Bancários baianos decidem continuar em greve; categoria está parada há 28 dias

Os bancários baianos decidiram pela manutenção da greve, em assembleia realizada nesta segunda-feira (3). A categoria está em greve há 28 dias.o sindicato informou que os bancários não abrirão mão de aumento real, porque os bancos formam o setor mais lucrativo da economia nacional e conseguem alcançar lucros expressivos, apesar da crise. Na última negociação, … Leia Mais



Paraná é o primeiro estado a receber vacina gratuita contra dengue

A primeira vacina contra a dengue já está acessível, gratuitamente, para a população de 30 municípios do Paraná. Embora ainda não exista previsão para que outras regiões do país sejam beneficiadas pela novidade, a espera não deve ser longa. A notícia é comemorada por especialistas, mas o pesquisador João Bosco Siqueira Júnior, da Universidade Federal … Leia Mais


Cidades da RMS já têm prefeitos eleitos; confira

O resultado da apuração do pleito destas eleições já foi computado nas 12 cidades que integram a Região Metropolitana de Salvador. Dias D’Ávila Jussara (PT) – eleita com 45,46% dos votos contra 30,16% de Alberto Castro (PSDB) Camaçari Elinaldo (DEM) – eleito com 60,84% Caetano (PT) – 36,49% Candeias Dr. Pitágoras (PP) – eleito com … Leia Mais



Sob novo comando: Diógenes Tolentino é eleito prefeito de Simões Filho


Diógenes Tolentino de Oliveira, popular Dinha, candidato a prefeito pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), venceu as eleições municipais em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), neste domingo (02). O peemedebista que liderou a coligação “A Mudança Começa Agora”, confirmou a vitória à frente do socialista Jomar Paraki com a maioria dos votos. Com posse prevista para o dia 01 de janeiro de 2017, Dinha e seu vice, Sidney Serra Santana, o Sid da E-mail (PSDB), ocuparão o poder público municipal no período de 2017 a 2020.

Eleito neste domingo (02), como o novo prefeito de Simões Filho, segundo a Justiça Eleitoral, com 100% das urnas apuradas, o candidato de oposição obteve 59,38% dos votos válidos, que representa 34.304 votos.

Em segundo lugar, o candidato da base governista, Jomar Paraki obteve 28,69% dos votos válidos, o equivalente a 16.619 votos.

Quatro candidatos disputaram o mandato de prefeito. Além de Dinha (PMDB), Jomar Paraki (PSD), pela coligação “A Força do Trabalho”, César Diesel (PRB), pela coligação “Renovação de Verdade um Novo Tempo” e Gilson é Diferente (PR), sem coligação. disputaram 58.036 votos válidos. Ainda de acordo com dados do TSE, 2552 eleitores votaram em branco e 6270 votaram nulos.

Dinha votou na manhã deste domingo (02), no Colégio Padre Luiz Palmeira ao lado do candidato a vice, Sid da Email e com lideranças do seu grupo político.

“Sabemos do trabalho que foi feito e da nossa capacidade de arregimentar hoje. Nós temos, através do nosso vice, dos nossos vereadores, das nossas lideranças, um trabalho muito bem feito. Sabemos do nosso potencial, temos informações claras das pesquisas, nos dando a certeza que, ao término desse processo, sairemos vitoriosos”, afirmou o candidato no momento da votação.

O líder da oposição garantiu que fará “investimentos estruturais por toda a cidade logo após assumir a cadeira de prefeito”. “O que a gente quer é promover as mudanças para que nosso povo tenha uma vida melhor. Nosso compromisso hoje é com os simõesfilhenses, com aqueles que moram e vivem aqui e que buscam uma cidade com uma condição de vida melhor”, declarou o novo prefeito. 

Dentre as principais propostas apresentadas pelo peemedebista que com base em pesquisas realizadas pelo IBOPE, demonstrou favoritismo em torno da vitória neste pleito e contou com o apoio do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), estão ações em diversos setores, entre eles, o centro de zoonoses para evitar a proliferação de doenças e promover a proteção animal. Ainda na área da saúde, Dinha garante implantar uma Rede de Saúde da Mulher e investir na saúde dos idosos acima de 60 anos.

Com relação à educação, o novo gestor público irá implantar creches em tempo integral para crianças de 0 a 5 anos, a criação da bolsa universitária, melhores condições aos educadores do município, além da implantação da Ronda Escolar.

Na segurança, entre as ações estarão à instalação de monitoramento com câmeras nos principais pontos da cidade. Investimentos nas áreas do esporte, cultura e lazer também de acordo com o peemedebista terão prioridade.

Já com relação à Mobilidade Urbana, Dinha garante que irá melhorar a circulação da cidade com a criação de novas vias de ligação.

Biografia:

Diógenes Tolentino tem 50 nos de idade e é casado com a vereadora Kátia Cristina Oliveira (PMDB) e é pai de três filhos: Igor, Giovana e Bianca.

Dinha é o quarto filho do casal José Trindade de Oliveira (in memorian), popular Zequinha e da Sra. Edna Tolentino de Oliveira. Em 1969, com 3 anos de idade, chegou a Simões Filho e sua família tem tradição no comércio local. Na adolescência sempre foi líder e presidente de grupos estudantis onde participava das gincanas na cidade e com o grupo 86, um dos mais destacados na época, sempre obteve o 1º lugar nas disputas.

Diógenes Tolentino em 1986 foi diretor de eventos da ACOSIF e na entidade organizou a escolha dos melhores do comércio. Em 1992, foi convidado para ser diretor de futebol na liga simõesfilhense e chegou a organizar os campeonatos nos bairros, intitulado “interbairros”.

Vereador por dois mandatos, o novo gestor público eleito, foi vice-prefeito na chapa do ex-prefeito Edson Almeida (PT), no período de 2004 a 2007, onde também foi secretário de administração.


Jomar Paraki e Denyson Santana demonstram força e mobilizam uma grande multidão em Mega Caminhada pela Paz


Acompanhado de uma grande multidão, o candidato a prefeito de Simões Filho, Jomar Paraki (PSD), que lidera a coligação ‘A Força do Trabalho’, ao lado do seu vice, Denyson Santana (PROS), promoveu uma mega caminhada realizada na tarde deste sábado (01), em evento que teve início no bairro do CIA I e atraiu milhares de pessoas vestidas de branco, militantes, simpatizantes e correligionários da chapa governista. Com a presença do prefeito Eduardo Alencar e expressiva adesão popular, Jomar Paraki desfilou junto com o povo e percorreu a Avenida Elmo Serejo Farias até o centro da cidade.

Com apenas 20 dias do início da campanha como candidato ao executivo municipal, o candidato a prefeito demonstrou força política ao atrair cerca de 20 mil pessoas que saíram pela principal avenida da cidade.  O encontro teve como objetivo difundir a cultura da paz e o combate a todas as formas de violência, especialmente no período eleitoral.

Queremos mostrar que é possível, sim, fazer uma campanha limpa, sem agressões e que podemos lutar por uma sociedade mais igualitária, justa e que preza o bem de nossas famílias e faça com que as sintam-se seguras”, revelou apoiadores do candidato ligados à coordenação de campanha.

Ao lado do vice, Denyson Santana, o social-democrata que apostou na importância do calor humano faltando um dia para a eleição municipal, foi recebido mais uma vez nos braços do povo e sentiu a demonstração calorosa da população a todas as lideranças políticas da chapa majoritária e aos candidatos ao Legislativo Municipal.

“Juntos com o povo podemos sim, ampliar as condições do município de Simões Filho, investindo no desenvolvimento social, em emprego e renda, educação, saúde e principalmente segurança que é algo que muito nos preocupa e iremos colocar em prática ações em diversos setores como o esporte, o lazer, mecanismos que garantam políticas públicas à juventude, a qualificação profissional, a valorização de talentos da cidade, enfim, a construção de um teatro e diversas ações que estão no meu plano de governo e com certeza irá maximizar a onda do bem e o sentimento de amor e dedicação ao nosso povo”, declarou ao “Mapele News”, o candidato a prefeito Jomar Paraki.

O ato contra a violência registrou o desejo da população pela paz e a onda do bem inspirou o candidato a prefeito que acredita na musculatura política do grupo para ampliar mecanismos que promovam a paz na cidade.

“Estamos firmes e esta mega caminhada, representa não somente a grande vitória, mas uma festa da democracia e que demonstra a adesão da população ao nosso projeto e porque acredita na nossa musculatura política para avançar um uma gestão pública com transparência, responsabilidade e principalmente participação popular”, acrescentou.

Em histórica caminhada política, Jomar ficou impressionado com a quantidade de pessoas que participaram da mobilização e demonstrou confiança para cumprir a missão de contribuir de forma pujante para o crescimento do município, após 25 anos de experiência na gestão privada e trazer cerca de 170 empresas, ampliando consideravelmente a geração de emprego e renda no município.

“Foram 20 dias de campanha como candidato à prefeitura e hoje após cumprir diversos compromissos da agenda política, estou muito feliz e agradeço o apoio de todos os moradores desta cidade e este evento mostrou que nós temos todas as condições de trabalhar para o bem de Simões Filho. Passei em diversos bairros e localidades e sentir de perto o quanto sou o verdadeiro novo consolidado pelas famílias, comerciantes, sociedade civil que compareceram a todos os eventos e caminhadas e que me incentiva a cada vez mais lutar e trazer obras porque acreditamos sim, na força do nosso trabalho”, declarou Jomar. 

No final da caminhada, Jomar Paraki e Denyson Santana destacaram que o evento “marca o início de uma longa caminhada, através, da força do trabalho que irá priorizar incentivo e políticas públicas que ampliem o sentimento de paz à população”.


Bahia: Urnas eletrônicas começam a chegar aos locais de votação neste sábado


O transporte das urnas eletrônicas até os locais de votação começou neste sábado (1º), véspera da Eleição Municipal 2016, na capital. Em Salvador e em outros 40 municípios baianos, a definição da estratégia logística que garantirá a chegada das urnas aos locais de votação conta com apoio dos Correios.

Na capital, os trabalhos tiveram início por volta das 6h, com saída do Centro de Apoio Técnico (CAT), em Porto Seco Pirajá, onde as urnas eletrônicas estão armazenadas. Além das 20 zonas eleitorais de Salvador, seguirão a mesma linha de trabalho zonas eleitorais de mais 40 municípios, a exemplo de Alagoinhas, Camaçari, Feira de Santana, Ilhéus, Valença e Vitória da Conquista, Madre de Deus, São Francisco do Conde, Mata de São João, Pojuca, dentre outros.

Na maior parte dos municípios baianos, no entanto, o transporte das urnas é definido pelos cartórios eleitorais locais. Apenas na capital, são 643 locais de votação, 4.700 seções e 5.100 urnas eletrônicas, contando com as de reserva.

Em toda a Bahia, a Justiça Eleitoral dispõe de 9.791 locais de votação, 31.714 seções eleitorais e 35.065 urnas eletrônicas prontas para servir à população durante o pleito municipal de 2016. Para os eleitores que ainda têm dúvidas sobre o seu local de votação, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia disponibiliza o serviço Disque Título, através do telefone (71) 3373-7000, opção (1) ou (9). O Disque Título está disponível hoje, das 9h às 17h e, amanhã, 7h às 17h.


Defesa de Dilma entra com pedido no STF para anular impeachment


A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) um novo pedido de anulação do impeachment da petista, com pedido para que ela retorne ao cargo de imediato.

A peça de 481 páginas protocolada na noite de quinta-feira (29) centra-se na ausência de pressupostos jurídicos para a decisão de retirar Dilma do cargo. Ao contestar o mérito da acusação, o advogado José Eduardo Cardozo afirma que não houve crime de responsabilidade.

“No âmbito do sistema presidencialista adotado pela nossa lei maior, não se pode ter por admissível que uma maioria parlamentar, mesmo que expressiva, possa vir a decidir o impeachment de um presidente da República, sem a invocação plausível e minimamente demonstrada da real ocorrência de um crime de responsabilidade, ou sem que se respeite os princípios constitucionais do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa. Foi, porém, o que ocorreu”, afirma o mandado de segurança.

O texto do documento resgata as falas de Cardozo ao longo do processo e fala em criação de “pretextos” para aprovar o impeachment. “As acusações apresentadas na denúncia por crime de responsabilidade julgada procedente pelo Senado Federal não passam de meros pretextos retóricos invocados para se dar ‘aparência de legitimidade’ à decisão arbitrária de se cassar o mandado de uma Presidenta da República legitimamente eleita”.

O ex-ministro da Justiça também diz no pedido de anulação que o presidente Michel Temer, à época vice-presidente, articulou a condenação da petista pelo Congresso, primeiro na Câmara e, em seguida, no Senado.

“A negociação foi comandada diretamente pelo sr. vice-presidente da República, Michel Temer, desde o processamento do impeachment na Câmara dos Deputados. Não foram articulações mascaradas ou cautelosas. Foram abertas e despudoradas”.

Cardozo argumenta que a articulação para retirar Dilma da Presidência da República se deu pelos “derrotados na eleição de 2014”, que “chegavam ao poder mesmo sem ter os votos que legitimariam essa condição”.

A peça menciona ainda a atuação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no processo de impeachment. O deputado cassado é chamado de “juiz-algoz” de Dilma. “Foi, sem sombra de dúvida, a ‘mão visível’ que conduziu, durante um largo período, todo este abusivo e ilegítimo processo de impeachment”.

No mandado de segurança, com pedido de liminar, o advogado solicita que o processo seja relatado pelo ministro Teori Zavascki, “por prevenção”.

Dilma Rousseff teve o afastamento definitivo da Presidência da República aprovado pelo Senado em 31 de agosto por 61 votos a 20. Ela foi acusada de ter cometido crime de responsabilidade por atraso em repasses no âmbito do Plano Safra e de ter editado decretos de crédito suplementar sem autorização prévia do Congresso Nacional.

*Folhapress

 


Reforma da Previdência é tema primordial de pauta de longo prazo, diz Temer


O presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta sexta-feira (30), que a reforma da Previdência é um tema primordial da pauta de longo prazo do governo. Segundo ele, o governo está trabalhando para enviar ao Congresso uma proposta viável, que garanta a sustentabilidade da Previdência. Mesmo assim, ele garantiu que ninguém que já está aposentado perderá direitos. As declarações foram dadas durante o Fórum Exame, em São Paulo.

emer lembrou que o déficit do regime geral da Previdência deve atingir R$ 150 bilhões este ano e subir para algo entre R$ 180 bilhões e R$ 190 bilhões em 2017. “Se não fizermos nada, em seis ou sete anos, quando eu, aposentado, for lá no governo buscar meu benefício, eles não terão dinheiro para pagar”, comentou. “Hoje os números da Previdência não fecham e as experiências de outros países mostram os graves danos sociais de postergar reformas previdenciárias”, acrescentou.

O presidente ressaltou enfaticamente que não haverá perdas de direitos adquiridos. “Não vamos violar direito adquirido coisa nenhuma. Direitos consolidados serão mantidos. Mas quem não completou o tempo, terá de se submeter a uma nova regração.”

Segundo ele, será feito um grande diálogo com a sociedade e também com os sindicatos. “Nós já chamamos os sindicatos para conversar. Se eles não concordarem, pelo menos asfaltaremos o caminho”, explicou. Informações do Estadão Conteúdo.