Planalto Chama Moraes para explicar antecipação da Lavo Jato

O presidente Michel Temer chamou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para que ele compareça ao Planalto e explique suas declarações sobre a Operação Lava Jato um dia antes da fase que culminou com a prisão do ex-ministro do PT, Antonio Palocci. Além de Moraes, Temer também chamará outros ministros que têm dado declarações … Leia Mais


Bancários voltam negociar após 21 dias de greve

A Fenaban (braço sindical da Febraban, associação que representa os bancos) marcou para esta terça-feira (27) uma nova rodada de negociação salarial com os bancários, em uma tentativa de por fim à greve da categoria. A última conversa ocorreu no dia 15 de setembro. Nesta segunda, a paralisação dos bancários chegou ao 21º dia, retomando … Leia Mais


Sem repasse, Caixa não vai poder usar FGTS no Minha Casa, Minha Vida

O Ministério das Cidades esclareceu que desautorizou a Caixa Econômica Federal a usar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no financiamento do Programa Minha Casa, Minha Vida, caso não haja repasse da União para a contratação de novos empreendimentos. Em nota, o Ministério das Cidades esclareceu que a instrução normativa, publicada … Leia Mais


Ex-ministro Antonio Palocci é preso em nova fase da Operação Lava Jato

O ex-ministro Antonio Palocci foi preso durante a 35ª da Operação Lava Jato. A PF (Polícia Federal) confirmou a realização de uma nova fase da Operação Lava Jato nesta segunda-feira (26). O nome desta nova etapa é “Omertà”. Palocci é alvo porque teria pedido, através do doleiro Alberto Youssef, R$ 2 milhões da cota de … Leia Mais


Número de aposentadoria aumenta 16,5% no ano

O impacto das greves do INSS e a insegurança sobre o que virá com a reforma da Previdência levaram a um aumento nas concessões de aposentadoria. Segundo dados da Previdência Social, o número de benefícios no período de janeiro a agosto foi de 3,539 milhões – 16,5% superior ao de igual período do ano passado, … Leia Mais


Rui Costa inaugura HGE 2 com 161 leitos


A partir desta terça-feira (27), a segunda unidade do Hospital Geral da Bahia começa a funcionar. Localizado no bairro de Brotas, o HGE 2 fica ao lado do HGE1.

A estrutura do HGE 2 conta com uma sala para transplantes e Centro de Queimados, que foi transferido do HGE 1 para o novo prédio, como ressaltou o diretor médico André Luciano, na manhã desta segunda-feira (26), quando a unidade foi inaugurada com a presença do governador Rui Costa, do secretário de Saúde, Fábio Vilas Boas, e deputados federais.

A expectativa é que com o HGE 2 diminua o tempo de espera no atendimento de vítimas de traumas, como acidentes de carro, perfurocortantes e emergências cirúrgicas. Em coletiva de imprensa, Rui Costa afirmou que os equipamentos do HGE 2 são de ponta. “São equipamentos de última geração, da mesma marca dos melhores hospitais do Brasil, inclusive particulares”, ressaltou, assinalando que a ala de queimados é uma das mais modernas.

Geração de emprego – Rui Costa também assinalou que como HGE 2 foram gerados 1.100 empregos. “Se nós tivéssemos instalado uma fábrica geraríamos entre 200, 300 ou 500 empregos. Com o HGE 2 são 1.100 empregos para pais e mães de família”, contabilizou.

O HGE 2 tem 161 novos leitos, sendo 52 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – oito são para crianças e quatro para queimados. Cerca de 200 médicos vão trabalhar no local, além de outros profissionais de saúde. A unidade terá 11 salas de cirurgia. O investimento para a construção da unidade foi de R$ 86 milhões.

O hospital pode atender casos de cirurgia geral, traumato-ortopedia, queimados, cirurgia oftalmológica (proveniente de trauma) e cirurgia plástica reparador. Informações do Bocão News.


Midia Local: A quem interessaria um racha, qual a influência dos veículos na decisão do eleitor???


Os veículos de comunicação, cada um a sua linha editorial, com importante participação no dia-a-dia das comunidades da RMS. O Editorial tende a ser mais próximo de determinada corrente política da situação, ou oposição. Protegidos pela liberdade de imprensa e de expressão, os profissionais e veículos dão a sua contribuição para a disseminação dos diversos pensamentos políticos e suas, diversas, variáveis…

Uma nova ferramenta de comunicação, whatsapp, incluiu e deu voz para que todos opinem, comentem, formulem e, sintam-se inclusos no grupo dos pensadores, articuladores, formadores de opinião e participes dos mais variados debates, com o risco de se disseminar cenas de violência, calúnias, e a falta de um controle da veracidade, procedência das informações compartilhadas, trazendo o risco de detonar-se carreiras políticas e reputações…

Simões Filho está diretamente envolvida no “frenesi” eleitoral, e com um movimento, que deve ser encerrado, profissionais da mídia, comentam e expõe o trabalho, de outros veículos, através de comentários de extrema infelicidade. É preciso cuidado, pois um racha na mídia, não beneficiará os veículos, ao contrário, só nos fragilizará diante dos que assumirão o poder, quer seja o atual grupo da situação, ou a oposição.

Segundo especialistas esses são os principais itens que podem influenciar a decisão dos eleitores:

Proximidade ideológica

O eleitor tende a escolher o candidato que apresenta um discurso ou um plano de governo coerente com sua “visão de mundo”.

Pragmatismo

Outro fator de influência é a capacidade de articulação política do candidato e se ele apresenta propostas concretas para problemas como saúde, segurança e educação.

Opinião de pessoas públicas

Quando alguma autoridade ou pessoa com reputação pública indica algum candidato, há uma tendência de legitimar determinada candidatura, influenciando na decisão do eleitor.

Avaliação do governo vigente

Se a gestão municipal for bem avaliada, o eleitor, em geral, não possui perspectiva de mudança do prefeito. Em caso de má avaliação da gestão, a tendência é que a oposição seja beneficiada. Essas situações de aprovação ou rejeição interferem na escolha.

Reputação do candidato

As características pessoais que o político consegue transmitir influem no voto. Uma imagem de honestidade e responsabilidade pesa na escolha.

Meios de comunicação

A mídia influencia indiretamente no voto. Por veicularem informações sobre as eleições e possíveis escândalos, os meios de comunicação auxiliam o eleitor a tomar consciência da corrida eleitoral.

Voto de protesto

Votos definidos com base no carisma dos candidatos são aleatórios por serem subjetivos e, por isso, com pouca consistência política. Em geral, as pessoas simpatizam com a aparência ou gostos do candidato. Já no caso do voto de protesto, o eleitor escolhe o candidato pelo discurso “antipolítico”, como ocorreu na eleição de Tiririca (PR) como deputado federal por São Paulo, em 2010.

Propaganda eleitoral na tevê e no rádio

A influência do horário eleitoral gratuito na tevê e no rádio tem reduzido, mas ainda apresenta as candidaturas para a população, o que, de certa forma, tende a interferir na votação.

Resultado das pesquisas eleitorais

Alguns grupos de eleitores levam em consideração os resultados das pesquisas, que apresentam as intenções de voto em cada candidato e os índices de aprovação e rejeição.

Atrapalha ou influencia pouco na escolha do eleitor

O percurso histórico do político

A trajetória na vida política não importa. Especialistas avaliam que o eleitor não é influenciado pela atuação política do candidato antes do pleito em que ele concorre. O eleitor brasileiro tende a direcionar a atenção aos acontecimentos recentes.

Vida do candidato

Antes de se tornar candidato, a vida pessoal e/ou profissional do político costuma não fazer diferença na hora da escolha.

Discurso radical de mudança

De acordo com especialistas, o eleitor brasileiro acerca-se de um padrão de político que, normalmente, relaciona-se com formação universitária e classe social. Nesses casos, discursos de mudança e radicalismo ideológico afastam-se do padrão simbólico de político consolidado no Brasil.

Julgamento do mensalão

O eleitor brasileiro tende a associar o caso do mensalão com o âmbito federal e não vê ligação com aspectos municipais. Assim, o julgamento deverá ter pouco impacto nas eleições municipais — mas pode gerar mudanças no comportamento dos candidatos.

Fontes: Cientistas políticos Adriano Codato (UFPR), Carlos Strapazzon (Grupo Dom Bosco), Doacir Quadros (Uninter), Leonardo Barreto (UnB) e Marco Rossi (UEL)

Fonte: Imprensabahia


Simões Filho: Multidão sai às ruas para saudar os irmãos Alencar e confirmar vitória de Jomar Paraki


A coligação “A Força do Trabalho”, encabeçada pelo candidato Jomar Paraki (PSD), desfilou na principal avenida do bairro de Estrada de Candeias no início da noite deste sábado (24). Com a concentração no final da localidade até à Praça da Bíblia, uma multidão saiu às ruas e de acordo com organizadores, mais de 12 mil pessoas marcaram presença no evento que reuniu personalidades políticas como o Senador da República Otto Alencar (PSD-BA), o prefeito Eduardo Alencar (PSD), o ex-prefeito Edson Almeida (PT), o atual vice-prefeito Neco Almeida, o Presidente do Desenbahia Otto Alencar Filho e diversos candidatos ao Legislativo Municipal. Também com a presença do jovem candidato ao cargo de vice-prefeito, Denyson Santana (PROS), a oportunidade registrou positiva adesão da população, militantes e simpatizantes da chapa governista.

14440951_1766167926972697_8280274360919482499_n

Junto com Denyson Santana e demais forças políticas presentes, o candidato a prefeito Jomar Paraki foi recebido nos braços do povo e ao conduzir em apenas 10 dias a campanha, avaliou o cumprimento da agenda como uma “reunião de humildade, esperança, adesão popular e certeza de que seu grupo político possui as condições para lutar por melhorias em diversos setores, além de defender os direitos dos trabalhadores em parceria com o Senador Otto Alencar que é contra ao projeto do presidente Michel Temer (PMDB), que quer mudar a legislação trabalhista”.

14390686_1766169033639253_6057581110248321485_n

A multidão agitou a grande caminhada e a plenos pulmões ecoava o jingle de campanha: “Jomar é trabalho, é desenvolvimento, é emprego, é família, é amigo, é respeito, é o verdadeiro novo”.

“Com apenas 10 dias de campanha, o vento sopra ao nosso favor e tenho certeza da vitória”, afirmou Jomar Paraki na Praça da Bíblia e aproveitou para fazer uma avaliação na escolha do candidato à vice. “Tenho certeza que o jovem Denyson Santana vai cuidar da juventude de nossa cidade”, acrescentou.

Ao discursar para a multidão, o cidadão simõesfilhense, Jomar Paraki contou que nasceu em um município pobre, estudou em um colégio de padre e devido à situação da família, muitas das vezes não tinha a terceira refeição do dia. Com muita coragem veio à capital baiana, onde foi discriminado e com muito esforço e empenho aos estudos, conseguiu ser aprovado no vestibular da UFBA. Logo após, trabalhou como supervisor de vendas na empresa Coca Cola e promovido à diretoria, o empresário trouxe a empresa para o município.

14440791_1766167883639368_6272802979763634282_n

“Trouxe a fábrica para Simões Filho para dar emprego ao nosso povo”, disse. Com um complexo que abriga cerca de 170 empresas; gerando mais de mil empregos diretos e indiretos, para a equipe de reportagem, Jomar disse que os “avanços em todos os setores” serão prioritários e ao lado de Denyson Santana vai “trabalhar com uma gestão participativa e que prioriza a busca da geração de emprego e renda, desenvolvimento social, educação, saúde e acima de tudo segurança”.

O candidato a vice, Denyson Santana em seu discurso, disse que a “humildade e o pé no chão, fará com que a coligação vença as eleições no dia 02 de outubro”. “Quero ser um vice para está ao lado de Jomar para trabalharmos pelo povo de Simões Filho”, completou.

14390827_1766167900306033_8985394735222823485_n

O ex-prefeito Edson Almeida considerou a caminhada como “extraordinária”, ao revelar “nunca ter visto tanta gente reunida”. “Simões Filho não precisa trazer prefeito de fora para dizer que temos capacidade de trabalhar”, alfinetou sem nominar o gestor público que participou da caminhada do grupo da oposição.

Surpreso com a expressiva adesão popular no evento político, o presidente do Desenbahia, Otto Alencar Filho, disse que irá fortalecer a parceria em prol do desenvolvimento da cidade. “Com certeza Jomar Paraki será um grande prefeito e não vai faltar recursos para transformar Simões Filho”, garantiu.

1000638_1766168040306019_5740406744286113644_n

Em entrevista à equipe de reportagem, o candidato a prefeito Jomar Paraki revelou que caso a população garante a oportunidade de conduzir o destino de Simões Filho, irá trabalhar e fazer o melhor pela cidade.

“Simões Filho tem um grande potencial industrial, comercial e invejável capacidade de crescimento que deve ser aproveitada. Vamos criar políticas para atrair e garantir a instalação de indústrias na cidade, que vão gerar novas vagas de emprego. Vamos buscar investimentos para ampliar o desenvolvimento econômico e social, além de maximizar o suporte com a segurança pública, enfim, vamos criar um ambiente favorável porque sabemos do potencial do município, inclusive, nos setores do turismo e gastronômico”, concluiu.


Centro de Convenções estará liberado para perícia no início da semana


O Corpo de Bombeiros realizou, na manhã deste sábado (24), o processo de análise de risco de parte da estrutura do Centro de Convenções da Bahia (CCB) que desabou na noite de sexta-feira (23). Foi utilizado pelos militares um drone para filmar, sem risco para o efetivo, as áreas comprometidas.

Em nota, o governo do estado informou que a parte danificada será liberada para perícia 72h após a ocorrência, quando estará garantida a estabilidade da estrutura.

O procedimento foi coordenado pelo comandante-geral do CBM, coronel Francisco Telles, e acompanhado pelo secretário estadual de Turismo, José Alves, por peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) e integrantes de instituições de Defesa Civil.


Sem alarde, governo recua e dá sobrevida a artes e educação física


O texto da medida provisória sobre a reforma do ensino médio publicado nesta sexta-feira (23) no “Diário Oficial” da União pela gestão Michel Temer (PMDB) traz uma mudança que, ao menos de forma temporária, coloca novamente como obrigatórias as disciplinas de artes, educação física, sociologia e filosofia nessa etapa de ensino.

A publicação no “Diário Oficial” traz uma alteração no texto, em relação à minuta distribuída na quinta-feira pelo Ministério da Educação. A pasta diz que nunca houve a intenção de eliminar as disciplinas, e que a versão divulgada na quinta ainda não havia passado por revisões. Em nenhum momento, porém, o ministério comandado por Mendonça Filho (DEM-PE) anunciou esse ajuste de um texto para o outro.

De acordo com o texto oficial, a determinação da obrigatoriedade dessas disciplinas -previstas na LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação)-continua a vigorar até o segundo ano letivo posterior à aprovação da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), ainda em discussão no governo e que definirá os conteúdos para as diferentes etapas da educação básica.

A MP publicada nesta sexta-feira, que entra em vigor imediatamente e que poderá ser modificada no Congresso, cita explicitamente o fim da obrigatoriedade das disciplinas de artes e educação física e não faz menção ao ensino de sociologia e filosofia. A medida cita somente português, matemática e inglês como matérias obrigatórias em todo ensino médio.

O governo federal argumenta que, apesar de a alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação tirar a obrigatoriedade dessas disciplinas, elas deverão ser contempladas na Base Nacional Comum Curricular.

Em nota, o MEC se limitou a dizer que “a inclusão no texto do artigo 26 no artigo 4o da MP não altera o conteúdo do artigo 26. É uma formalidade para tratar do prazo referente à implantação da Base Nacional Comum Curricular, que irá definir a obrigatoriedade ou não da parte que será comum a todos.”

Pelo novo modelo da etapa proposto na MP, uma parte da grade curricular dos alunos será definido a partir da Base e o restante, a partir da escolha em áreas de aprofundamento (matemática, português, ciências da natureza, ciências humanas e ensino técnico).

Caberá às redes de ensino à oferta de ao menos duas dessas trilhas. Como a Base não está pronta, não há indicação de como essas disciplinas serão oferecidas.

Segundo um assessor do Ministério da Educação, no texto da MP enviada ao Congresso, buscou-se retirar o máximo de menções a disciplinas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação, como no caso de artes e educação física, para que isso seja tratado exclusivamente dentro na Base.

A MP ainda define que qualquer alteração de componentes curriculares não poderá ser feito pelo Congresso, mas sim pelo Conselho Nacional de Educação. O MEC ainda trabalha na revisão da Base Nacional e não há prazo para finalização da parte do ensino médio. O texto referente ao ensino infantil e fundamental deve ser divulgado neste ano. (Folhapress)