Michel Temer eleva rentabilidade dos recursos do FGTS para o trabalhador

Presidente da República Michel Temer e o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, anunciaram nesta quinta-feira (10), no Palácio do Planalto, as novas regras para a distribuição do lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a 88 milhões de trabalhadores. O índice de rentabilidade, que era de 5,11% ao ano, subiu … Leia Mais


Municípios, Estados e União têm pior rombo desde 2001 no 1º semestre

Com receitas fracas e a antecipação de pagamento de precatórios, o setor público teve deficit primário de R$ 19,5 bilhões em junho e de R$ 35,1 bilhões no primeiro semestre. Ambos os resultados são os piores para esses períodos desde o início da série histórica, em 2001. O resultado primário divulgado nesta sexta-feira (28) pelo … Leia Mais


Governo Federal cancela 180 mil auxílios-doença para gerar economia

O governo federal decidiu cancelar 180 mil auxílios-doença em todo o Brasil prevendo economizar R$ 2,6 bilhões por ano, segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). O resultado diz respeito aos cancelamentos realizados até 14 de julho. De acordo com a publicação, o pente-fino do ministério foi focados em beneficiários que há mais de … Leia Mais




Petrobras volta a reduzir preço da gasolina em 1,9%, mas diesel sobe 0,7%


A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (14) um novo ajuste, com redução de 1,9% no preço da gasolina nas refinarias e alta de 0,7% no diesel. Os novos valores valem a partir deste sábado (15).

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o modelo atual, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Por conta de competidores que estavam trazendo combustíveis mais em conta do exterior, aproveitando o momento de recuperação de margens, adotado pela estatal.A estatal perdeu participação de mercado no primeiro semestre. Com isso, as refinarias da Petrobras estavam trabalhando com menores patamares de utilização da capacidade, o que significa que o custo de produção de cada litro estava saindo mais caro para a companhia.

A Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.


Três dias depois de apresentar queda preço da gasolina volta a subir


A Petrobras anunciou, nesta segunda (03), o primeiro reajuste de preços da gasolina e do diesel sob a nova política anunciada na sexta (30). Três dias após cortes de 5,9% e 4,8%, agora os preços vão subir 1,8% e 2,7%.

Os novos valores passam a vigorar nesta terça (04). A política de preços anunciada na sexta autoriza a realização de ajustes diários, com o objetivo de reduzir as oportunidades de importação de combustíveis por terceiros, que vêm roubando mercado da produção das refinarias da estatal.

Na nova política, não estão previstos comunicados ao mercado para divulgar cada reajuste. A estatal, portanto, não justificou a mudança repentina nos preços.

Os ajustes agora são definidos pela gerência de marketing e comercialização de combustíveis, desde que a variação acumulada no mês não seja superior a 7%, para cima ou para baixo.

Antes, um grupo formado pelo presidente da estatal, Pedro Parente, e pelos diretores Financeiro, Ivan Monteiro, e de Refino e Gás, Jorge Celestino, definia os preços, que variavam, em média, uma vez por mês.


Valor da gasolina deve subir para compensar queda nas contas públicas


Diante da crise economia que ainda não está contida no país, o governo brasileiro está estudando aumentar o imposto da gasolina, com o argumento de que a arrecadação está em queda. O intuito é que as contas públicas fiquem em, no máximo, R$ 139 bilhões.

De acordo com o jornal O Globo, o plano em estudo é criar uma alíquota flutuante para a Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) que incide sobre o combustível mais popular do país e, ao mesmo tempo, arrecadar mais com esse “imposto verde”, que deve deixar a gasolina mais cara para estimular o uso de etanol em carros flex.

“A ideia seria usar a Cide como um imposto verde. A alíquota iria variar sempre, para dar competitividade ao etanol”, afirmou um graduado interlocutor do presidente Michel Temer, sob a condição de anonimato.


Aluguel de casas no São João movimenta economia em cidades mais procuradas


A escassez de hotéis e pousadas no interior do estado faz com que se intensifique um outro tipo de negócio: o aluguel de casas para o período junino. Como Salvador, Porto Seguro e Litoral Norte concentram mais de 70% dos 100 mil leitos de hotéis da Bahia, moradores de outros locais aproveitam para garantir uma renda extra e ajudar os turistas a economizar. Apelidado de Air BNB do Forró, numa alusão ao site que oferece hospedagens em imóveis a baixo custo, o modelo é feito de maneira informal e ocorre com frequência nos destinos de grande procura pelos amantes do São João como Amargosa, Senhor do Bonfim, Cruz das Almas e Ibicuí.

O funcionário público Caíque Figueiredo aproveita o período para faturar um dinheiro extra atuando como corretor de imóveis para a temporada junina em Amargosa, município localizado a 250km de Salvador e que realiza uma grande festa junina. Em seu catálogo, que é disponibilizado por meio do Whatsapp, ele envia fotos e negocia os preços das casas. “Atualmente tenho imóveis cujo  aluguel para o período de quatro a cinco dias varia de R$ 1500 a R$ 2500 e essas casas podem acomodar confortavelmente de 10 a 12 pessoas”, explicou.

Caíque conta que a forma de pagamento é parcelada da seguinte forma: 50% de sinal depositado em conta e o restante no ato de entrega das chaves. A comissão varia de 5% a 10% do valor do aluguel. “Este ano eu me surpreendi com a grande procura, pois o feriado será num sábado”, contou.

Em Senhor do Bonfim, que está a 380km da capital, a dona de casa Girlene Maria da Silva não precisou de intermediários. Ela chegou até o cliente depois de ver um anúncio no Facebook de uma família que estava à procura de uma casa. “Negociei diretamente com o próprio cliente e acertei tudo. São 10 pessoas que ficarão lá em casa, durante quatro dias”, disse a anfitriã, que deixará a casa com todos os móveis e eletrodomésticos para os hóspedes e se abrigará num quarto que fica nos fundos.

Entre os inquilinos de Girlene estão o universitário cearense Carlos Adriano Lima e a empresária Michelle Moreira. Eles desembarcam em Salvador no dia 21 e seguem para Senhor do Bonfim no dia seguinte para curtir o período de São João. “Sempre venho para a Bahia no mês de junho. Passei os últimos dois anos em Amargosa e esse ano vi a programação de Bonfim pela internet e resolvi diversificar”, afirmou Carlos.

Além das redes sociais, é possível encontrar ofertas de casas para aluguel em sites como OLX e Mercado Livre.

*Correio da Bahia


Petrobras anuncia redução de 2,3% no preço da gasolina e de 5,8% no do diesel


A Petrobras anunciou na última quarta-feira (14), uma redução no preço do combustível nas refinarias, caindo em média para 2,3% o preço da gasolina e em 5,8% no valor do diesel. Os novos preços começaram a ser aplicados já a partir das 0h desta quina-feira (15).

De acordo com a estatal, a decisão reflete as variações recentes nos preços internacionais do petróleo que, depois de flutuar ao redor de US$ 50 por barril, registrou queda sucessiva estando abaixo de US$ 46 por barril atualmente. Vale salientar que, na troca, depois de uma desvalorização “significativa” na moeda brasileira em relação ao dólar, o valor da moeda americana tem oscilado em torno de R$ 3,30.

Se o ajuste anunciado hoje for integralmente repassado pelas refinarias e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, o diesel pode cair 3,5%, ou cerca de R$ 0,11 por litro, em média, e a gasolina, 0,9% ou R$ 0,03 por litro, em média.

O Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) da Petrobras decidiu revisar os preços dos combustíveis em períodos mais curtos, que hoje é realizado mensalmente, sem alterar a regra de formação dos valores da atual política.

O comitê reiterou que, “como já observado nos dois últimos movimentos de preços, que os reajustes em períodos aproximados de 30 dias não têm sido suficientes para refletir as volatilidades” de preços internacionais de derivados e câmbio entre as datas dos reajustes.

Em oportunidade anterior, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, já havia dito que a companhia analisava a possibilidade de aumentar a frequência de reajustes de preços dos combustíveis. Ele já tinha adiantado que a decisão estava relacionada à volatilidade do preço do petróleo e, principalmente, do câmbio.

Conforme o comunicado da estatal, os novos preços continuam com uma margem positiva em relação à paridade internacional, segundo o princípio da política anunciada, e estão alinhados com os objetivos do plano de negócios 2017-2021.

Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso depende de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis, especialmente distribuidoras e postos revendedores.