Adolescente de 16 anos mata filho recém-nascido afogado em tanque após discussão com o namorado


Uma adolescente de 16 anos é acusada de matar o próprio filho, um bebê de apenas 4 meses, afogado em um tanque, em Salvador. A adolescente teria assistido a criança se debater no tanque antes de tampar o recipiente e voltar a dormir na noite do último domingo (03).


A delegada Ana Virgínia Paim, que está à frente do caso na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), contou que o crime foi antecedido por uma discussão entre a jovem e seu namorado, o microempreendedor Edmundo dos Santos, de 52 anos.

Os dois teriam brigado na noite de domingo. “Ela falou que foi dormir com raiva, porque o seu companheiro havia pedido para ela sair do computador para ir dormir, já que a criança ia para o pediatra na manhã desta segunda”, relatou a delegada, segundo informações do jornal Correio. Então, a adolescente confessou que, por volta das 2h, cometeu o crime.
“Ela acordou de madrugada, pegou o bebê dormindo, jogou a criança no tanque e depois ficou olhando ele se debater na água”, detalhou a delegada. De acordo com Ana Virgínia, a suspeita chorou, disse estar arrependida, mas demonstra tranquilidade com o ato e preocupação com as consequências do crime. Além disso, a delegada afirma que “nada indica que ela tenha algum tipo de transtorno mental” ou faça uso de drogas.

Após a apreensão em flagrante na manhã desta segunda-feira (04), a jovem foi levada para o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito. Já o corpo do bebê, Moisés Ângelo dos Santos, foi encontrado pelo namorado da adolescente, que não é o pai da criança, por volta das 6h.

Santos contou que, no final da manhã de domingo, a adolescente saiu de casa, na Rua Baixa da Silva, em Cosme de Farias, para ir até a casa do pai do bebê. “Ela chegou dizendo que o pai da criança tinha pedido o DNA, dizendo que o bebê não era dele”, relatou. Depois disso, ela teria almoçado com o namorado e permanecido em frente ao computador até de madrugada, quando a briga aconteceu. Ele disse que a avisou para dormir porque os dois levariam a criança para tomar vacina na segunda. Como dormiu antes, Santos foi procurar a criança quando acordou.

“Quando eu não achei o bebê, fui no carrinho, no banheiro, procurei em todos os cantos da casa, mas não achei. Aí subi pra cobertura e fui pra laje. Quando cheguei lá, abri a tampa do tanque e o bebê estava boiando na água”, afirmou.

Detectado o crime, ele disse que trancou a jovem em casa e foi chamar a sogra, Michelle. Antes desse crime, a suspeita já tinha passagem pela DAI por tentativa de homicídio. Há dois anos, ela deu uma martelada na cabeça da irmã, que estava dormindo e na época tinha apenas dois anos. A mãe delas disse que a criança passou dois meses internada e até hoje faz fisioterapia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *