Temer espera ter 61 votos no julgamento final para afastar Dilma

Encerrada a votação nesta quarta-feira (10) do parecer que pede o afastamento definitivo da presidente Dilma, a equipe do presidente interino, Michel Temer, já comentava no final da sessão esperar obter 61 votos no julgamento final do processo contra a petista no plenário do Senado. Na sessão que terminou às 2h38 de hoje e durou … Leia Mais



Plenário aprova Julgamento do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff

Por 59 votos a 21 o plenário do Senado aprovou hoje (10) o relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) que julga procedente a denúncia contra a presidenta afastada Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. Dilma agora vai a julgamento final pelo plenário do Senado. O resultado da votação foi bastante próximo do esperado pelo governo … Leia Mais


TCE divulga relação de gestores com contas desaprovadas pelo órgão

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE-BA) divulgou na sessão desta terça-feira (9) a relação de prefeitos com contas desaprovadas pelo órgão (confira a lista na íntegra). A lista será encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) e à Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE-BA).  O presidente do TCE-BA, Inaldo da Paixão … Leia Mais


Senado vota parecer de Anastasia e decide se Dilma vai a julgamento

Os senadores se reúnem hoje (9), a partir das 9h, para começar a analisar em plenário o parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) a favor da pronúncia da presidenta afastada Dilma Rousseff por crime de responsabilidade, em razão da assinatura de decretos de suplementação orçamentária e da realização de operações de crédito entre o Tesouro … Leia Mais


Menino morre afogado após tentar capturar ‘monstrinho’ do Pokémon Go


Um menino de nove anos morreu afogado na tarde dessa segunda-feira, em Imbé, litoral norte do Rio Grande do Sul, após entrar em um barco para tentar capturar um monstrinho do jogo “Pokémon Go”, que estava dentro de uma lagoa. A vítima estava com um amigo, que sobreviveu.

De acordo com o Corpo de Bombeiros da cidade, Arthur Bobsin Ferreira entrou em um bote de fibra e quando estava no meio da lagoa, desequilibrou e caiu no local — que tem aproximadamente 8 metros de profundidade. O acidente aconteceu por volta das 15h. O colega da vítima, que não teve o nome e nem a idade divulgada, contou que ambos procuravam capturar um pokémon, quando caíram da embarcação.

O corpo foi encontrado por volta das 20h, por mergulhadores e voluntários. Pelo menos, oito mergulhadores trabalharam na busca de Artur. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Osório. O caso será investigado pela Delegacia de Imbé.

Pokémon Go

O Pokémon Go é um jogo de realidade aumentada feito para smartphones. Através dele, os jogadores apontam a câmera do telefone para diversos locais e, na tela, aparecem os “monstrinhos”. O objetivo é caçar o maior número de bichos, que ficam espalhados por diversos locais de cidades.

Fenômeno mundial

Desde que chegou aos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia em 5 de julho, o “Pokémon Go” se transformou em um fenômeno. No Brasil, brincadeira foi lançada no último dia 3 de agosto. O jogo valorizou as ações da Nintendo, tornou-se mais usado que Twitter e Tinder e provocou todo tipo de fenômeno. Por conta da busca desenfreada pelos monstrinhos, departamentos da polícia por todo o mundo vem alertando para que os jogadores tomem cuidado.


Judoca Rafaela Silva dá ao Brasil sua primeira medalha de ouro na Rio-2016


A primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro é de uma carioca, nascida em uma favela e que começou a lutar em um projeto social. Rafaela Silva é a nova campeã dos leves (57kg) do judô, após bater a mongol Sumiya Dorjsuren, atual líder do ranking mundial, nesta segunda (08).

Com sua família e amigos nas arquibancadas, Rafaela cresceu com a vibração do público e reverteu um histórico incomodo: em cinco lutas contra a asiática, tinha vencido apenas uma vez, no ano passado.

Na Arena Carioca 2, Rafaela Silva conseguiu um wazari sobre a mongol e levou a luta até o final atacando e até mesmo deixando de atacar algumas vezes, o que rendeu duas penalidades, aumentando ainda mais a tensão.

Aos 26 anos, Rafaela saiu da Cidade de Deus, a comunidade carente e violenta que ficou famosa com o filme de Fernando Meireles, para se tornar a melhor judoca que o Brasil já teve. Em 2013, ela foi campeã mundial, também em sua casa, no Rio de Janeiro. Nenhum outro judoca do país tem títulos olímpicos e mundiais. Sarah Menezes, Aurélio Miguel e Henrique Guimarães têm ouros olímpicos, mas nunca venceram Mundiais. João Derly (duas vezes), Tiago Camilo, Luciano Correa e Mayra Aguiar tem o Mundial, mas não o ouro olímpico.

A história da judoca começou em uma academia montada em sua rua, quando tinha oito anos e seus pais buscavam uma atividade para acalmar a menina brigona. O destino fez com que Geraldo Bernardes, o técnico de Flavio Canto, medalhista de bronze dos Jogos de Atenas-2004, se interesse pela garota. Ela foi treinar no Instituto Reação, que Bernardes e Canto criaram para ensinar judô em comunidades carentes.

Em 2008 o trabalho já dava resultado, com o título mundial sub-20. Em 2009, foi a melhor brasileira no Mundial de Roterdã, com um quinto lugar. Em Londres-2012, porém, ela quase deixou o esporte. Eliminada por tentar um golpe ilegal, ela foi bombardeada com mensagens racistas em redes sociais. Reagiu. Quando chegou no Brasil, queria abandonar o esporte.

A família, Bernardes, Canto e uma psicóloga não deixaram. No ano seguinte, ela já era campeã mundial e líder do ranking da Federação Internacional de Judô. Nos últimos três anos, subiu ao pódio em quase todos os torneios que disputou. A primeira medalha do judô na Rio-2016 não poderia vir de uma candidata melhor.

*Uol

Temer é citado em delação, governo reage e mantém impeachment


O presidente interino Michel Temer foi citado por Marcelo Odebrecht durante acordo de delação premiada. Embora o governo tenha ficado receoso com as revelações, isso não deve alterar a votação do impeachment que está prevista para os próximos dias.

A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, destaca que a colaboração só deve ser despachada para homologação do Supremo após o julgamento.

O Planalto tem interesse em acelerar o rito de julgamento pois, quanto mais tempo levar, maior o risco de novas revelações serem feitas.

O executivo da Odebrecht também tenta um acordo com o Departamento de Justiça americano, mas o processo no Brasil está em fase mais avançada. Nos Estados Unidos, os depoimentos ainda não têm data para começar.


Defesa vai à réplica e insiste que Moro não pode julgar Lula


Em mais um capítulo da mais emblemática queda de braço da Operação Lava Jato, a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou ao juiz federal Sérgio Moro que ele é suspeito para julgar o petista. Em petição de 43 páginas, anexada aos autos da Justiça Federal, em Curitiba, os advogados do ex-presidente alegam parcialidade do juiz da Lava Jato.

Lula protocolou duas exceções contra Moro: esta de suspeição e outra de incompetência, em que alega que a investigação contra o petista não deveria ficar na mão do juiz da Lava Jato, uma vez que os supostos crimes não teriam ocorrido no Paraná. A exceção de incompetência provocou uma contundente reação do Ministério Público Federal, chamado a se pronunciar sobre os fatos, que atribuiu a Lula participação no ‘esquema criminoso da Petrobras’ e benefícios dele.

A exceção de suspeição foi ajuizada em 5 de julho. Em resposta, Moro rebateu os argumentos da defesa do ex-presidente Lula, decidiu, taxativamente, não abrir mão do caso e disse que ‘falta seriedade’ à argumentação da defesa.

Os advogados de Lula foram, então, à réplica em 4 de agosto. No documento de 43 páginas, a defesa do petista afirmou que Moro ‘não se mostra revestido da necessária imparcialidade para a cognição e julgamento da causa’ e listou 13 ‘evidências que traduzem o profundo comprometimento de sua isenção’.

O documento cita a condução coercitiva de Lula e os grampos que pegaram o ex-presidente em março deste ano. O petista foi levado pela Operação Aletheia, desdobramento da Lava Jato a depor obrigatoriamente. As interceptações telefônicas mostraram um Lula irado com a Lava Jato.

“Buscas e apreensões na residência e escritório do Excipiente e de seus familiares, com fundamentação equivocada e antecipação de juízo de valor sobre os fatos postos em controvérsia; Condução coercitiva do Excipiente, sem prévia intimação, com manifesta infringência ao disposto no artigo 260 do Código de Processo Penal; Determinação da interceptação telefônica dos terminais de titularidade do Excipiente, familiares e advogados, com afronta às regras da Lei n. 9.296/96 e à garantia constitucional da inviolabilidade das comunicações (CF/88, artigo 5º, XII)”, registrou a defesa de Lula.

A defesa anotou ainda outros motivos que tornariam Moro incompetente. “Proximidade íntima com setores da imprensa, onde ocorre vazamento sistemático de atos processuais e dados pessoais do Excipiente; Participação em eventos organizados por inimigos políticos que se opõem ao Excipiente, hostilizando-o; Edição de 03 (três) livros que tem por tema a pessoa do Excepto e a Operação “Lava-Jato” – com a presença deste em pelo menos um dos lançamentos, corroborando o conteúdo da obra inclusive em relação ao Excipiente; e Pessoal e completo envolvimento nos atos da fase investigatória, a contaminar sua imparcialidade para decidir a causa.” Com informações do Estadão Conteúdo.


Igrejas evangélicas se instalam em condomínios populares mesmo sendo proibido por lei; dono pode perder imóvel


Além de incomodar a vizinhança, o funcionamento de uma igreja dentro de apartamentos é proibido

A dona de casa Jaqueline, 32 anos, ficou abismada quando os novos vizinhos chegaram ao prédio onde mora, em Barra do Pojuca. Eles encheram a sala de cadeiras e colocaram uma placa acima da janela. Sem aviso e a qualquer hora, visitantes chegam ao apartamento e se acomodam, antes do barulho começar. É que o apartamento 001, Edifício A, do Residencial Caminho do Mar, um conjunto habitacional do programa federal Minha Casa, Minha Vida (MCMV), foi ocupada por uma filial da Igreja Batista Missionária Unidade da Fé.

Há seis meses, moradores  do Residencial Caminho do Mar 3 convivem com cultos da Igreja Essência de Deus (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

“É um inferno, uma barulheira. Tem dias que isso aí parece uma casa de veraneio, cheio de gente com mala, passam o final de semana todo aí”, diz a mulher que não quis informar o sobrenome. Ela não é a única incomodada no condomínio que fica na Estrada da Cetrel, em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador.

A vizinha dela, Renata, 47, mora lá há três anos com o marido e não vê a hora de alguém tomar uma providência. “Faz muita zoada, abala o prédio e ainda ocupam o lugar de alguém que precisa de uma casa. Não é pra ser igreja, é pra ser moradia”, queixa-se Renata.

Além de incomodar a vizinhança, o funcionamento de uma igreja dentro de apartamentos é proibido. Segundo  o Ministério das Cidades, que administra o programa MCMV, “é proibida a destinação exclusiva do imóvel para uso distinto de moradia por parte da família selecionada”.

Alugar e vender até pode, mas só depois de quitado o imóvel e, ainda assim, para fins de moradia. Não é o caso:  primeiro porque a quitação ocorre, em geral, após dez anos de pagamento das prestações – e o empreendimento foi inaugurado há  três anos. Em segundo lugar, porque, mesmo que o proprietário tenha quitado o apartamento antecipadamente, ele só pode ser usado como habitação.

Ainda segundo o Ministério das Cidades, a ocupação mista, residencial e comercial,  das unidades é permitida. “ Desde que mantidas as condições de habitação, não há impedimento ao uso misto do imóvel para melhoria da renda familiar dos beneficiários”, diz  em nota. Mas este não é o caso das igrejas no Caminho do Mar.

‘Não sabia’
O bispo responsável pela Igreja Batista Missionária Unidade da Fé, Amadeu do Rosário, mantém a matriz numa casa modesta, sem placa na frente, na Rua Luis Hage, uma via sem calçamento em São Tomé de Paripe, em Salvador. A igreja possui cadastro ativo na Receita Federal desde 1998. Procurado pelo CORREIO, o bispo Amadeu disse não saber que é proibido  igrejas em unidades do MCMV.

“Aquela casa é de uma irmã nossa que tá morando um tempo em Camaçari e a gente tá sempre fazendo culto lá. Não recebemos queixa e eu também não sabia que não podia. Vou conversar com o pastor que prega lá e vamos tomar uma providência”, disse o bispo. Segundo Amadeu, a igreja funciona no local há apenas seis meses e com cultos nos finais de semana – os vizinhos relataram a presença há mais de um ano e com cultos irregulares. “A gente fazia os cultos numa quadra que tem ali, mas deu problema e a gente começou a fazer de casa em casa, carregando as cadeiras. A irmã precisou ir para Camaçari cuidar de um parente doente e ficou com medo de invadirem a casa, aí deu pra gente fazer as celebrações”.

Mais igrejas
A Igreja Batista Missionária Unidade da Fé não é a única a funcionar no mesmo condomínio. O CORREIO encontrou mais um “templo” no Residencial Caminho do Mar 3, separado do anterior por mais prédios e um gradil. Desta vez, o alvo da reclamação dos vizinhos é a Igreja Pentecostal Essência de Deus, que também ocupa um apartamento 001, de um Edifício A.

Pelo lado de fora, dá para ver as cadeiras e uma cortina. Mas o CORREIO não localizou os responsáveis pela congregação. Um morador do mesmo prédio diz que a nova vizinhança se instalou lá há seis meses. “O pior que tem aqui é essa igreja”, diz o rapaz, que não quis se identificar.

A vizinha dele, a comerciante Valdelice de Jesus, 60, conta que a pastora responsável pela igreja   mora no condomínio, mas não no mesmo prédio onde o templo funciona.

Bem em frente à Igreja Pentecostal do Caminho do Mar 3, no gradil que separa os prédios da Estrada da Cetrel, há outra faixa: “Primeira Igreja Batista Nacional Eloi”. Esta também está registrada na Receita Federal. E o endereço registrado também é no Minha Casa, Minha Vida, desta vez no Caminhos do Mar II, sem indicar edifício ou apartamento.

Segundo a missionária Vanice Rodrigues, que congrega na igreja, o local não tem endereço fixo porque ainda não possui sede. “O nosso trabalho está sendo feito nas casas dos fiéis e no centro comunitário, que fica no Caminho do Mar 3. Por enquanto, estamos tentando a liberação de um terreno para construir a igreja, porque é proibido funcionamento nos apartamentos”, disse.

MPF não tem denúncias; dono pode perder imóvel
Apesar das queixas dos vizinhos, não há registros de denúncias junto ao Ministério Público Federal (MPF) sobre o funcionamento das igrejas no Caminho do Mar ou em qualquer outro conjunto do MCMV na Bahia. É para o MPF que vão as denúncias, depois de uma triagem ser feita pelo Ministério das Cidades, que avalia a pertinência delas.

“Eu recebo aqui denúncias de fraude no sorteio, de construção de puxadinhos, de demora, mas nunca recebi de igrejas. A responsabilidade aí, em princípio, é do dono do imóvel. A outra parte (a igreja), vai sofrer por ser interditada e paralisada, mas a pessoa que é dona pode perder o imóvel, já que está fazendo mau uso”, explica o procurador regional dos Direitos do Cidadão, do MPF na Bahia, Leandro Nunes.

Segundo ele, casos como esse podem ser denunciados no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) ou no próprio MPF, pessoalmente.

Condomínios sem infraestrutura
Quem vive em condomínios do Minha Casa, Minha Vida tem queixas em comum. A principal delas é a ausência de infraestrutura e serviços próximos dos residenciais. No Bosque das Bromélias, em Salvador, por exemplo, os moradores acabaram criando um bairro: tem barracas de frutas, verduras, bares improvisados, mercadinhos, assistência técnica, boxes de perfumaria, em meio às 2,4 mil unidades.

Muitos dos serviços funcionam dentro das unidades habitacionais, ao mesmo tempo em que o dono do imóvel mora nele. O CORREIO visitou o condomínio e encontrou até um circo montado próximo ao quiosque e à quadra de esportes que serve como área de lazer para os mais de seis mil moradores. E foram eles quem autorizaram a instalação do circo por lá.

Foram os moradores também que conseguiram junto à prefeitura uma linha de ônibus que leva de lá até a Estação Mussurunga todos os dias. Do contrário, teriam que ir a pé pegar ônibus às margens da Estrada do CIA.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Habitação e Defesa Civil de Salvador, Paulo Fontana, a prefeitura disponibilizou linhas de ônibus e trocou a iluminação dos condomínios mais recentes do programa na capital – Ceasa 1 e 2 e Coração de Maria, e também já trabalha para instalar creches. Postos de saúde e escolas, no entanto, cabem, segundo ele, ao governo federal.

Em Barra do Jacuípe, a falta de infraestrutura também atrapalha a vida. O posto de saúde construído ao lado  ainda não funciona. A escola e creche, que deveria ter sido inaugurada em 2015, não está pronta. Em nota, a prefeitura de Camaçari disse que entregará os três equipamentos neste mês.

Para sair de lá, muitos pais e mães precisam usar o ônibus do transporte escolar, já que a única linha que passa pelo local circula das 6h às 20h e tem poucos veículos. O CORREIO ficou cerca de duas horas no local e apenas dois ônibus passaram pelo condomínio. O jeito é pagar R$ 4 no chamado “ligeirinho”, um serviço clandestino com carros particulares