Mulher morre após levar choque em máquina de lavar no Ceará

Uma mulher de 35 anos morreu, na tarde desse domingo (13), após levar um choque em uma máquina de lavar. O caso ocorreu na zona rural do município de Sobral, no Ceará. A vítima, identificada como Fabiana Lucas, sofreu uma forte descarga elétrica na casa dos pais dela, quando foi lavar roupas no quintal. Ela … Leia Mais


Simõesfilhense se classifica entre os 10 melhores jogadores de xadrez do Brasil

Neste final de semana entre os dias 11 e 13/10, o município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), foi representado pelo enxadrista Cleberson Nascimento no Campeonato Nacional de Xadrez da LBX – Liga Brasileira de Xadrez. O evento aconteceu na cidade de Barra de São Miguel, estado de Alagoas. Na modalidade clássico, Cleberson ficou em 9º … Leia Mais


Simões Filho: Mutirão de combate ao mosquito Aedes Aegypti chega em Palmares

A Prefeitura de Simões Filho realiza nesta terça-feira (15), mutirão de conscientização popular e combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, em Palmares, a partir das 08h. A ação é coordenada pela secretaria de Saúde e acontece por meio das equipes/agentes de saúde e endemias.  A iniciativa visa à eliminação dos focos/criadouros … Leia Mais




Lado B de Irmã Dulce teve paixão por futebol, piada e o primeiro ‘toca Raul’


À primeira vista, Irmã Dulce era uma figura miúda e frágil conhecida por sua fé em Deus e devoção aos mais pobres de Salvador. Mas quem conviveu com a freira conheceu uma mulher bem-humorada que gostava de futebol, tocava sanfona, dava apelidos e fazia piadas até mesmo com presidentes da República.

Ela foi canonizada neste domingo (13), em cerimônia chefiada pelo papa Francisco, no Vaticano, após ter dois milagres reconhecidos pela Igreja Católica. Irmã Dulce (1914-1992) é a primeira santa brasileira.

A Igreja Católica anunciou em 2011 a beatificação da freira, reconhecendo o seu primeiro milagre. O caso aconteceu em 2001, em Sergipe, quando as orações à Irmã Dulce teriam feito cessar uma hemorragia em Claudia Cristina dos Santos, que padeceu durante 18 horas após dar à luz o seu segundo filho.

Em 2019, foi reconhecido o segundo milagre: depois de 14 anos convivendo com uma cegueira causada por um glaucoma, o maestro Jose Maurício Moreira recuperou a visão em 2014.

Com uma grave conjuntivite, ele colocou uma imagem de Irmã Dulce sob os olhos e suplicou que as dores cessassem. No dia seguinte, ao acordar, a nuvem esfumaçada que ele enxergava foi se dissipando e ele voltou a enxergar. Os médicos não encontraram explicação para a cura.

Filha de uma família de classe média alta, Irmã Dulce foi batizada com o nome Maria Rita. Teve uma infância considerada normal para os padrões da época, mas que foi o oposto do que se esperava de uma menina dentro da conservadora sociedade baiana do início do século 20.

Gostava de correr descalça nas ruas, fazer guerras de mamonas com os amigos, molhar-se nas fontes das praças, empinar pipa, além de jogar bola no Campo da Pólvora, um dos principais largos da região central de Salvador.

O futebol foi uma de suas primeiras paixões e serviu como válvula de escape para superar a morte de sua mãe, Dulce Maria, que não sobreviveu a uma hemorragia pós-parto quando Maria Rita tinha sete anos.

Criada a partir de então pelo pai, o dentista Augusto Lopes Pontes, sua diversão era ir ao estádio nos fins de semana ver os jogos do Ypiranga, na época o time mais popular da Bahia.

Na beira do gramado do Campo da Graça, berrava e vibrava com os gols de Apolinário Santana, o Popó, um dos primeiros jogadores negros do futebol baiano.

Na adolescência, deixou de lado o futebol e passou a se dedicar a trabalhos sociais junto com a sua tia Maria Magdalena, que a levou para visitar cortiços no bairro de Brotas.

Depois de prestar os votos e tornar-se freira, nos anos 1930, descobriu a música como instrumento de evangelização. Irmã Dulce não tinha formação teórica em música, mas tinha bom ouvido. Gostava de Beethoven e logo aprendeu a tocar harmônica e sanfona.

Na vida missionária, levava a sanfona para tocar modinhas para os presos na penitenciária onde prestava assistência social. Nos anos 1960, após fundar um orfanato na cidade de Simões Filho, animava as crianças tocando e dançando música.

Em 1947, quando atuava do Círculo Operário da Bahia, fundou o grupo musical Milionárias do Ritmo, formado por operárias e freiras. O conjunto se apresentava antes da exibição de filmes no Cine Roma, cinema fundado para arrecadar fundos para a entidade.

Para conseguir recursos para suas obras sociais, Irmã Dulce não tinha preconceito e abria espaço até para novidades como um tal rock’n’roll. Foi no Cine Roma que aconteceram as primeiras apresentações de Raul Seixas, que na época liderava o conjunto Raulzito e os Panteras.

O diretor do Círculo Operário, frei Hildebrando Kruthanp, foi contra os shows de rock no local. Mas Irmã Dulce bancou as matinês e assinou o contrato com o grupo liderado por Raul. Não há registros, contudo, de que a relação entre a futura santa e o autor de “Rock do Diabo” tenha ido além da burocracia.

Em suas empreitadas para arrecadar recursos para suas obras sociais, costumava fazer troça com os comerciantes. Uma vez, ao ir à loja de ferramentas de Abelardo Barbosa e não encontrá-lo, deixou uma carta: “Senhor Abelardo. Paz e bem! Isto é um assalto! Estou levando uma furadeira”.

Suas piadas não poupavam nem os presidentes da República. Ao presidente Eurico Gaspar Dutra (1946-1951), que afirmou à jovem freira que ela tinha ganhado um avô, não se fez de rogada: “Meu avô, sua neta está devendo muito”. E pediu 6,5 milhões de cruzeiros para finalizar a nova sede do Círculo Operário.

Ao presidente João Figueiredo (1979-1985) cobrou a liberação de recursos para a ampliação do Hospital Santo Antônio. O presidente retrucou, dizendo que precisaria assaltar um banco para conseguir o dinheiro, ao que ouviu de resposta: “Me avise que eu vou com o senhor”.

Outra face de seu bom humor era a mania de dar apelidos. A funcionária Walkíria Maciel, que se tornou sua confidente e tinha alguns quilos a mais, era chamada pela freira de “Esqueleto”. Já a freira Emerência, que já tinha passado dos 90 anos, ganhou a alcunha de “Garotinha”.

Na velhice, quando o organismo começava a fraquejar, resolveu apelidar as partes do próprio corpo: os pulmões eram chamados de “jamelengos”, as pernas de “mariquinhas” e o coração de “joãozinho”.

Aos problemas que surgiam no dia a dia buscava encará-los com espírito leve. Quando era informada por um funcionário que faltava pão, por exemplo, mandava-o rezar que o problema se resolveria.

Situação semelhante aconteceu com Bernardo Gradin, presidente da Granbio e ex-presidente da Braskem que atuou como estagiário nas obras de ampliação do hospital Santo Antônio.

A reforma foi feita pela construtora Odebrecht, mas custeada com recursos de doações. Um dia, Gradin procurou Irmã Dulce para informá-la que o cimento para a obra havia acabado.

Ela segurou a sua mão e começou a caminhar pelo hospital. Entrou na ala de pacientes com deficiência mental, onde fez carinho e deu de comer às crianças. Depois, seguiu para a capela, onde ajoelhou e começou a rezar.

Duas horas depois, olhou para o jovem estagiário e arrematou: “Você viu que Deus me deu muitos problemas para resolver. O cimento você resolve, né?”. E assim foi feito.

Por João Pedro Pitombo | Folhapress


Igreja Católica oficializa canonização de Irmã Dulce


Está oficializada a canonização da primeira brasileira, neste período mais contemporâneo, reconhecida como santa pela Igreja Católica. A baiana Santa Dulce dos Pobres ocupa agora um lugar especial na Igreja Católica. Seu culto poderá ser universal, ou seja, acontecer em qualquer país.

A cerimônia de canonização está sendo realizada na Praça de São Pedro, no Vaticano. A superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce, Maria Lopes Pontes, e a irmã da religiosa, Ana Maria Pontes também participam da cerimônia.

Um dos momentos mais emocionantes foi a hora em que o papa aceitou formalmente o pedido de canonização dos novos santos, realizado pelo cardeal Giovanni Angelo Becciu, prefeito da Congregação para a Causa dos Santos. Os brasileiros, com presença maciça de baianos aplaudiu efusivamente o anuncio.

O miraculado José Maurício Moreira participou da procissão do ofertório ao lado do médico Sandro Barral, um dos peritos que participou da comissão de verificação do milagre.

O vice-presidente da República Hamilton Mourão participa da cerimônia. O presidente do Senado David Alcolumbre, da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o governador da Bahia, Rui Costa e o prefeito de Salvador, ACM Neto e o Príncipe Charles, da Inglaterra, também estão presentes.

A TARDE


Corpo de homem é encontrado em matagal em Simões Filho


O corpo de um homem, ainda não identificado pela polícia, foi encontrado em uma área de matagal, sem sinais de violência, na manhã deste domingo, 13, na entrada do bairro de Santo Antônio Rio das Pedras em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

De acordo com a Superintendência de Telecomunicações das Polícias Civil e Militar (Stelecom), a vítima estava trajando bermuda jeans e camisa preta, segundo nota divulgada pela Polícia Militar. Ele foi encontrado próximo de um veículo Gol, de cor prata, placa JRJ-9455. Devido ao posicionamento que foi encontrado não é possível perceber marcas de violência.

O corpo foi encontrado pela polícia, por volta das 7h00, após denúncia anônima. A Setelecom, no entanto, a 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Simões Filho) não informou, até o momento, como o homem foi morto, ou se foi uma morte natural.

Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica do Estado da Bahia (DPT) esteve no local para a realização de levantamento cadavérico.

O corpo do homem será encaminhado para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), localizado no Barris, na capital baiana.

O caso será investigado pela 22ª Delegacia Territorial, em Simões Filho.


Ruas da Quadra 6 no bairro do CIA I em Simões Filho passam por intervenções de urbanização


A Prefeitura de Simões Filho vem desenvolvendo diversas ações, simultaneamente, para a melhora da infraestrutura do município. Entre elas, está as obras de urbanização de ruas no bairro do CIA I – Quadra 6, que eram aguardadas há mais de 20 anos pela população.

“Essas obras chegam para somar e contribuir para o bem-estar e qualidade de vida da nossa gente. Os moradores da Quadra 6, assim como os de outras localidades, há anos esperavam por intervenções e colocando em prática o compromisso que nos é peculiar, estamos executando mais essa intervenção”, destacou Dinha Tolentino, prefeito.

A localidade recebeu obras de drenagem, assentamento de meio fio, construção de passeios, terraplanagem e contenções, através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), contemplando o anseio da população.

Os moradores da Quadra 6 também contarão com nova iluminação, escadarias, pavimentação asfáltica e sinalização. As obras seguem o cronograma estabelecido pela Seinfra e levam em consideração as condições climáticas.


Ceasa de Simões Filho passa por melhorias na iluminação


A Ceasa de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, está ganhando uma nova iluminação como parte do projeto de requalificação conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), dessa vez em parceria com a Secretaria de Administração da Bahia (Saeb), por meio da Superintendência de Patrimônio (Supat). Serão instalados nove novos postes de iluminação, terá a modernização de 53 luminárias, a troca da infraestrutura elétrica dos postes atuais, cabeamento novo e aterramento da fiação.

“A ‘Ceasona’ vai funcionar em perfeito estado, com os devidos equipamentos instalados para a melhoria estruturante, além da manutenção rotineira do local, para dar boas condições de trabalho aos permissionários e assegurar qualidade para a circulação de fornecedores e clientes. Este é o nosso esforço e, para tanto, estamos contando com o apoio do secretário de Administração, Edelvino Goés”, afirma o vice-governador João Leão, titular da SDE.

Além da iluminação, a SDE finalizou a reforma dos banheiros da Ceasa, que já foram inaugurados. Nas próximas etapas do projeto de requalificação, ocorrerá a recuperação dos reservatórios de água, pintura, recuperação asfáltica, instalação de balança de pesagem e reforço na segurança patrimonial.