da população simõesfilhense, Joel discordou da declaração dos manifestantes de que a Casa estaria negando o direito de ouvir as reivindicações e anseios das comunidades. Ele ainda considerou como ‘democracia’ o posicionamento dos demais edis que ao ser votado o Projeto definirão o ‘sim ou não’.

Apesar do clima tenso no Plenário e o ato de protesto da sociedade civil, o Presidente da Câmara revelou que viu como um ‘movimento natural e atípico por conta das eleições’.

“Muitos movimentos políticos irão se fazer presente na Câmara”, afirmou ao relatar ter visto alguns pré-candidatos a Vereadores no meio dos manifestantes. Ainda de acordo com ele, a Mesa diretora vem conduzindo os trabalhos no ‘rigor do regimento interno’ e caso o ruído continuasse a interferir no andamento dos trabalhos; a sessão seria cancelada.

Ele ainda explicou que não é permitido a ‘interpelação no Plenário da Casa no decorrer das sessões ordinárias’ e isso não pode virar uma prática dos vereadores dialogarem com o público.

“Isso gera um descontrole na sessão e não podemos ser pautados por questões vindas da galeria da Câmara”.

O Chefe do Legislativo disse ainda que se for necessário a retirada de pessoas que estejam prejudicando o andamento da sessão, o regimento interno lhe concede o direito de até fechar o Plenário da Casa e fazer uma sessão. “Espero que não aconteça isso e que haja a compreensão de todos para que os direitos sejam respeitados”.

“Para garantir o direito das pessoas assistirem os debates, caso haja a interferência de alguém prejudicando o andamento da sessão, a penalidade é a retirada da pessoa do Plenário da Casa”, advertiu Cerqueira que em entrevista   revelou a estratégia de informar o público presente sobre o regimento interno, através, da distribuição de folhetos.

“Vamos nos reunir [Vereadores] essa semana para ter um consenso e que as decisões tomadas sejam para o bom andamento dos trabalhos e de forma consensual”, concluiu.


Simões Filho: SETRAN e VLI realizam ação educativa na linha férra nesta quarta (25)


O encerramento do “Maio Amarelo” em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), com a ação inédita de uma ‘simulação de acidente ferroviário’; deverá também ampliar a conscientização da popular para as recomendações com a segurança no trânsito. A ação acontece nesta quarta-feira (25), às 10h, na linha do trem que corta a Av. Washington Luiz e o Parque Continental.

De acordo com informações da Prefeitura, às 09h, o trânsito será interditado na localidade, entre a saída do Hospital Municipal e a Panificadora Pão San e agentes da SETRAN sinalizarão um caminho alternativo para que o fluxo de veículos na região possa fluir tranquilamente sem provocar maiores transtornos à população.

Durante a atividade, serão distribuídos materiais, contendo informações importantes sobre os cuidados no entorno da linha férrea como: não andar e nem estacionar veículos próximo à linha, evitar jogar lixo ou qualquer outro objeto nos trilhos e não atravessar os cruzamentos sem observar as recomendações de segurança: Pare, Olhe e Escute.

A ação é uma parceria celebrada entre a Prefeitura de Simões Filho (PMSF), através da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SETRAN), a empresa Valor Logística Integrada (VLI), administradora da Ferrovia Centro-Atlântica, Polícia Militar da Bahia, Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Durante toda a semana serão realizadas mini palestras para os funcionários que atuam nas ferrovias, no trânsito e para os servidores públicos municipais.


Simões Filho: Representantes da Sociedade Civil manifestam contra Revisão do PDDU e defendem participação popular


 [soundcloud soundcloudurl=”https://soundcloud.com/silvio-souza-mapelenews-598222033/simoes-filho-representantes-da-sociedade-civil” ][/soundcloud] Representantes da sociedade civil de Simões Filho se expressaram contrários acerca do processo de revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano – PDDU, que seria votado na Câmara de Vereadores na manhã desta terça-feira (24). Cobrando ‘participação popular’ e com cartazes nas mãos, membros de instituições localizadas no Vale do Itamboatá; como a Fundação Terra Mirim, Quilombo Dandá e também a Associação Pétalas de Rosas do bairro da Pitanguinha conseguiram chamar a atenção dos parlamentares e o Projeto de Lei de nº 019/2015 mais uma vez foi retirado de pauta.

13295127_1718288761760614_2126733474_n

De acordo com os manifestantes, a retirada do projeto de pauta configura uma conquista da luta pelo fortalecimento da cidadania, mas ainda assim, externaram o descontentamento por considerar que a Casa Legislativa faltou com o direito de voz solicitado, através, de um ofício.

“Está tudo sendo feito sem a participação da comunidade e falta informação e cidadania. Sem cidadania não existe democracia”, declarou Daniela da Fundação Terra Mirim.

Na tentativa de chamar a atenção e sensibilizar os Vereadores, os manifestantes viraram às costas e protestaram com cartazes em mãos.
Na tentativa de chamar a atenção e sensibilizar os Vereadores, os manifestantes viraram às costas e protestaram com cartazes em mãos.

Integrada ao Vale do Rio Itamboatá, a Fundação Terra Mirim e mais 8 comunidades que ficam localizadas próximas a BA-093, criticaram a forma que o processo de revisão do PDDU vêm sendo conduzida pela Câmara de Simões Filho. “O que está por trás deste projeto é a priorização do capital que vem de fora”, disse Severiano José também da instituição.

Para uma das líderes do Quilombo Dandá a grande preocupação é com a agricultura familiar que pode ser prejudicada, além da perda de uma riqueza, que segundo ela, a área que fica localizada a água São Sebastião poderá acabar com o desenvolvimento de empresas no local.

Para a equipe de reportagem, as representantes da Associação Pétalas de Rosas, Regina e Neuma questionaram a falta de informações detalhadas para as comunidades, no sentido de que só o povo conhece as necessidades vivenciadas, além da necessidade de ampliar a divulgação das audiências públicas para a consolidação da democracia e participação popular.

Conforme o entendimento de Daniela da Fundação Terra Mirim, o Projeto apresenta diversos vícios e representa um retrocesso em matéria ambiental, participação social e gestão democrática.


Integração entre ônibus de Simões Filho e metrô é ampliada a partir de domingo (29)


A partir do próximo domingo (29), todas as linhas de ônibus de Simões Filho e demais cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS) com destino à Lapa via BR-324, estarão integradas ao metrô no terminal do Retiro. A integração com as linhas metropolitanas está em vigor desde janeiro, no Retiro e após decisão da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), foram fundidas e reduzidas para quatro: 869I (Barra-Simões Filho), 826A (Góes Calmon-Retiro), 872 (Ilha de São João-Pituba), além da linha 875 (Areia Branca-Terminal Retiro).

As cinco outras linhas que chegam a Salvador Via BR-324, com destino à Lapa, também passam a se integrar a partir do próximo domingo (29). As linhas que também integram cidades da RMS são: 803A2 (Nova Dias D’Ávila–Barroquinha), 861 (Mata de São João-Barroquinha), 805A (Madre de Deus-Barroquinha), 800A (Camaçari-Barroquinha), 809 (Candeias-Barroquinha).

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedur), Carlos Martins, o tempo de integração foi estendido de duas para três horas “por determinação do governador Rui Costa, que entendeu que o passageiro precisava de mais tempo para garantir o benefício, sem correr o risco de ser prejudicado por eventuais engarrafamentos”.

Com a extensão do tempo para fazer a integração, o passageiro não pagará nada além do valor da passagem do ônibus metropolitano para realizar a integração com o sistema metroviário.

 “Com apenas uma passagem, o passageiro da Região Metropolitana terá acesso ao ônibus e ao metrô, optando pelo cartão que preferir e com a tranquilidade de poder contar com três horas de integração”, garantiu o secretário.

No próximo domingo (29), também passa a valer a interoperabilidade dos cartões, ou seja, o Metropasse dará acesso ao metrô e o cartão será aceito nos ônibus metropolitanos.

Ainda de acordo com a Sedur, no sentido ônibus-metrô, o valor total da passagem será debitado no primeiro uso, no acesso ao ônibus metropolitano. Já no sentido contrário, será descontado R$ 3,30 ao passar o cartão no sistema do metrô e o valor restante (variável de acordo com cada linha) será debitado ao passar o cartão no ônibus metropolitano.


Simões Filho: Produtos da Agricultura Familiar integram alimentos da merenda escolar


A merenda nas escolas da rede municipal de ensino de Simões Filho contará com produtos da agricultura familiar. Legumes, grãos, raízes, hortaliças, entre outros produtos integram os alimentos provenientes do Programa Nacional de Alimentos Escolares (PNAE), por meio da chamada pública que definiu a Associação de Produtores Rurais do Guerreiro.

No dia 09/05 por meio das secretarias de Educação (SEMED) e Agricultura (SEAGRI), a associação vencedora foi definida.

A Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009, determina que no mínimo 30% do valor repassado aos estados, municípios e Distrito Federal pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), deve ser utilizado na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações.

De acordo com a Prefeitura, a ideia do programa é “contribuir com o rendimento escolar dos estudantes da educação infantil, ensino fundamental, médio e educação de jovens e adultos (EJA), através da formação de hábitos alimentares saudáveis com ações de educação nutricional balanceada”.

Na última segunda-feira (23), os produtores rurais da associação vencedora, realizaram a entrega de uma amostra dos legumes e hortaliças na cantina central da SEMED e os itens passarão por uma análise da equipe nutricional do município.

Em Simões Filho, a Associação de Produtores Rurais do Guerreiro é a primeira entidade local que será contratada para prestação do serviço referente ao PNAE.