Temer anuncia transferência de verba na Saúde para gerar economia

Nesta quinta-feira (20), o presidente Michel Temer comemorou R$ 344,3 milhões para a saúde bucal, apenas por economia no ministério. Em dia de possível aumento de impostos, o presidente tentou fazer uma pauta positiva anunciando nova realocação de recursos na Saúde. Na semana passada, de acordo com O Globo, a realocação foi de R$ 1,7 … Leia Mais


STT Responsabiliza deputado Caetano por agressão física a servidora em Camaçari

A assessoria de imprensa da Superintendência de Trânsito e Transporte de Camaçari (STT), repudiou o deputado federal deputado federal Luiz Caetano (PT), pela agressão praticada a uma servidora. Em nota, emitida no último sábado (15), o órgão atribuiu a responsabilidade da agressão física sofrida pela funcionária do STT durante uma autuação, ao deputado. Caetano ainda não … Leia Mais



Lula é condenado a 9 anos e seis meses de prisão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de 71 anos, acaba de ser condenado a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, de acordo com as informações do Estadão. A condenação ordenada peo juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, é a primeira … Leia Mais


Após muita confusão, Senado aprova reforma trabalhista de Temer

Depois de mais de sete horas de suspensão, o Senado Federal aprovou na noite desta terça-feira (11) por 50 votos contra 26 a reforma trabalhista, proposta do governo que altera a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) em mais de cem pontos.   A aprovação se deu em relação ao texto-base. Ainda haverá votação nesta terça … Leia Mais


Sem caviar: Geddel chora ao ouvir que continuará preso


Em audiência de custódia, realizada nesta quinta-feira (06), o ex-ministro Geddel Vieira Lima chorou após ouvir do juiz Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, que irá permanecer encarcerado por tempo indeterminado.

Vallisney afirmou que irá analisar o pedido de soltura na próxima semana. Os advogados solicitaram a prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica por Geddel. “Se a vossa excelência quiser colocá-lo em prisão domiciliar sem celular assim como já foi feito, pode ser feito desde agora”, argumentou o advogado Gamill Föppel.

De acordo com o juiz Vallisney, é necessário periciar o telefone de Geddel e ouvir a esposa do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, Raquel Funaro, que teria trocado mensagens com Geddel.

O juiz afirmou também que, para tomar uma decisão se poderá soltar ou não Geddel, teria que analisar o depoimento de Raquel Funaro e por isso determinou os três dias para perícia da Polícia Federal e mais um dia para o posicionamento do Ministério Público.

 A defesa de Geddel questionou por qual motivo a Justiça Federal não teria ouvido Raquel Funaro antes, tendo em vista o importante papel da ligação para a prisão do ex-ministro. Geddel foi preso na última segunda (3) acusado de obstrução de justiça.


Com audiência de custódia Geddel pode ser solto nesta quinta-feira (6)


Nesta quinta-feira (6), ex-ministro Geddel Vieira Lima ficará frente à frente com o juiz Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, em sua audiência de custódia. O juiz pode soltá-lo, escolher uma cautelar diversa da prisão, como tornozeleira ou prisão domiciliar, ou mantê-lo na Papuda. Para o Ministério Público, Geddel é um “criminoso em série” e faz do crime a “carreira profissional”.

O presidente do PMDB na Bahia foi preso sob acusação de tentar obstruir a Operação Lava Jato. Na terça-feira (4), foi transferido da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, para a Penitenciária da Papuda, também na capital federal.

Responsável pelo decreto de prisão preventiva (determinada antes do julgamento), Vallisney deverá também colher opinião do Ministério Público sobre a necessidade da medida ou se a prisão pode ser substituída por restrições alternativas, como monitoramento eletrônico e prisão domiciliar, por exemplo.

A audiência de custódia está marcada para as 9h40 desta quinta, na sala de audiências da 10ª Vara Federal, em Brasília. Na mesma sessão, o juiz federal também deverá se pronunciar sobre um pedido de soltura já protocolado pela defesa de Geddel.

A defesa do ex-ministro afirma que a prisão é desnecessária e que há “uma preocupação policialesca muito mais voltada às repercussões da investigação para grande imprensa, do que efetivamente a apuração de todos os fatos”.

*Bocão News


Presidente vê prisão de Geddel como pressão aos deputados


O Palácio do Planalto atribuiu a prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima -um dos homens mais próximos ao presidente Michel Temer- à tentativa do Ministério Público de “criar fatos” para aumentar a pressão sobre os deputados, que terão de aceitar ou não a denúncia contra o presidente.

De acordo com um auxiliar presidencial, a prisão de Geddel já estava “precificada” com o mercado e não chegou a ser uma surpresa. O próprio ex-ministro já acreditava que isso poderia acontecer, tanto que tentou evitar a prisão entregando seu passaporte e abrindo seus sigilos fiscal e telefônico ao STF.

“É uma estratégia de pegar pessoas próximas ao governo. Estão tentando criar fatos para alimentar essa pressão em cima dos deputados”, disse uma fonte.

Ainda nesta semana, começa o processo para analisar a aceitação ou não da denúncia contra Temer pela Câmara dos Deputados. O governo teme que a prisão de Geddel possa ser só o começo da pressão sobre os deputados.

Nos últimos meses, Temer viu, além de Geddel – um de seus amigos mais próximos-, o ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, também um dos nomes de sua confiança, serem presos. Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, e Eliseu Padilha, da Casa Civil, os homens fortes do Planalto, também estão sendo investigados na Lava Jato.

Entre seus ex-assessores especiais, o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures está em prisão domiciliar por ter negociado e recebido propina da empresa JBS, enquanto Tadeu Filipeli também foi preso por ter recebido propina nas obras da Copa do Mundo em Brasília.

Apesar da base ampla que possui, teoricamente, na Câmara, o governo ainda não tem garantia total de votos e incrementou a negociação com parlamentares para tentar que o relatório na Comissão de Constituição e Justiça já seja contrário ao recebimento da denúncia.

Por Lisandra Paraguassu


Geddel Vieira Lima é preso pela Polícia Federal.


O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) acaba de ser preso pela Polícia Federal. A prisão ocorreu na Bahia.

Geddel foi preso devido a denúncia do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que o acusou de tê-lo pressionado a produzir um parecer técnico para favorecer seus interesses pessoais, em novembro do ano passado

Calero disse, à época, que o articulador político do governo Temer o procurou pelo menos cinco vezes — por telefone e pessoalmente— para que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), órgão subordinado à Cultura, aprovasse o projeto imobiliário La Vue nos arredores de uma área tombada em Salvador, base de Geddel.


Otto volta a defender saída de Michel Temer; “Ele deve ser tirado independente de quem vá assumir”


O senador baiano Otto Alencar (PSD) voltou a defender, na manhã desta segunda-feira (3), a saída do presidente Michel Temer (PMDB) do comando brasileiro. Otto é a favor de novas eleições diretas.

“Assim como foi dado o exemplo de Collor, Temer deve ser tirado independente de quem vá assumir. O exemplo é que fica. A juventude, a população, se encaminham mais pelo exemplo do que pela palavra. Se Rodrigo Maia não vai cometer os mesmos erros que Temer, é o que importa. Delação quem não tem? O que quero é solução para o meu país. Tem que punir quem está errado”, disse o senador, em entrevista à rádio Metrópole.

Alencar também reafirmou que não possui cargos no Governo Federal. “O que eu tinha dei para Geddel, que indicou até o motorista. Kassab me ofereceu a vice-presidência dos Correios”, revelou.

Otto ainda prosseguiu acrescentando que Temer tentou ganhar seu voto a favor do impeachment de Dilma Rousseff com um projeto de recuperação do Rio São Francisco. “Mas votei contra o impeachment e acabou o Velho Chico. É muito difícil mudar a minha posição. Achou que iria me conquistar com cargo”, comentou.