Decreto de Bolsonaro libera compra de fuzil por qualquer cidadão

O decreto que regulamenta e facilita o porte e a posse de armas no país, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 7 de maio, vai permitir que qualquer cidadão compre um fuzil. Segundo o Jornal Nacional, da TV Globo, a compra passaria a ser possível a partir da nova classificação estabelecida no texto. No documento, se aumenta em … Leia Mais



Governo federal propõe redução do subsídio do Minha Casa, Minha Vida

O governo federal quer reduzir sua parte num subsídio do programa de moradia popular Minha Casa Minha Vida (MCMV). Conforme o Uol, a proposta é cortar de 10% para 3% a participação do governo num subsídio chamado “desconto”, dentro do orçamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Isso tiraria R$ 630 milhões … Leia Mais


Governo corre risco de ficar sem dinheiro para Bolsa Família

Sem um bom relacionamento no Congresso, o governo corre o risco de ficar sem dinheiro para pagar benefícios assistenciais, como o Bolsa Família, a partir do segundo semestre. Parlamentares têm resistido em aprovar um crédito extra no valor de R$ 248,9 bilhões solicitado pela equipe econômica de Jair Bolsonaro, que pede urgência na liberação para … Leia Mais



Lúcio Mauro morre aos 92 anos com problemas respiratórios


O ator e comediante Lúcio Mauro morreu, nesse sábado (11), aos 92 anos. A informação foi confirmada pelo filho dele, o também ator Lúcio Mauro Filho, que não divulgou informações sobre o sepultamento e o velório.

Foto: Divulgação / Globo

O pai estava internado na Clínica São Vicente, na Zona Sul do Rio de Janeiro, há cerca de dois meses. Com problemas respiratórios, ele não resistiu ao tratamento.

Natural do Belém, no Pará, Lúcio de Barros Barbalho deixou um total de cinco filho, quatro netos e a esposa Ray Luiza Araújo Barbalho.

CARREIRA

Na Globo desde 1966, o ator estreou no programa de humor TV0-TV1, segundo o G1. Ao longo da sua trajetória na emissora, ele criou e dirigiu o humorístico “Balança Mas não Cai” (1968) e participou de atrações, como “Alô Brasil, Aquele Abraço” (1969), “Chico City” (1973), “Os Trapalhões” (1989) e a “Escolinha do Professor Raimundo” em sua versão original de 1990.


Prefeitura de Lauro de Freitas decreta situação de emergência


A prefeita Moema Gramacho (PT) assinou, neste sábado (11), o decreto declarando situação de emergência para as áreas afetadas em Lauro de Freitas. A cidade está sofrendo desde a sexta-feira (10) com fortes chuvas, que acabaram causando grandes alagamentos e desabrigaram centenas de pessoas.

Alguns moradores em situação de risco foram retirados em barcos. “Com isso, será necessário receber apoio do Governo Estadual e Governo Federal para atender as necessidades da população, como cestas básicas, kits dormitório, materiais de limpeza e higiene, além do bolsa aluguel. Continuamos nas ruas acompanhando de perto e somando esforços para garantir a segurança dos munícipes”, avisou a prefeita em seu perfil no Instagram.

Bocão


Balanço geral: Chuva provoca alagamentos e desabamentos em Salvador, Lauro de Freitas e Simões Filho


A chuva que atingiu Salvador, Lauro de Freitas e Simões Filho, provocou diversos transtornos nas cidades. Na madrugada deste sábado (11), até por volta das 8h da manhã, foram registradas 46 ocorrências. Destas, 30 foram por alagamento de imóveis, 10 desabamentos de terra, 1 desabamento de muro.

Ocorreram também 1 desabamento parcial de muro, 2 árvores caídas e 1 com ameaça de queda. Não há registro de feridos em nenhuma das ocorrências.

A Defesa Civil informou que em Salvador, a chuva se concentrou mais nos bairros de Jardim das Margaridas, São Cristóvão, Musssurunga e Itapuã.

Em Lauro de Freitas, também foram registrados diversos pontos de alagamento, desde à tarde da sexta-feira (10), quando a chuva começou. Um desses locais foi a Avenida Luiz Tarquínio, uma das principais do município. Além disso, a ponte sobre o Rio Ipitanga, na cidade, foi interditada, porque o nível da água subiu com a chuva.

Ainda segundo Informações sobre Lauro de Freitas, o superintendente Defesa Civil (Codesal), de Lauro de Freitas, Edenilton Félix, conhecido como Russo, declarou ao “BNews” que o município pode declarar situação de emergência em função da forte chuva que atinge a região desde sexta-feira (10). “A gestão municipal está avaliando os danos e fazendo a retirada das famílias de suas casas por meio de barcos. Vamos levar essas famílias para escolas para na próxima segunda-feira encaminhá-las para o aluguel”, declara.

Foram registrados 28mm de chuva até a manhã deste sábado (11). Mas, segundo Russo não há registro de vítimas até o momento. “Vamos nos reunir com a prefeita [Moema Gramacho] para avaliar os danos de decidir se vamos decretar ou não situação de emergência”.

Segundo ele, a Lagoa da Base é uma das regiões mais atingidas. A reportagem também recebeu um vídeo que mostra moradores sendo resgatados com barco na 2° Travessa Mario Ogando da Silva, em Portão.

Russo informa ainda que o situação de emergência se fará necessário para trazer recursos e ajudar na questão dos desabrigados, além de tudo o que venha favorecer a população.

Já na cidade de Simões Filho, a chuva que caiu vem causando transtornos para a população. Bairros da cidade apresentaram diversos pontos de alagamento, quedas de árvores e deslizamento de terras.

Na Rua dos Desabrigados, no Ponto de Parada, Avenida Paulo Souto, no Bairro Eucalipto e KM 30, por exemplo, ficaram intransitáveis, durante a madrugada e com diversos pontos de alagamentos.

Na Rua Teive Argolo, também no Ponto de Parada, diversas casas também foram alagadas. A mesma situação ocorreram em Góes Calmon, Oitizeiro, Simões Filho 1, Campo do Vasco que registraram inundações.

Segundo previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o tempo deve permanecer nublado com fortes pancadas de chuvas. A temperatura deverá variar entre 20ºC a 26º.


Mais de 2 milhões ainda não sacaram abono salarial ano-base 2017


A menos de dois meses para o fim do prazo, cerca de 2,34 milhões de trabalhadores que recebem até dois salários mínimos não sacaram o abono salarial ano-base de 2017. A data final para o saque é dia 28 de junho.

Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, o montante ainda não sacado soma R$ 1,53 bilhão. Os trabalhadores que não retiraram o benefício equivalem a 9,49% do total.

A maior parte dos benefícios não sacados está na Região Nordeste, onde 642.074 trabalhadores ainda não retiraram o abono. No entanto, o estado com o maior volume de esquecimentos é o Rio Grande do Sul, com 584,1 mil benefícios não retirados.

Tem direito ao abono salarial quem estava inscrito no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2017, recebendo até dois salários mínimos. Além disso, é preciso que os dados do trabalhador tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Os empregados da iniciativa privada sacam o abono do PIS nas agências da Caixa Econômica Federal. Os servidores públicos e empregados de estatais devem fazer a retirada em qualquer agência do Banco do Brasil. O abono salarial ano-base 2017 começou a ser pago em 26 de julho de 2018.

O valor a que cada pessoa tem direito depende do tempo trabalhado formalmente no ano-base. Quem trabalhou por apenas 30 dias em 2017 pode sacar o valor mínimo, que é de R$ 84, o equivalente a 1/12 do salário mínimo. A quantia sobe 1/12 por mês trabalhado até atingir um salário mínimo (R$ 998), para quem trabalhou durante todo o ano.

O trabalhador que não fizer o saque no prazo estabelecido – até 28 de junho, deverá  buscar orientações em uma das unidades de atendimento da Secretaria de Trabalho ou entrar em contato com a Central de Atendimento 158 para se informar sobre como proceder.

Por: Marcelo Camargo/Agência Brasil


Vítimas de assaltos dentro de ônibus podem receber indenização; entenda


Situação cada vez mais comum em Salvador, os assaltos de ônibus geram diariamente medo e dor de cabeça aos passageiros. Em 2018, foram aproximadamente 1.400 casos registrados na capital baiana, de acordo com números da Polícia Militar. Entretanto, o que pouca gente sabe é que em algumas situações as vítimas podem receber indenização pelos prejuízos causados.

Segundo o artigo 22 do Código de Defesa do Consumidor, as empresas responsáveis pela prestação de serviço são parcialmente responsável pela segurança dos passageiros. O CDC diz que “os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos”.

Procurado pelo Varela Notícias, Iratan Villas Boas, diretor de fiscalização do Procon-BA, afirmou que tudo depende da forma como ocorreu o assalto, mas esclareceu que é possível ser ressarcido pelos danos. Para ele, a indenização pode ser recebida quando as empresas de ônibus deixam de cumprir protocolos de segurança, como permitir o acesso de baleiros sem identificação ou parar fora do ponto para o acesso de terceiros.

“Tudo vai depender do assalto. Falar que as empresas são responsáveis não é muito fácil. Depende de cada caso, como aconteceu o problema. Se um motorista para fora do ponto e recebe um cidadão que anuncia o assalto, a empresa colaborou de forma ínfima com o problema, porque se tivesse parado no ponto consequentemente o assaltante não entraria, logo o roubo não aconteceria. Nesses casos, o direito entende que as empresas são responsabilizadas. As decisões do nosso judiciário responsabilizam as empresas de ônibus são responsáveis quando alguns deveres de segurança não são cumpridos”, afirmou.

O diretor de fiscalização do Procon-BA, no entanto, reforçou que para receber indenização é necessário comprovar que houve algum tipo de irregularidade no cumprimento de deveres referentes à segurança, caso contrario não é possível responsabilizar a empresa.

Segundo ele, quando as medidas de segurança são respeitadas, como parar no ponto de ônibus, as câmeras estão em funcionamento e o acesso de passageiros ocorrem exclusivamente nos pontos cadastrados, trata-se de um problema de segurança pública, um fato fortuito externo que não pode ser controlado.

“Se você atende as normas de segurança de forma rígida, a culpa não é sua. O problema de segurança pública é nacional. É impossível controlar, porque qualquer pessoa comum pode anunciar o assalto. Se um motorista para no ponto, recebe os passageiros no meio da viagem e um meliante disfarçado puxa a arma e anuncia o assalto durante a corrida, a empresa de ônibus não tinha como prevê nem controlar isso. Ela não tinha como resolver, pois trata-se de um problema social. É um fato fortuito externo, que afasta a responsabilidade da empresa”, afirmou.

Caso seja comprovado alguma irregularidade da empresa prestadora de serviço, a vítima necessita fazer um boletim de ocorrência informando quais itens foram roubados durante o assalto e procurar o Juizado Especial de Pequenas Causas para mediar uma solução.

Mas vale ressaltar que em caso de roubo de coletivo, a vítima pode denunciar através do número (71) 3117-6637. Todas as mensagens serão feitas sob sigilo em um linha fixa vinculada à própria rede do Estado.

Valera Noticias