Ex-presidente do Supremo, Joaquim Barbosa pede renúncia de Michel Temer

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa é mais um a fortalecer o coro do grito de guerra nacional “Fora, Temer”. Após a divulgação da gravação entre o empresário Joesley Batista e o presidente da República, Barbosa não vê outra saída para o Brasil. Em uma manifestação nas redes sociais postada na manhã … Leia Mais






Secretário de Segurança Pública critica legislação penal brasileira


O secretário da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, em entrevista concedida à rádio Metrópole FM, na manhã desta terça-feira (08) teceu duras críticas à legislação penal brasileira e revelou que o envolvimento de menores no mundo do crime tem acontecido cada vez mais cedo.

“Nós estamos vendo crianças de 12 anos com uma metralhadora na mão. Primeiro lugar, é a vida do cidadão de bem e da polícia que faz a defesa da sociedade, depois a vida do marginal. A gente não espera a resistência do marginal, mas se houver, primeiro lugar é a vida do policial” disse o gestor.

O secretário ainda falou sobre a atuação da policia nos diversos campos da violência e sobre o papel da família na educação dos jovens.

“Hoje precisa-se de polícia para tudo. Hoje a gente precisa de ronda escolar porque é aluno batendo em professor, a gente precisa ter a ronda Maria da Penha porque é marido batendo em mulher e em pleno 2017 a polícia ainda atua em problema domésticos. Onde vamos parar? É policia fazendo parto em viatura. As famílias não podem largar seu filhos achando que o papel de educar é da policia, dos professores”, desabafou o titular da SSP-BA.

Ainda na entrevista, Barbosa apontou que houve um deslocamento de quadrilhas para cidades do interior da Bahia por conta da facilidade de atuação. “Ao lançarmos o Pacto Pela Vida, vimos que 80% dos homicídios da Bahia acontecem em 20 municípios. O que a gente viu foram quadrilhas migrarem para cidades menores. Houve ainda a ida da criminalidade para cidades menores porque nas cidades menores há falta de estrutura”, reconheceu.


Temer cortará ponto de quem faltar ao trabalho para participar de greve


No dia em que serão realizados protestos contra as reformas governistas, o presidente Michel Temer cortará o ponto de servidores públicos que faltarem ao trabalho para aderir à greve geral marcada para sexta-feira (28).
Para adotar a medida, a atual administração tem se baseado em decisão de outubro do STF (Supremo Tribunal Federal), a qual estabeleceu que o poder público deve cortar os salários de servidores em paralisação.

O Palácio do Planalto tem lembrado que na sexta-feira (28) não haverá ponto facultativo, mesmo às vésperas do Dia do Trabalhador, e que, portanto, o entendimento da Suprema Corte pode ser adotado.

A expectativa de assessores e auxiliares presidenciais é de que a adesão de categorias de trabalhadores ao protesto desta sexta-feira (28) seja maior ao da última manifestação, realizada em março.

O monitoramento das redes sociais, no entanto, tem apontado que a mobilização tem se concentrado nos grandes centros urbanos, tendo pouca repercussão nos municípios de médio e pequeno portes.

Para reduzir o potencial das manifestações, aliados do presidente consideram buscar centrais sindicais mais próximas ao governo peemedebista, como Força Sindical e UGT (União Geral dos Trabalhadores). As duas, contudo, não têm demonstrado disposição em desistir das paralisações.

O presidente avaliava viajar no dia da manifestação, mas decidiu permanecer em Brasília, onde acompanhará as mobilizações. O receio é que o aumento do movimento eleve a pressão sobre a base aliada contra a reforma previdenciária, a principal bandeira política da atual gestão.

Nas últimas semanas, o Palácio do Planalto tem tentado blindar parlamentares governistas que têm recebido queixas de sua bases eleitorais sobre as reformas previdenciária e trabalhista.

Com esse objetivo, além de aumentar a publicidade em veículos de comunicação, o presidente tem concedido uma bateria de entrevistas, incluindo programas populares, como dos apresentadores José Luiz Datena, da Bandeirantes, e de Carlos Roberto Massa, o Ratinho, do SBT.

Em campanha nacional, a gestão peemedebista já gastou até agora R$ 29,5 milhões só com produção e veiculação de propagandas favoráveis às mudanças na aposentadoria.

Por Folhapress


Neto rebate acusações de Wagner: Não tenho nada a ver com corrupção ou com Lava Jato


Questionado sobre uma suposta declaração do ex-governador Jaques Wagner (PT) de que o prefeito ACM Neto (DEM) era o maior prejudicado pelas delações da Odebrecht, por conta de seus planos para 2018, o democrata disse que Wagner não teria moral para falar dele.

“Ele é acusado de corrupção. Eu, não”. “Qual a moral que ele tem? Não tenho nada a ver com corrupção ou com Lava Jato. O PT é que tem e pode tratar desse assunto”, declarou Neto, após participar do Workshop Cidade Resiliente, na Casa do Comércio, na manhã desta quinta-feira (20).

Neto disse ainda que “o PT é o partido mais corrupto do Brasil”, reiterando que não tem “nada a ver com a Lava Jato e estou absolutamente tranquilo”.

 


“Eu tenho consciência de que não vou ser preso”, diz Lula sobre Operação Lava Jato


“Eu tenho consciência de que não vou ser preso. Eu não cometi crime, eu quero que os acusadores provem”, afirmou Lula. Réu em três processos da Lava Jato e agora alvo de seis petições remetidas a foros e tribunais inferiores pelo Superior Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não teme a prisão.

 O petista tem convicção de que nenhum crime do qual é acusado será provado contra ele. A declaração foi dada em entrevista ao jornalista Mário Kertész, da Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (13). Na oportunidade, Lula voltou a criticar os vazamentos dos depoimentos colhidos pela Força Tarefa da operação.

 “Nós estamos vivendo uma situação que o vazamento das denúncias acontece de dentro da sala do juiz. Os advogados são os últimos a saber”, reclamou. Como exemplo, Lula pontua que se a Polícia Federal faz uma investigação, antes mesmo que o procurador receba os documentos, a notícia já é veiculada em um jornal. “A Justiça está correta?”, questionou ele.

“Não pode fazer julgamento político das coisas assim. Isso me cansa, isso me deixa chateado, mas isso me dá a consciência de que eu sou a única pessoa que pode enfrentar isso de cabeça erguida”, exalta. O ex-presidente acrescenta ainda que, no dia em que provarem um crime contra ele, espera ser julgado “como qualquer pessoa” revelou ele.


Placar mostra 273 votos contrários e 100 a favor da reforma da Previdência


A atualização do Placar da Previdência, levantamento realizado pelo Grupo Estado com deputados a respeito de reforma que tramita na Câmara, mostra que o número de parlamentares contrários à proposta subiu para 273, enquanto o dos que são a favor continua em 100.

Na manhã desta terça-feira, 11, havia 35 indecisos; 62 não quiseram responder; 41 não foram encontrados, e um disse que deve se abster.

O levantamento também mostrou que 70 deputados são a favor, mas com alteração da idade mínima para mulheres e 54 apoiam as mudanças mas com alteração da idade mínima para homens.

Além disso, 74 são favoráveis, mas com criação de uma regra de transição para homens com menos de 50 anos e mulheres com menos de 45 anos, e 77 defendem a retirada da exigência de 49 anos de contribuição para ter o direito de benefício integral.