Com discurso moralista, Bolsonaro pode ajudar a eleger vereador com passagem na polícia e prefeito impopular na Bahia

Com discurso moralista, o candidato a presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL) acumulou grande eleitorado nos últimos anos, sobretudo a gama de brasileiros mais conservadores. O icônico deputado federal, apelidado de “mito”, virou uma espécie de “mártir da moralidade pública” após defender posicionamentos polêmicos em programas popularescos de baixa audiência na TV aberta. De um … Leia Mais



Processo de impeachment contra prefeito de Candeias é lido na Câmara Municipal


Em uma sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Segunda Secretária da Mesa Diretora da Casa Legislativa, Rosana de Bobó, leu uma denúncia contra o prefeito do município, Pitagoras Alves da Silva, conhecido como Dr. Pitágoras (PP).

De acordo com Luís Peixoto, que formulou a denúncia e requereu a Instauração de Processo Político-Administrativo contra o prefeito, o administrador estaria cometendo improbidades, entre elas, contratações irregulares de médicos, pelas quais o prefeito já é réu no Tribunal de Justiça da Bahia.

Na época, o Ministério Público estadual pediu o afastamento do gestor e o Tribunal de Contas do Município (TCM) multou o prefeito pelas contratações. Depois da denúncia à Câmara, será instaurada uma Comissão Processante que dará um parecer, a ser votado no plenário.

De acordo com o site Tia Candia, caso nove dos dezessete vereadores aceitem a denúncia, estará aberta a instauração do Processo Administrativo que pode levar a cassação do prefeito.


Juiz Sérgio Moro disse que não vai soltar o ex-presidente Lula


O juiz Sérgio Moro afirmou que não vai cumprir a decisão do desembargador Rogério Favreto, do TRF-4. Para ele, o desembargador não tem competência para julgar o caso.

“O Desembargador Federal plantonista, com todo respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal”, disse Moro, em seu despacho.

Ainda de acordo com Moro, caso ele ou alguma autoridade policial cumpra a decisão, vai estar descumprindo a ordem de prisão do Colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Soltura
Lula foi condenado na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O despacho determina a suspensão da execução provisória da pena e a liberdade do ex-presidente, que está preso desde 7 de abril.

De acordo com a decisão, o desembargador determina que não há necessidade de exame de corpo e delito.

“Cumpra-se em regime de URGÊNCIA nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente”.

Nas últimas semanas, a defesa do ex-presidente entrou com diversos recursos para conseguir soltá-lo. Este que foi acatado pela Justiça foi apresentado na sexta-feira (6) pelos deputados Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, do PT.

Fonte Correio24


Ex-presidente Dilma Rousseff concorrerá às eleições de 2018 como senadora em Minas Gerais


A ex-presidente Dilma Rousseff estará de volta à corrida eleitoral em outubro de 2018. A informação foi divulgada na noite desta quinta-feira (28) quando Dilma confirmou oficialmente sua pré-candidatura ao senado de Minas Gerais.

Dilma revelou durante coletiva em um hotel na capital mineira, que se dispõe a participar do processo eleitoral. “Estou colocando a minha candidatura ao Senado. Ela não é ainda uma candidatura oficial. Só será oficial quando ela for registrada. Eu estou fazendo uma consulta ao partido, às bancadas federais e estaduais”, assinalou. E justificou o motivo da disputa da vaga pelo estado: “sou do mundo, sou Minas Gerais”, cantarolou ela, já em tom de campanha.

Durante encontro com deputados e com o diretório estadual do PT, na tarde de ontem, Dilma discutiu e avaliou as condições de sua participação na disputa eleitoral deste ano. Já à noite, falou finalmente como pré-candidata da legenda, e ainda justificou sua decisão de concorrer a uma vaga ao Senado e não apenas seguir fazendo política como militante.

“Eu gostaria de dizer que me disponho a fazer isso, porque eu julgo que, diante do que está acontecendo com o presidente Lula, que é visivelmente um tratamento que desrespeita os direitos constitucionais de qualquer cidadão, que é o da presunção de inocência. O que se assiste é uma completa manipulação de procedimentos, de condutas, de instâncias jurídicas diferentes para o presidente Lula”, afirmou Dilma Rousseff.

A ex-presidente também destacou que nasceu em Minas, e por isso a decisão de concorrer à vaga pelo estado, o qual não deixou espontaneamente no período da ditadura. E acrescentou que “sua candidatura seria uma forma de interromper um processo de deterioração das condições econômicas, políticas, sociais e até civilizatórias no Brasil”, pontuou.


Sem credibilidade, cresce chance de Temer não concluir o mandato; afirmam membros do STF


Aliados de Michel Temer no Congresso Nacional e ministros do Supremo Tribunal Federal afirmam que o governo atingiu um nível extremo de enfraquecimento político, não descartando, em caso de piora na situação, o risco de a gestão não conseguir se sustentar nos sete meses que lhe restam.

A avaliação ouvida pela reportagem é a de que a crise com os caminhoneiros atingiu um dos últimos resquícios de credibilidade da administração, a área econômica. Temer completou no último dia 12 dois anos de governo como o presidente, na média, mais impopular desde pelo menos a gestão de José Sarney (1985-1990).

Com a crise da greve dos caminhoneiros, o país passa por uma grave situação de desabastecimento, cenário não detectado pelo governo apesar de alertas nessa direção. Ao contrário disso, o presidente vinha batendo na tecla de que em sua administração a inflação foi reduzida e o país saiu da recessão, embora em ritmo mais lento do que o esperado.

Emparedado, o Palácio do Planalto foi obrigado a ceder em vários pontos, em uma demonstração do enfraquecimento político que vive, mas mesmo assim não conseguiu até esta segunda-feira (28), oitavo dia da crise, encerrar a paralisação. “Não é o caminhoneiro, é o brasileiro que não admite a Presidência do Temer. O PT insistiu na Dilma. Deu no que deu”, afirmou em nota o líder da bancada do aliado DEM, o senador Ronaldo Caiado (GO).

“A greve dos caminhoneiros detonou a popularidade do Temer e do governo, a população está revoltada. O governo tinha ainda certa credibilidade na equipe econômica. Era um alicerce importante”, afirma o deputado Rogério Rosso (DF), do também aliado PSD.

Um dos principais correligionários de Temer na Câmara, o deputado Beto Mansur (MDB-SP) afirma que todo o espectro político perde, não só Temer. “Tivemos um problema na questão da inteligência do governo, de não saber o tamanho da ‘trolha’, essa é minha opinião, mas tem que procurar resolver. Esse é um processo perde-perde, ninguém ganha”.

Nos bastidores do STF, a avaliação de ministros é a de que o governo subestimou os caminhoneiros. No caso de o desabastecimento se agravar, há, na visão desses magistrados, o risco de uma revolta de maior proporção, com ameaça ao já cambaleante mandato de Temer. Com informações da FolhaPess.

 


Em meio a protestos, PT lança pré-candidatura de Lula em Salvador, Simões Filho e mais 130 cidades


Cerca de 130 cidades da Bahia realizaram, neste domingo (27), atos para reafirmar a pré-candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República. O lançamento na capital baiana ocorreu na manhã de hoje na Faculdade de Administração da UFBA, na Federação. O evento seria realizado no Congresso da Juventude do PT, mas foi adiado devido a greve.

Conforme o dirigente, Everaldo Anunciação, o partido realizou eventos entre o sábado (26) e neste domingo (27) nos municípios de Simões Filho, Bom Jesus da Lapa, Vitória da Conquista, Feira de Santana, entre outros.

De acordo com informações, diante da greve dos caminhoneiros, o partido incluiu em seu discurso críticas ao governo Michel Temer e a política implementada pela Petrobras. Segundo a coluna Painel, da Folha, os discursos devem dizer que “os brasileiros lembram qual era o preço do botijão de gás e da gasolina na era Lula”.

“Estamos dizendo que é um governo incompetente e irresponsável, que não tem capacidade de governar. O sistema rodoviário está um caos, os autônomos são os mais prejudicados. E o governo ao invés de ter uma política de preço digna prefere desmontar a Petrobras e a tornar inviável. Mais um erro cometido pelo governo”, comentou Everaldo.

O dirigente ainda rechaçou a atribuição da greve à empresários e partidos políticos de esquerda. “Temos que compreender que são categorias e não tem movimento partidário. Não temos que dar essa conotação. O problema central é o aumento abusivo, e ao invés de rotular tem que focar na solução”.

O lançamento oficial da candidatura do ex-presidente Lula acontece no dia 9 de junho em Belo Horizonte. Na Bahia, o evento deve ocorrer entre o dia 10 e 17 de junho.