WhatsApp vai parar de funcionar em alguns celulares; saiba quais

Assim como acontece com outros aplicativos, o WhatsApp vai deixar de funcionar em alguns modelos antigos de celulares. A partir do dia 30 de junho, os smartphones BlackBerry, BlackBerry 10, Nokia S40 e Nokia Symbian S60 não terão mais acesso ao app de mensagens. Você tem algum destes equipamentos? Calma! Há uma luz no fim … Leia Mais



China inaugura usina solar capaz de abastecer 15 mil casas

A China anunciou o funcionamento da usina solar flutuante instalada num lago de uma mina de carvão desativada em Huainan, na província de Anhui. A usina tem capacidade instalada de 40 MW, energia suficiente para abastecer uma cidade com 15 mil residências. De acordo com O Globo, essa é a maior usina solar flutuante do … Leia Mais


Transmissões ao vivo: Facebook anuncia novos recursos

O Facebook anunciou nesta terça-feira (23) que a transmissão de vídeos ao vivo passará a contar com dois novos recursos em breve. Um deles vai permitir que o usuário que está fazendo a transmissão converse com os seus amigos durante a exibição do vídeo. E o outro vai além… Os amigos poderão participar da transmissão, … Leia Mais


Bateria que carrega em 5 minutos começará a ser produzida em grande escala

Mais lançamento tecnológico será lançado nos próximos meses. Uma bateria que pode ser recarregada por completo em apenas 5 minutos deverá começar a ser produzida em grande escala no início de 2018. De acordo com o portal de noticias G1, a “FlashBattery” foi apresentada pela primeira vez em 2015, durante uma demonstração da novidade na … Leia Mais


Físicos criam fluido com “massa negativa”, que acelera contra a pessoa quando empurrado


A descoberta desafia a Segunda Lei de Newton, conhecida como o Princípio Fundamental da Dinâmica, segundo a qual, quando empurrado, o objeto se acelera na mesma direção que a força aplicada nele.

Mas, em teoria, a matéria pode ter massa negativa, da mesma forma que uma carga elétrica pode ser positiva ou negativa.

O fenômeno foi descrito na publicação científica Physical Review Letters.

Uma equipe de cientistas, liderada por Peter Engels, da Washington State University (WSU), esfriou átomos de rubídio a uma temperatura pouco acima do zero absoluto (perto de -273ºC), gerando o que é conhecido como Condensado de Bose-Einstein.

Nesse estado da matéria, as partículas se comportam como ondas, se movem de forma extremamente lenta, conforme previsto pela mecânica quântica.

Elas também se sincronizam e se movimentam juntas no que é conhecido como superfluido, que flui sem perder energia.

 


Facebook terá recurso para usuário criar ‘vaquinha’ dentro do perfil


O Facebook anunciou, nesta quarta-feira, que vai lançar uma ferramenta para usuários interessados em criar campanhas de crowndfunding, também conhecidas como vaquinhas virtuais, com todo o processo viabilizado dentro do próprio perfil.

Com o recurso será possível arrecadar fundos entre os amigos para ajudar a pagar por uma cirurgia, a custear os estudos ou mesmo para cobrir os cursos de um velório. A ferramenta estará disponível em larga escala nas próximas semanas, inicialmente para a versão beta do aplicativo.

“Angarie dinheiro para as causas que você se importa ou que seus amigos estejam envolvidos”, diz o vídeo publicado pela rede social apresentando a novidade

De início, haverá seis categorias à escolha: educação; medicina; medicina veterinária; alívio de crise; emergência pessoal; e funeral e perdas. Os valores sugeridos para a doação serão exibidos em uma seção já habilitada para pagamento imediato.

Antes de serem publicadas, as campanhas devem passar por um breve processo de aprovação pela rede (menos de 24 horas). Para anunciar a vaquinha virtual, o internauta deverá deixar um texto contando a história por trás do pedido divulgado e também poderá selecionar as pessoas que gostaria de convidar a se engajar. Elas também poderão compartilhar a campanha para os seus.

Jéssica Lauritzen, da Agência O Globo

Brasil terá duas novas chuvas de meteoros; veja datas


Se você é daqueles que adora olhar para o céu à procura de estrelas ou fenômenos naturais, já pode comemorar. Duas chuvas de meteoros estão previstas para serem observadas no céu do Brasil neste ano.

naom_573ede7173260

Para quem não compreende, os meteoros são partículas de uma estrela cadente. As estrelas cadentes são rochosas, ou compostas por ferro, e entram muito rápido na atmosfera da Terra e se queimam com a fricção, dando origem aos meteoros.

O blog Observatório, do G1, explica que durante uma noite escura é possível ver um ou outro meteoro riscando o céu. Mas essa atividade pode ser maior durante um período de tempo e atinge um pico em algum dia específico, formando assim chuvas de meteoros.

Esse fenômeno acontece quando a Terra intercepta a órbita de um cometa, que no seu caminho pelo Sistema Solar deixa pedaços minúsculos de rocha e gelo.

A boa notícia de agora é que uma equipe de entusiastas espalhou estações de monitoramento do céu através de câmeras para constituir a rede BRAMON, que é a sigla em inglês para rede brasileira de observação de meteoros. Essa câmeras estão apontadas para uma direção do céu e filmam durante à noite. O monitoramento do céu em diversas partes do país registra a trilha de meteoros que se queimam na atmosfera.

O G1 destaca que existem atualmente 82 estações espalhadas por 19 estados brasileiros e já tem o registro de mais de 82 mil meteoros.

DATAS

Segundo a Bramom, os Celídeos de agosto indicam que no dia 5 de agosto, por volta das três horas da manhã, a constelação do Cinzel está mais alta no céu e previsão é de haver chuva de meteoros.

Outra data esperada é a madrugada do dia 11 para 12 de junho. Os Épsilon Gruídeos indicam que a formação do fenônemo pode estar prevista devido a Formalhaut, uma estrela brilhante e azulada que ajuda na localização.


Cientistas desenvolvem primeiro embrião ‘artificial’


Cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, criaram o primeiro embrião artificial da história, avanço que ajudará a descobrir a origem de muitas doenças que surgem nas fases iniciais do desenvolvimento.

naom_58b89c1f93b0b

Publicado pela revista “Science”, o estudo conseguiu fazer células-tronco de rato se juntarem e organizarem espontaneamente em uma estrutura tridimensional similar a um embrião “natural”.

O experimento reproduziu exatamente todas as fases do desenvolvimento embrionário, algo até então inédito na ciência.

“As células embrionárias e aquelas que formam a estrutura onde o embrião se desenvolve começam a falar entre si a fim de organizar uma estrutura que se comporta como um embrião”, explicou a autora da pesquisa, Magdalena Zernicka-Goetz, do departamento de fisiologia e neurociências da Universidade de Cambridge.

Segundo ela, o embrião possui razões “anatomicamente corretas e que se desenvolvem no lugar e na hora certos”. Comparado com um embrião normal, o artificial seguiu o mesmo percurso em seu crescimento e mostrou ser completo em todos os aspectos, inclusive na formação das células germinativas, que dão origem a espermatozoides e oócitos.

Em tese, a descoberta abre caminho para se desenvolver um indivíduo fora do útero, ainda que isso seja mera hipótese e aplicável somente em alguns setores, como a zootecnia. Até então, as tentativas de desenvolver um embrião em laboratório fracassaram porque utilizavam apenas células-tronco destinadas a formar o organismo, mas não aquelas do tecido que o nutre e do qual nasce a placenta.

Contudo, apesar do avanço, pesquisadores avaliam que é improvável que o embrião artificial possa dar origem a um feto saudável, já que para isso seria necessária a utilização de células-tronco para a formação do saco vitelínico, que é indispensável à nutrição do embrião.

“Ter à disposição um embrião artificial é um passo adiante para conhecer as bases relativas aos primeiros estágios da vida e para reduzir ao mínimo o uso de animais em laboratórios”, comentou o geneticista italiano Edoardo Boncinelli. (ANSA) 


Carros sem motorista estão cada vez mais autônomos, diz relatório


Segundo relatórios disponibilizados pelo órgão de trânsito do Estado da Califórnia (EUA), os carros sem motorista estão significativamente melhores -de 2015 para 2016, a média de intervenções humanas nos testes feitos em vias públicas diminuiu 66%.

naom_5894dc14ebef5Quem se saiu melhor foi o carro da Waymo (foto), empresa da Alphabet, dona do Google, cujos veículos rodam cerca de 8.252 km para cada intervenção, oito vezes mais que a BMW, a segunda colocada. No ano passado, a distância média da Waymo para cada intervenção era 2.002 km.

As ocorrências, chamadas de “disengagements” em inglês, significam que um ser humano teve que interferir nos testes para auxiliar o funcionamento do carro, presencialmente ou à distância. Causas comuns de “disengagements” são manobras inesperadas, risco de colisão, excesso de velocidade do veículo, entre outras.

Os relatórios, enviados pelas próprias empresas ao Departamento de Veículos Motorizados (DMV, em inglês) do governo californiano, são uma exigência da lei estadual. O departamento afirma que os dados servem para “supervisionar se um fabricante consertou problemas do ano anterior”, e não como uma medida do quão “seguros” são os carros.

Os dados de “disengagements” têm limitações. Eles não mostram em que condições aconteceu cada interferência, ou seja, não medem precisamente se o sistema de um carro é realmente melhor que dos outros.

CONCORRÊNCIA

A tecnologia utilizada nos carros inteligentes se desenvolve com a prática, o que explica a discrepância entre as empresas. Quanto mais os carros circulam pelas ruas, melhor é seu desempenho.

Em 2016, a frota da Waymo (que agora é uma empresa separada do Google) rodou uma quilometragem quase mil vezes maior que a BMW, o que explica o fato de ter uma autonomia maior. Tesla, Ford, BMW e GM começaram os testes recentemente.

Segundo Bryan Reimer, pesquisador de transportes do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT, em inglês), dados transparentes sobre os testes são importantes para desenvolver uma relação de confiança com o público.

“As estatísticas são difíceis de interpretar, já que as condições de teste mudam, mesmo dentro de uma mesma organização. Uma empresa pode, por exemplo, ter feito testes em situações mais simples em um ano, e ter testado situações mais complexas no ano seguinte”, afirmou Reimer à reportagem.

Além dos testes na Califórnia, as empresas também desenvolvem os carros em circuitos fechados, ou optam por Estados americanos que não exijam tanta transparência, como fez o Uber -portanto, é difícil saber em que etapa está o desenvolvimento de cada marca.

A Bosch, “última colocada” do ranking, afirma que o seu objetivo não é “testar resistência” (ou seja, um longo tempo sem interferências), e sim “desenvolver soluções de software e hardware que possamos oferecer a clientes em futuros projetos de direção automatizada”.

O DMV também tem registros das colisões. De todos acidentes reportados na Califórnia desde 2014, quando começaram os testes, 21 de 24 ocorreram com carros do Google. A maioria é causada por um motorista humano que esbarra no carro autônomo. Com informações da Folhapress.