Ibope: entre os nordestinos, Haddad tem 57%; Bolsonaro, 33%

A pesquisa Ibope divulgada na noite desta segunda-feira (15) traz um cenário em que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) lidera as intenções de votos na maioria das regiões do país, exceto o Nordeste. No Sul, está o maior percentual de apoiadores de Bolsonaro: 62%. Lá, 28% preferem Haddad. No cenário nacional, o candidato Jair Bolsonaro … Leia Mais


Eleições 2018: Bolsonaro e Haddad empatam tecnicamente em pesquisa CNT/MDA

Levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) feito pelo instituto MDA, divulgado neste domingo, 30, mostra, pela primeira vez, um empate técnico entre os candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Segundo a pesquisa, Bolsonaro tem 28,2% das intenções de voto e Haddad 25,2%.  Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 9,4%, … Leia Mais


Lewandowski autoriza Lula a conceder entrevistas a jornalistas

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou hoje (28) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a conceder entrevistas da carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde ele se encontra preso desde 7 de abril. A decisão do ministro foi proferida após reclamação ao STF feita pela jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. … Leia Mais


Após sofrer atentado, Bolsonaro aparece com 30% das intenções de voto; diz pesquisa


Após sofrer atentado, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 30% das intenções de voto em pesquisa FSB/BTG Pactual divulgada nesta segunda-feira (10). O levantamento foi o primeiro realizado depois do ataque sofrido por Bolsonaro na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, na última quinta-feira (06).

Na segunda posição aparece o candidato Ciro Gomes (PDT), com 12% das intenções de voto. Em seguida, três candidatos registraram 8%: Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Fernando Haddad (PT). João Amoêdo (Novo) e Alvaro Dias (Podemos) tiveram 3%.

Os eleitores de Bolsonaro são os que têm mais certeza do seu voto. Para 78% deles, a decisão é definitiva. Nesse quesito, Haddad (68%) aparece em segundo lugar, seguido por Alvaro Dias (62%), Amoêdo (59%), Ciro (58%), Alckmin (49%), Boulos (40%), Marina (37%) e Meirelles (24%).

O levantamento foi realizado entre os dias 8 e 9 de setembro com 2000 eleitores e a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Ela foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TRE) com o número BR-01522/2018.

 


Candidato à presidência Jair Bolsonaro leva facada durante ato público em Juiz de Fora


O candidato do PSL à presidência, Jair Bolsonaro, levou uma facada na região da barriga durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), na tarde desta quinta-feira (06). Um suspeito foi preso.

Bolsonaro foi levado à Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O hospital informou que ele deu entrada na emergência por volta de 15h40, com “uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen”.

Inicialmente, um de seus filhos, o deputado estadual Flavio Bolsonaro, afirmou que o ferimento havia sido superficial, mas exame indicou a suspeita de uma lesão no fígado. Ele foi encaminhado para cirurgia, e os médicos constataram que não houve lesão no fígado, mas houve lesões no intestino.

Na cirurgia, foi feita uma ileostomia, um procedimento que conecta o intestino delgado para uma bolsa fora do corpo, evitando que as fezes passem pelo intestino grosso e possam causar uma infecção no local onde os médicos resolveram a perfuração.

Em nota, a Polícia Federal afirmou: “[Bolsonaro] contava com a escolta de policiais federais quando foi atingido por uma faca durante um ato público na cidade de Juiz de Fora (MG). O agressor foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da PF naquele município. Foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do fato”.

O suspeito de ter dado a facada foi identificado pela PM como Adélio Bispo de Oliveira. Segundo informações da polícia, ele foi espancado por pessoas que estavam no local.

Segundo o comandante do 2º Batalhão da PM de Juiz de Fora, tenente-coronel Marco Antônio Rodrigues de Oliveira, o suspeito “alegou que tentou ferir o candidato Jair Bolsonaro por ter divergências de ideias e pensamentos com ele. Ele não tem nenhuma filiação partidária. Falou que [foi] uma questão pessoal dele. Depois não manifestou mais nada”.

A polícia fez buscas em um imóvel onde Oliveira morou em Montes Claros, cidade a cerca de 800 km de Juiz de Fora, mas não encontrou nada.

No momento em que foi esfaqueado, Bolsonaro estava sendo carregado nos ombros por um apoiador de sua campanha, fazendo corpo a corpo com eleitores, na região do Parque Halfeld. Enquanto ele acenava para os simpatizantes de sua candidatura, o homem se aproximou e deu uma facada no presidenciável.

Informações: G1

 


Big Data: Rui lidera corrida pelo Palácio de Ondina nos quatro cantos da Bahia


A pesquisa eleitoral realizada pela Real Time Big Data entre os dias 16 e 17 deste mês de agosto mostra que o governador Rui Costa (PT) lidera a corrida pelo Palácio de Ondina em todas as regiões da Bahia. O estudo por região foi divulgado pela RecordTV Itapoan nesta segunda-feira (27).

Na Região Metropolitana de Salvador (RMS), o petista aparece com 61% das intenções de voto. Zé Ronaldo, candidato ao governo pelo DEM, tem 12%. O terceiro colocado é João Henrique (PRTB), que pontua com 1%. Os outros candidatos somam 3%. Indecisos representam 15%, nulos e brancos, 8%.

No sul baiano, Rui Costa lidera com 46%; Zé Ronaldo, 10%; outros, 1%; indecisos, 28%; nulo e branco, 15%.

No centro-norte e nordeste, o petista também aparece a frente dos demais candidatos com 48%. Zé Ronaldo tem 30%; João Henrique, 1%; outros, 3%; indecisos, 12%; nulos e brancos, 6%.

Nas regiões do oeste baiano e Vale do Rio São Francisco, Rui Costa tem 55%.  Zé Ronaldo aparece com 12%; outros 1%; indecisos são 27%, nulo ou branco representam 5%.

A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob número de identificação BA-05201/2018, ouviu 1.200 eleitores, tem nível de confiança de 95% e margem de erro de até 3% para mais ou para menos.

 Por: Redação BNews


Com discurso moralista, Bolsonaro pode ajudar a eleger vereador com passagem na polícia e prefeito impopular na Bahia


Com discurso moralista, o candidato a presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL) acumulou grande eleitorado nos últimos anos, sobretudo a gama de brasileiros mais conservadores. O icônico deputado federal, apelidado de “mito”, virou uma espécie de “mártir da moralidade pública” após defender posicionamentos polêmicos em programas popularescos de baixa audiência na TV aberta.

De um instante para o outro, o que era considerado apenas piada, acabou se tornando coisa séria quando Bolsonaro decidiu se lançar pela primeira vez ao Executivo – após quase três décadas na Câmara Federal.

Bolsonaro tem um discurso voltado ao combate dos direitos de gays, mulheres e cotas para negros. E tem se colocado como um candidato honesto em meio ao lamaçal que tomou conta da política nos últimos anos. No entanto, na Bahia, as alianças políticas fechadas pelo presidenciável vão de encontro a sua conduta ética e moral.

Ele selou uma aliança que pode eleger dois personagens bastante conhecidos do eleitorado baiano: o vereador Igor Kannário (PHS) e o ex-prefeito João Henrique (PRTB). O primeiro almeja uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia. O segundo, a cadeira do governador. A ajuda se dará porque o PSL coligou com o PRTB na chapa majoritária e com o PHS na proporcional.

Kannário, célebre pela alcunha de “Príncipe do Gueto”, já foi detido e teve seu nome envolvido em diversas polêmicas. Em 2014, ele foi conduzido até a delegacia após ser acusado de desacato a um policial.  Em 2015, também foi detido por porte de maconha.

Desde então, se expressa duramente contra agentes ligados a segurança pública – justamente o eleitorado da chapa de Bolsonaro. Um discurso que arrebata as multidões nas regiões periféricas e desperta impopularidade entre as autoridades. Mais recentemente, no início de 2018, foi parado em uma blitz e teve o veículo apreendido por causa do licenciamento atrasado.

Já João Henrique é considerado um dos prefeitos mais impopulares da história de Salvador. Em 2009, o ex-gestor teve a popularidade medida com nota 5,1, de 10, pelo instituto da Datafolha. Sua gestão ficou bastante marcada diante da população pela pouca atenção para a mobilidade urbana e segurança dos bens públicos da cidade, além de atrasos em grandes obras (como a do metrô).

João Henrique também manteve uma relação bastante próxima com o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) – preso no ano passado por suspeita de ser dono de um montante de R$ 51 milhões em dinheiro vivo, guardados em um apartamento na capital baiana. Na época, o emedebista foi um dos principais articuladores que ajudaram na reeleição do ex-prefeito.

Informações: BNews


PSD ameaça confronto contra base de Rui Costa caso PT não faça parte do chapão


O clima esquentou entre o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Social Democrático (PSD) na Bahia. Até o próximo sábado (04) quando ocorre a convenção partidária para as campanhas das próximas eleições, o governador Rui Costa terá que reorganizar o time. Isso porque a legenda do governador teria combinado a composição de um chapão, mas nas últimas semanas mudou de ideia e agora quer se dividir em duas chapas menores.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD) havia um acordo prévio de que o partido iria compor uma chapa majoritária com o PT, mas com a dúvida empregada pelo partido, as alianças podem ser rompidas.

“Foi combinado anteriormente que todos os partidos que compunham a base fariam parte do chapão, a exceção do PCdoB que sempre saiu só. Esperamos que essa premissa que foi acordada há meses se mantenha até o dia da convenção. Porque não se pode mudar a regra do jogo praticamente no seu último minuto. Existem correntes que são contrárias ao chapão, mas a maioria quer o chapão. Vamos trabalhar para que isso aconteça”, disse ele ao Bnews.

Contudo os petistas acreditam que no chapão ou chapinhas, ou saindo sozinhos, a sigla fará um número desejável de deputados estaduais e federais. O governador Rui Costa se reuniu com o conselho político na noite desta quarta-feira (1º) para resolver a escalação.

De acordo com informações, durante a reunião o PSD ameaçou rebelar-se caso o PT não aceite compor o chapão, mas o PT não quer compor o grupo, preferindo coligar com mais um partido, ou até mesmo sair sozinho.

O governador tenta resolver as arestas até o próximo sábado (4) quando ocorre a convenção do partido. Até lá, empata com o grupo oposicionista que se desdobra para fechar a composição das chapinhas.