Açougueiro mata filha e enteada depois de descobrir traição em SP


O açougueiro Clayton Almeida de Jesus, 34 anos, foi preso nesta quinta-feira (16), um dia depois de, segundo a polícia, matar a filha e a enteada em Guarulhos, em São Paulo. Ele fugiu depois do crime, mas foi preso dentro de uma igreja evangélica em Santos, no mesmo estado. O crime foi motivado por vingança – Clayton matou as meninas para se vingar da mãe delas, sua esposa, depois de descobrir uma traição, diz a polícia.

As crianças foram achadas mortas dentro da casa da família, na manhã de ontem. Priscilla Beatriz Tavares Almeida, 3 anos, filha do suspeito, e a enteada dele, Edmilly Geovana Tavares da Silva, 8 anos, estavam abraçadas dentro de um quarto. A suspeita é que as duas já estavam mortas há mais de 12 horas.

Um bilhete do suspeito foi encontrado no local. Ele diz que matou as meninas depois de descobrir que tinha sido traído pela mãe delas. A causa da morte foi asfixia, acredita a polícia.

Depois de fugir, o açougueiro mandou mensagens para o avô das meninas relatando o crime.

O domingo foi um dia especial, o (dia) das mães. Mas no fim do dia ela confessou que me traía com o encarregado dela. Porém, eu não vou fazer nada com ela e nem com ele, mas eles vão se lembrar pelo resto da vida do que fizeram”, diz uma das mensagens enviadas por Clayton.

“Ele queria que a esposa sentisse a mesma dor que ele. Tinha um perfil muito calmo, muito equilibrado, realmente foi uma surpresa muito grande para os dois lados da família essa atrocidade cometida”, diz o delegado Wagner Coimbra, de Guarulhos, onde o caso é investigado.

Fuga
Clayton queria fugir para o Rio de Janeiro, mas não tinha dinheiro para isso. Ele roubou R$ 70 de um cofre que as crianças mantinham e foi para o litoral paulista.

(Foto: Reprodução)

A esposa de Clayton e o suposto amante trabalhavam juntos em uma rede de supermercados. A investigação mostra que Clayton queria ainda matar os filhos desse suposto amante, mas não o fez por não saber onde ele morava. A mulher do açougueiro foi até a delegacia, mas não conseguiu prestar depoimento porque estava muito abalada com o acontecimento.

Pai de Edmilly, o auxiliar de aeroporto Elias Luiz da Silva disse ao G1 que a filha não queria mais dormir na casa da mãe ultimamente por conta do comportamento de Clayton. “Teve um dia que ela me contou que ele deu uma chinelada nela por causa da outra filhinha dele, que fez as coisas erradas e ele descontou nela. Ela não queria, toda vez. ‘Não quero mais voltar para minha casa’”.

Matéria: Correio24

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *