Sob lágrimas do Céu: Assustados com a violência que toma conta de Simões Filho, estudantes realizam Caminhada da Paz

Estudantes do Colégio Municipal Padre Luiz Palmeira e Colégio Estadual Alberto Siva, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), na manhã desta quinta-feira (10), realizaram uma “Caminhada da Paz” pelas principais avenidas do centro da cidade. O município nos últimos dias vem enfrentando momentos de medo e angústia com o crescimento desenfreado da … Leia Mais



Estudantes de Una e Simões Filho ocupam escolas contra PEC que limita investimentos


Um colégio em Una, no Litoral Sul baiano, foi ocupado por estudantes contra a PEC 55 [a mesma PEC 241 aprovada na Câmara] e o projeto de reforma do ensino médio. Caso seja aprovada, a PEC 55 pode congelar investimentos públicos, incluindo educação e saúde, por até 20 anos.

Estudantes de Una e Simões Filho ocupam escolas contra PEC que limita investimentos

Os alunos disseram que vão ficar no local por tempo indeterminado. Segundo o G1, a ocupação foi confirmada nesta quarta-feira (9) pela assessoria da secretaria de educação do município. Um estudante do terceiro ano da escola afirmou que mais de trinta alunos estão acampados no local sem data para se retirarem.

Em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), estudantes também ocuparam o Centro Estadual de Educação Profissional em Servicos e Processos Industriais Irmã Dulce. Eles também criticam a PEC. Em nota, a secretaria de educação de Simões Filho declarou que respeita o movimento dos estudantes secundaristas.


Por conta de projetos para Habitação, município de Simões Filho deverá ganhar mais um CEP


Para acompanhar o vetor de expansão projetado para o município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), nos próximos anos, principalmente, após projetos encaminhados para o Ministério das Cidades e que primam pela continuidade das articulações que deverão ser adotadas pelo novo Governo Municipal, a partir de 2017, para atender a demanda de  moradias de cerca de 30 mil pessoas de renda baixa, um novo Código de Endereçamento Postal (CEP), deverá ser adotado no município.

Atualmente todo o território simões-filhense, possui um só CEP, o 43700-000 e com mais uma nova codificação, a medida irá facilitar a distribuição de correspondência do município que dentro de sua região se apresenta com um grande potencial de crescimento, e surpreendente vetor de expansão, sobretudo, pela questão logística e que favorece à aproximação com a principal via federal, Porto de Aratu, Centro Industrial de Aratu, Polo Petroquímico, rodovias estaduais, entre outros modais.

Devido ao crescimento, as articulações para implantação do novo CEP, partiu de uma junção da Câmara Municipal de Vereadores com o Poder Executivo, onde foi criado uma Comissão. “Fizemos vistorias, tivemos algumas dificuldades, mas por fim, conseguimos levantar mais de 3.500 logradouros em todo o miolo do centro de Simões Filho”, esclareceu em entrevista exclusiva ao “Mapele News”, o secretário de Habitação Virgílio Daltro.

A planta que já foi entregue pela pasta da Habitação contou ainda com a colaboração da SEDUR – Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e da CONDER – Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia.

Em entrevista, Daltro revelou que o Correios já mandou uma listagem e todas as providências já foram desenvolvidas pela secretaria.

A implantação do novo código se justifica ainda pela necessidade de expandir o crescimento, através, do Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS), após estudo que identificou cerca de 47 áreas com ocupações desordenadas no município e com o levantamento feito  pela atual gestão, fortalecer a possibilidade do novo governo ampliar a questão de moradias em Simões Filho para a população de baixa renda a partir de 2017.


Simões Filho: Projetos encaminhados podem garantir quase 10 mil novas moradias; entenda


Com a expectativa de entrega dos 4 empreendimentos construídos pelo programa ‘Minha Casa Minha Vida’, em parceria com a Caixa Econômica Federal, em Simões Filho até meados do mês de dezembro, conforme anúncio do Secretário de Habitação, Virgílio Daltro nesta quarta-feira (09), projetos alternativos para atender a demanda de cerca de 30 mil pessoas que ainda necessitam de moradia no municío já foram encaminhados para o Ministério das Cidades, através, da articulação e trabalho do atual gestor público e que necessitará dar  continuidade pelo novo governo municipal, a partir de 2017.

32432362

O Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS), desenvolvido em Simões Filho, através da pasta em parceria com outras secretarias, além do apoio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (SEDUR) e Companhia do Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (CONDER), identificou 47 pontos de ocupações desordenadas na cidade. O estudo levantou áreas ocupadas desordenadamente, palafitas, loteamentos irregulares que foram analisados para fazer parte do projeto para viabilizar o vetor de expansão de Simões Filho.

Virgílio Daltro disse ainda que o projeto que tem como finalidade beneficiar a população de baixa renda, após a fase de conclusão do levantamento e encaminhamento para o Governo Federal, através, do Ministério das Cidades, deverá garantir quase 8.000 novas moradias à população.

650x375_minha-casa-minha-vida-apartamentos-feira-de-santana_1585805

Conforme a linha de explicação sobre o importante projeto, o secretário exaltou a boa vontade do atual prefeito, Eduardo Alencar no que se refere ao posicionamento de ter lhe dado independência para buscar os projetos que agregarão avanços no setor de habitação, sobretudo, pela necessidade de atender a demanda que ainda é alta com cerca de 30 mil. “O Plano Local de Habitação de Interesse Social vai facilitar para que o novo governo busque esses projetos com o Governo Federal”, afirmou Daltro.

“Espero que esse legado conquistado a nova gestão atenda e coloque em prática”, completou.

O projeto inclui novos residencias que deverão ser construídos nos bairros de Simões Filho I e em Santa Rosa. Entre os novos empreendimentos que estão no projeto já estão identificados os nomes.

Serão os empreendimentos: Cedro e Sapucaia, ambos com 4.000 unidades habitacionais, Parque das Rosas com 1.800 unidades, Monte Sinai com 1.480 unidades e o projeto Platô I, II, III, IV, além do V, VI, VII e VIII com 2.200 unidades habitacionais, totalizando 9.480 novas moradias. O projeto encaminhado deverá ser implementado no novo governo municipal, a partir de 2017. Não há previsão para o início das construções destes empreendimentos.


Secretário de Habitação esclarece previsão de entrega de residenciais do ‘Minha Casa Minha Vida’; confira


Após a divulgação da lista com as 600 pessoas contempladas do Residencial Ipitanga, localizado no bairro Simões Filho I, na quinta-feira, 03 de novembro, seguem as reuniões e vistorias até a próxima sexta-feira (11). As famílias sorteadas para o empreendimento do programa do Governo Federal ‘Minha Casa Minha Vida’, após concluir a fase de assinatura de contratos; aguardam  a entrega de chaves. Conforme informações apuradas pela reportagem, a fase final deverá acontecer juntamente com o Residencial Alvorada, também localizado no mesmo bairro e com possível previsão de entrega das 1.524 unidades habitacionais para meados do mês de dezembro.

“Ambos os empreendimentos [Ipitanga e Alvorada], deverão ser entregues na mesma data”, revelou o Secretário de Habitação Virgílio Daltro para a reportagem do “Mapele News”, em entrevista nesta quarta-feira (09).

Segundo o gestor da pasta da Habitação, nos próximos dias a Caixa Econômica deverá enviar para a secretaria, a listagem e data do sorteio do Residencial Alvorada que ainda é composto por dois equipamentos comunitários, uma Creche e uma Unidade Básica de Saúde. O sorteio seguirá as determinações que reforçam a transparência com a presença de representantes do conjunto. Serão 924 unidades habitacionais que serão sorteadas para o Residencial Alvorada.

“Acredito que até meados de dezembro todos os empreendimentos serão entegues à população simoes-filhense”, pontuou Virgílio Daltro.

Com relação aos empreendimentos Parque Universitário I e II, ambos localizados no bairro Vida Nova, o secretário de Habitação esclareceu que os atrasos se deram por conta de um problema da Coelba com a Embasa. “Uma pessoa invadiu o local da Estação de Tratamento de Esgoto, onde o caso foi resolvido, através da justiça pela Caixa, mas que já está sendo finalizado”, disse.

Ainda de acordo com gestor técnico na área de Habitação, caso ambos os empreendimentos, Parque Universitário I e II não forem entregues ainda este ano, a população deve ficar despreocupada. “Todos terão ciência do número e bloco de seus apartamentos para acabar com as especulações”, concluiu.

Durante a vistoria, os futuros moradores acompanhados dos construtores, observam se os apartamentos estão com tudo em ordem.

 


Permissionários do transporte público de Simões Filho realizam manifestação neste momento


O município de Simões Filho registra neste momento por volta das 10h:30, da manhã de quarta-feira (09), um clima de grande agitação. O trânsito se encontra engarrafado devido uma manifestação dos permissionários do transporte público que reivindicam do poder público e da justiça uma medida contra o transporte considerado por eles “clandestino”, na cidade.

https://fb-s-d-a.akamaihd.net/h-ak-xlp1/v/t34.0-12/

A manifestação iniciou na Avenida Elmo Serejo Farias, principal via de mobilidade para o centro da cidade até o Ministério Público.

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t34.0-12/

“Nós precisamos nos mobilizar para dizermos que somos contra o transporte clandestino e que não dar direito à mobilidade do povo”, externou um permissionário.

https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t34.0-12/

Ainda de acordo com os organizadores da manifestação, “eles não aguentam mais a quantidade de veículos que fazem o transporte clandestino”. “ Estamos com a renda defasada; sem poder pagar nossas contas”, completou outro permissionário.

https://fb-s-d-a.akamaihd.net/h-ak-xlp1/v/t34.0-12/

Ainda de acordo com o movimento, o tom da manifestação também reinvidica a questão da segurança pública. “Já são 5 veículos queimados e o município se encontra muito violento”, declarou.15032217_1141506232593477_3901579864153996449_n