BN/ Paraná: Pesquisa indica vitória de Elinaldo em Camaçari

O prefeito Elinaldo (DEM) deve sair vitorioso da eleição do dia 15 de novembro em Camaçari. Tanto no cenário espontâneo quanto no cenário estimulado, ele aparece como o candidato favorito a vencer a eleição, à frente de Ivoneide Caetano (PT), segundo uma pesquisa encomendada pelo Bahia Notícias ao Instituto Paraná Pesquisas. Publicado nesta segunda-feira (2), o levantamento … Leia Mais


Camaçari: Após ação contra chapa, juiz proíbe carreatas de todos candidatos

Uma decisão manteve proibida a realização de carretas, passeatas e caminhadas, de todos os candidatos em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Em sentença desta sexta-feira (30), o juiz eleitoral André de Souza Dantas Vieira negou um recurso da coligação “Camaçari para quem vive aqui” da candidata à prefeita Ivoneide Caetano (PT). A representação foi … Leia Mais


‘Estamos praticamente vencendo a pandemia’, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira, 11, em evento na Bahia, que o país está “praticamente vencendo” a pandemia do novo coronavírus. “Estamos praticamente vencendo a pandemia, o governo fez tudo para que os efeitos negativos da mesma fossem minimizados. Quer seja com auxílio emergencial que atingiu 65 milhões, quer … Leia Mais


Bolsonaro é denunciado em Haia por genocídio e crime contra humanidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é alvo de denúncia de um grupo sindical de trabalhadores da saúde no que se refere às políticas de enfrentamento à pandemia da Covid-19 (novo coronavírus) no país. A representação, neste domingo, 26, foi apresentada ao Tribunal Penal Internacional (TPI), sediado em Haia, nos Países Baixos, e endereçada à … Leia Mais


Bolsonaro testa positivo novamente para o novo coronavírus e deve adiar vinda a Bahia


Jair Bolsonaro testou positivo novamente para o novo coronavírus. Segundo a CNN Brasil, o presidente segue infectado pela Covid-19 e foi informado na manhã desta quarta-feira (22) após realização de novo exame.

Esse é o terceiro teste feito pelo presidente desde a confirmação de que contraiu o novo coronavírus, em 7 de julho. Desde então, ele segue em isolamento no Palácio da Alvorada.

Com a confirmação do exame, o presidente deve novamente adiar a sua agenda de viagens, que incluí uma passagem pelo Piauí para participar da entrega de uma adutora do Ministério do Desenvolvimento Regional em Campo Alegre de Lourdes (BA).


Deputado Igor Kannário prevê instalação de câmeras nos coletes dos policiais e em viaturas


Um projeto de lei para tornar obrigatória a instalação de câmeras em coletes, viaturas e capacetes de policiais , foi apresentado nesta terça-feira, 14, pelo deputado federal Igor Kannário (Democratas).

O projeto de lei número 3796/2020, prevê que as câmeras tenham boa resolução, zoom e opção de impressão. “A filmagem e gravação da ação policial é ferramenta utilizada pelas principais polícias mundiais e visa, particularmente, resguardar o policial e comprovar a correta abordagem, preservando a ação e as provas nelas colhidas”, ressalta Kannário.

As câmeras também devem ter tecnologia “com sensibilidade à luz compatível com a iluminação do local, a fim de permitir a identificação fisionômica de pessoas ou situações presentes no sistema monitorado”.

Caso aprovada, a medida valerá para todos os integrantes dos órgãos de segurança pública do país, como as polícia Civil, Militar, Penal, Federal e Rodoviária Federal.

O projeto também prevê que o sistema seja instalado de forma gradativa, no período de um ano, após publicação da lei. Além disso, as imagens devem ser preservadas por seis meses e a fiscalização ficaria a cargo de cada Secretaria de Segurança Pública dos estados.

Fonte: Atarde


Jair Bolsonaro diz que testou positivo para covid-19


O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (7) que seu exame para detectar se está com Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, deu positivo.

O presidente afirmou que chegou a ter febre de 38 graus, mas que, à noite, a temperatura começou a ceder. Afirmou também que sentiu mal-estar e cansaço. Ele disse que agora está se sentindo “perfeitamente bem”.

 Boletim: Bolsonaro diz que seu exame para Covid-19 deu positivo

De acordo com Bolsonaro, ele tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo como tratamento para a Covid-19. Não há comprovação científica da eficácia da hidroxicloroquina para a doença.

“Estou bem, estou normal, em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas, por recomendação médica, não farei”, afirmou.

Bolsonaro já havia informado a apoiadores na segunda-feira (6) que estava com febre e dores no corpo e, por isso, decidiu fazer o exame. Ele também disse que fez uma radiografia e que o pulmão “estava limpo”.

O presidente tem 65 anos e faz parte da faixa etária considerada por especialistas como grupo de risco.

Medidas de prevenção

Desde o início da pandemia no país, no fim de fevereiro, Bolsonaro vem descumprindo orientações de autoridades de saúde sobre medidas de prevenção do contágio.

Ele sempre foi contrário ao fechamento do comércio e ao isolamento social, ações tomadas pelos governos estaduais para diminuir o ritmo dos contágios. De acordo com especialistas, o isolamento é a forma mais eficaz de evitar o alastramento do vírus.

Nos últimos quatro meses, Bolsonaro provocou aglomerações ao visitar o comércio de rua em Brasília e em visitas a cidades do entorno do Distrito Federal. Ele também participou de manifestações a favor do governo. Em diversas dessas ocasiões ele não usou máscara, posou para fotos, tocou nas pessoas.

Encontros recentes

No sábado (4), o presidente, ministros e um dos filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), participaram de almoço promovido pela embaixada dos Estados Unidos no Brasil em comemoração à independência norte-americana.

Na ocasião, os participantes posaram para fotos sem máscaras. Em uma das imagens, Bolsonaro aparece abraçado ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

A embaixada norte-americana informou que o embaixador Todd Chapman não apresenta sintomas e “fará os testes”.

Também no sábado, o presidente viajou para Santa Catarina, onde sobrevoou áreas atingidas por um ciclone na semana passada. Conforme fotos divulgadas pelo Palácio do Planalto, o presidente, usando máscara, apertou a mão de uma mulher, caminhou ao lado de políticos e fez foto ao lado de funcionários do aeroporto.

Na segunda, Bolsonaro teve uma série de reuniões ao longo do dia com ministros, entre os quais, Paulo Guedes (Economia), José Levi (AGU), Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (GSI). Heleno já teve Covid-19 e se recuperou.

‘Gripezinha’

“Em 24 de março, em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, Bolsonaro chamou a covid-19, doença provocada pelo coronavírus, de “gripezinha”.

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado com o vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho”, afirmou na ocasião.”

Outros testes

Desde março Bolsonaro fez outros três testes para detecção do coronavírus. O primeiro foi realizado após retornar de viagem aos Estados Unidos, na qual mais de 20 pessoas que tiveram contato com a comitiva tiveram a doença.

Em maio, em uma ação movida pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, o governo federal entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) os laudos dos três exames, todos com resultado negativo.

Os exames foram entregues ao STF porque o presidente anunciou várias vezes que os resultados eram negativos, mas se recusava a mostrar os laudos.

 G1

Após teste positivo, Bolsonaro diz que fará novo exame para detectar coronavírus


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 6, que vai realizar um novo teste da covid-19. De acordo com o jornalista Claudio Humberto do programa Repórter Bandeirantes, da Rádio BandNews, o presidente foi confimado com coronavírus.

Ao retornar à residência oficial do Palácio da Alvorada, ele disse a apoiadores que fez uma radiografia do pulmão e um exame para detecção da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

“Eu vim agora do hospital, fiz uma ‘chapa’ de pulmão. Tá tudo limpo. Vou fazer exame do covid agora há pouco, mas tá tudo bem”, afirmou ele em frente ao Palácio da Alvorada. As declarações do presidente foram transmitidas no YouTube.

Segundo a CNN Brasil, Bolsonaro disse à emissora que está com 38ºC de febre e 96% de taxa de oxigenação no sangue. Ele afirmou ainda que está tomando hidroxicloroquina.

Segundo relataram interlocutores ao jornal Folha de S. Paulo, Bolsonaro cancelou sua participação presencial em eventos nesta semana, entre eles a reunião do conselho de governo que tradicionalmente ocorre às terças. Ele também relatou a aliados que deve realizar videoconferências nesta semana para evitar o risco de contágio caso tenha sido contaminado.

Mesmo admitindo a suspeita, Bolsonaro parou para falar com o grupo que o aguardava voltar à residência oficial após o dia de trabalho. Ele usava máscara durante a conversa e pediu que as pessoas não chegassem perto dele. “Não pode chegar muito perto não, tá. Recomendação para todo mundo”.

Um apoiador perguntou a Bolsonaro se poderia tirar a máscara para fazer uma foto com ele. Em um primeiro momento, o presidente diz que o apoiador pode tirar a proteção. Mas depois emendou: “Quer dizer… Não mandei você tirar. Você tirou porque você quis”, disse, provoca risos.

Segundo a agenda oficial, o presidente despachou durante todo o dia e esteve com seis ministros. Ele teve reuniões com os ministros Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Levi Mello (Advocacia-Geral da União).

A última agenda ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias. Bolsonaro já havia realizado três testes para detectar a covid-19. Os exames foram realizados em março, após o presidente voltar de viagem oficial aos Estados Unidos, onde se encontrou com o presidente Donald Trump. Pelo menos 23 pessoas da comitiva brasileira foram diagnosticadas pela doença.

Atarde


Bolsonaro sanciona lei do salário-mínimo


O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que estabelece o valor do salário-mínimo para 2020, de R$ 1.039 em janeiro e de R$ 1.045 a partir de 1º de fevereiro.

A lei foi publicada nesta sexta-feira, 12, no Diário Oficial da União, mas os valores já estavam em vigor desde a edição de medidas provisórias (MPs), que necessitaram de aprovação do Congresso Nacional

No final do ano passado, o governo editou a MP nº 916/2019, com reajuste de 4,1% no mínimo, que passou de R$ 998 para R$ 1.039. O valor correspondia à estimativa do mercado financeiro para a inflação de 2019, segundo o Índice Nacional do Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Porém, o valor do INPC acabou fechando o ano com alta superior, de 4,48%, e, com isso, deixou o novo valor do mínimo abaixo da inflação. Por lei, esse é o índice usado para o reajuste do salário-mínimo, embora a inflação oficial seja a medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou o ano de 2019 em 4,31%.

Assim, o governo editou a MP nº 919/2020, com o valor de R$ 1.045 para o salário-mínimo, a ser aplicado partir de fevereiro.

Até o ano passado, a política de reajuste do salário-mínimo, aprovada em lei, previa uma correção pela inflação mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Esse modelo vigorou entre 2011 e 2019. Porém, nem sempre houve aumento real nesse período porque o PIB do país, em 2015 e 2016, registrou retração, com queda de 7% no acumulado desses dois anos.

A expectativa é que o governo apresente um projeto de lei com a nova política de correção do salário-mínimo. Em janeiro, antes da pandemia de covid-19, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que tal projeto incluirá uma mudança no período usado para definir os reajustes para evitar situações como a deste ano. Em vez do INPC do ano anterior fechado, de janeiro a dezembro, o governo pretende usar o índice entre dezembro do ano anterior e novembro do exercício atual para calcular o valor do mínimo para 2021.

Andreia Verdélio | Agência Brasil